Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Eduardo Bastos

Eduardo Bastos

Medicina Dentária

Aftas: Qual a origem, como prevenir e como tratar

As pequenas úlceras orais esbranquiçadas são lesões benignas e inofensivas apesar de provocarem dor. Revelam que o nossos sistema imunitário está em baixo

Se tem ou já teve uma ferida branca e dolorosa no interior da boca, então está perfeitamente familiarizado com as aftas!

Existem inúmeros tipos de feridas na boca, lábios e língua, desde irritações, lesões e inchaços. As patologias mais comuns são aftas, herpes, leucoplasia e candidíase.

Cerca de 1/3 da população tem ou teve lesões na boca em alguma altura da sua vida.

As feridas, irritações e lesões da boca podem ser dolorosas e podem interferir com a mastigação e a fala. Qualquer ferida que exista na boca por mais de duas semanas deve ser examinada pelo seu dentista. Em última análise pode ser necessária uma biópsia para determinar a causa!

Hoje falamos aqui de aftas que são pequenas feridas ou lesões que surgem na boca, designadamente na mucosa oral, na gengiva, na língua ou nos lábios. Podem surgir sozinhas ou agrupadas, são achatadas, redondas ou ovaladas e podem ter várias cores (branco, vermelho ou amarelado). Provocam dor, desconforto e dificuldades em comer, beber e até falar.

As pequenas úlceras orais esbranquiçadas são lesões benignas e inofensivas apesar de provocarem dor. Revelam que o nossos sistema imunitário está em baixo e podem ser causadas por diferentes fatores, entre eles a alimentação e o stress.

Origem das aftas:

Nem sempre é possível saber o que deu origem a uma ou mais aftas, embora possamos desconfiar de algumas das causas:

- Stress;

- Traumatismo intraoral (mordidas acidentais na língua ou na zona interior da bochecha);

- Alterações hormonais durante o ciclo menstrual;

- Dieta;

- Fatores genéticos, imunológicos ou microbiológicos;

- Alterações no pH oral.

Tratamento das aftas:

O tratamento é principalmente sintomatológico, porque as aftas curam-se espontaneamente entre uma a duas semanas, mesmo sem tratamento. Podem ser usados alguns produtos ou fármacos que ajudam a aliviar os sintomas e prevenir possíveis infeções. Assim, o tratamento poderá incluir:

- Soluções antisséticas e antibacterianas (colutórios para bochechar, géis ou gotas);

- Analgésicos e anti-inflamatórios de aplicação local;

- Gel protetor da mucosa oral.

Prevenção de aftas

Acredita-se que haja um elo de ligação entre as aftas e a deficiência de vitaminas, portanto, comer bem e tomar um multivitaminico são boas opções se tiver predisposição para ter aftas na boca. Os probióticos também são considerados úteis.

Para finalizar, saliento que as aftas não são contagiosas porque não têm na sua origem agentes como vírus, bactérias ou fungos.

As aftas não devem ser confundidas com herpes. Este sim, é contagioso. No caso do herpes, as lesões surgem sobretudo nos lábios ou à volta da boca e dão sintomas diferentes, como sensação de picada ou queimadura.

Eduardo Bastos

Eduardo Bastos

Medicina Dentária

Licenciado em Medicina Dentária, tem várias Pós-graduações em áreas especificas como Cirurgia Avançada de Implantes e Tecidos Moles, Implantologia e Estética Dentária. Sempre muito dedicado à vertente da implantologia e cirurgia oral, participou em várias palestras nesse âmbito. A sua experiência profissional incide na Reabilitação Oral integral, com forte componente estética. Participou em alguns programas de televisão dedicados à saúde oral e estética dentária e é muitas vezes convidado para rubricas de informação de medicina dentária. Sempre projectou ter o seu próprio espaço, com um ambiente que correspondesse às suas paixões e uma prática clínica sempre avançada/ atualizada, proporcionando um cuidado de excelência como sempre o fez. Foi em 2016 que deu estrutura ao seu sonho com a Clinica Mint (http://mint.pt ) em Lisboa.