Letras

Os Informadores, de Juan Gabriel Vásquez: pré-publicação

Os Informadores é o quarto romance de Juan Gabriel Vásquez publicado em Portugal pela Alfaguara, depois de O Barulho das Coisas ao Cair, As Reputações e A Forma das Ruínas, este último distinguido com o Prémio Casino da Póvoa das Correntes d'Escritas. O escritor colombiano volta agora à Póvoa com o que considera ser o seu verdadeiro primeiro romance, aquele em que descobriu o escritor que queria ser

Artes Visuais

Álvaro Pirez d'Évora - Um pintor português na Itália dos alvores do Renascimento

A maior exposição dedicada ao mais inovador pintor português do século XV, com atividade preponderante nas cidades italianas, onde contribuiu para a renovação das formas artísticas, pode ser vista no Museu Nacional de Arte Antiga, até 15 de março. São 26 painéis de sua autoria, a que se juntam 58 obras de pintores contemporâneos, cedidas por vários museus europeus e coleções privadas, numa exposição organizada com a colaboração do Polo Museale della Toscana. Veja aqui alguns quadros de Alvaro Pirez d'Évora e seus contemporâneos e leia na edição em papel uma crítica à mostra

Artes Visuais

Romeu e Julieta no D. Maria II

É uma das histórias de amor míticas da cultura ocidental: Romeu e Julieta, de William Shakespeare, está em cena até 1 de março, na Sala Garrett do Teatro Nacional D. Maria II (TNDMII), com encenação, dramaturgia e cenografia de John Romão (JR), o diretor da Bienal de Arte Contemporânea de Lisboa, BOCA.

Maria Leonor Nunes
Capas JL

JL 1288

Vhils -Nas paredes do mundo A sua obra vai-se impondo a nível global e sobre ela falou ao JL em vésperas da primeira mostra individual nos EUA. Entrevista e a análise de António Mega Ferreira

Capas JL

Vhils na capa do JL

Vhils -Nas paredes do mundo A sua obra vai-se impondo a nível global e sobre ela falou ao JL em vésperas da primeira mostra individual nos EUA. Entrevista e a análise de António Mega Ferreira

Letras

Correntes d'Escritas: diversidade e liberdade

O foco na literatura catalã é um dos muitos destaques da próxima edição do Encontro de Escritores Ibero-Americanos promovido pela Câmara da Póvoa de Varzim, que continua a ver a sua programação a crescer e a tentar alcançar novos públicos. Entre os próximos dias 19 e 23, mas com atividades a partir de 15, cerca de cem autores de 14 países trocam experiências e pontos de vista, sem guião nem limites

Luís Ricardo Duarte
Artes Visuais

O Primo Basílio, em bailado

Nesta sua crónica, o grande queirosiano comenta a adaptação de O Primo Basílio ao bailado, por Fernando Duarte

Carlos Reis
Cinema

Ruy Guerra, o homem que matou John Wayne

no documentário O homem que matou John Wayne é salientada a posição de RG de luta “contra a forma de colonização levada a cabo por Hollywood no cinema, ´não deixa passar` John Wayne ou tudo o que ele simboliza

Jacinto Rêgo de Almeida
Artes Visuais

A Máquina de Hamlet segundo os Artistas Unidos

Entrevista com Jorge Silva Melo e João Pedro Mamede, a propósito da encenação de A Máquina de Hamlet, de Heiner Müller, em cena no Teatro da Politécnica, até 22 de fevereiro

Maria Leonor Nunes
Jornal de letras

Uma bela História da Língua Portuguesa

Marco Neves escreve sobre o último livro de Fernando Venâncio, Assim Nasceu Uma Língua

Música

Madrepérola: Capicua fala sobre o seu novo single

A rapper Capicua, em entrevista ao JL, fala do single Madrepérola, que integra o álbum com o mesmo nome, agora lançado (veja o videoclip)

Manuel Halpern
Capas JL

JL 1287

Neste JL, a rapper que revolucionou o hiphop português desvenda, tema por tema, o seu último disco, Madrepérola. E Francisco José Viegas e João Tordo falam-nos sobre os seus romances policiais

Capas JL

Capicua: Poesia de rua

Neste JL, a rapper que revolucionou o hiphop português desvenda, tema por tema, o seu último disco, Madrepérola. E Francisco José Viegas e João Tordo falam-nos sobre os seus romances policiais

Maioria. Falta-lhe um bocadinho assim? 
Ideias (JL)

António Costa: utopias que se tornaram realidade

Leia aqui na íntegra o artigo de opinião de António Costa, publicado no último JL, a propósito de Lisboa Capital Verde 2020

Letras

Arquivo: dossier sobre Torga no JL n.º 2 (1981)

Leia aqui o dossier dedicado a Miguel Torga, no JL 2, com textos de Vasco Graça Moura, Carlos Reis e Rogério Rodrigues e ilustrações de João Abel Manta

Capas JL

JL 1286

Neste JL correspondência inédita de Miguel Torga. Entre outras, ‘missivas’ de Agustina, Eduardo Lourenço, Eugénio de Andrade, Sophia de Mello Breyner e Vitorino Nemésio. Além da esclarecedora introdução de Carlos Mendes de Sousa.

Capas JL

Cartas para Miguel Torga

Neste JL antecipamos o livro com a correspondência de Miguel Torga com, entre outras, ‘missivas’ de Agustina, Eduardo Lourenço, Eugénio de Andrade, Sophia de Mello Breyner e Vitorino Nemésio.

Letras

A verdadeira arte de dizer f****

Uma antologia da poesia erótica que se escreveu em galaico-português, numa edição da Guerra & Paz que agora chega às livrarias

Luís Ricardo Duarte
“Rutura irreparável”: António Costa ameaça com demissão se diploma dos professores for aprovado
Política

António Costa: “Não há nada mais difícil do que resistir ao ridículo”

Resistir ao ridículo exige muita convicção, escreve o primeiro-ministro. Mas “quem ri por último, ri melhor” continua, num texto de opinião para o Jornal de Letras

Crónicas

Por um 2020 verde

Num domínio decisivo para o futuro de todos nós, 2020 começa muito bem para Lisboa. E começa muito bem para Portugal, porque sendo uma caricatura sem graça e um dislate sem nome aquela frase feita "o país é Lisboa e o resto é paisagem", certo é que Lisboa é a capital do país - e além disso, também por isso, uma espécie de seu símbolo. Sublinho-o sem esconder a minha qualidade de "nortenho" - militante

José Carlos de Vasconcelos
Crónicas

Evo Morales: O índio fora do lugar

Os acontecimentos dramáticos ocorridos na Bolívia seguiram um guião imperial que os latino-americanos começam a conhecer bem: preparar a mudança de regime de um governo considerado hostil aos interesses dos Estados Unidos (ou melhor das multinacionais norte-americanas)

Boaventura de Sousa Santos
Crónicas

Segunda oportunidade

Depois de ter sido perseguido pelos carabineros em Santiago, junto com um amigo, e de me terem queimado a cara com disparos de gás lacrimogéneo lançado a poucos metros, como contei na crónica anterior, lembrei-me de que esse mesmo amigo, um ano antes, me tinha oferecido uma garrafa de mescal artesanal, destilado por um seu companheiro, cuja marca era: Llorarás. Não poderia ter sido mais profético.

Afonso Cruz