Letras

Leonor de Almeida: Uma poeta raptada ao esquecimento

Foi homenageada na última Feira do Livro do Porto e duas obras aí lançadas permitem redescobrir a singularidade de uma autora que assinou quatro volumes de poemas, entre 1947 e 1960, e depois desapareceu. O JL falou com a escritora Cláudia Clemente que foi capaz de romper a cortina de silêncio e mistério que rodeava um dos nomes que marcaram a poesia da década de 50 do século XX

Luís Ricardo Duarte
Letras

O vício dos livros

Afonso Cruz
Ideias (JL)

Continuarei a ler livros

Guilherme D’Oliveira Martins
Cinema

O filme de João Botelho lido pelo pessoano Fernando Cabral Martins

O Ano da Morte de Ricardo Reis, livro em que Saramago transforma o heterónimo de Pessoa em personagem, foi adaptado ao cinema por João Botelho. O prof. Fernando Cabral Martins faz uma leitura do livro e do filme

Letras

João Cabral de Melo Neto: "O que a vida tem de melhor é, para mim, a literatura"

Este ano celebra-se o centenário de nascimento de um dos maiores poetas brasileiros, João Cabral de Melo Neto. Ao dossier que publicamos na edição n.º 1303 do JL, já nas bancas, juntamos aqui a primeira entrevista que nos concedeu, em 1987 (JL 270, de 7 de setembro)

Letras

Uma (nova) Casa para Fernando Pessoa e todos os heterónimos

Manuel Halpern
Letras

Escritores contra o racismo

Publicamos aqui, na íntegra, a Carta aberta dos escritores de língua portuguesa contra o racismo, a xenofobia e o populismo e em defesa de uma cultura e de uma sociedade livres, plurais e inclusivas, com todos os signatários

José Eduardo Agualusa vence prémio literário de Dublin
Letras

José Eduardo Agualusa: Os Vivos e os Outros

Pré-publicação do novo romance de José Eduardo Agualusa, a chegar às livrarias

Letras

J. C. Seabra Pereira: Toda a criação literária lusófona

Das raízes à atualidade, de Portugal ao Oriente, do Brasil a Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné e São Tomé e Príncipe. No monumental estudo "As Literaturas em Língua Portuguesa", o prof. das universidade de Coimbra e Católica Portuguesa percorre todos os caminhos das literaturas lusófonas. Um esforço inédito aqui apresentado pelo autor. Crítica de Miguel Real na edição em papel do JL

Luís Ricardo Duarte
Letras

João de Melo: uma anti-epopeia portuguesa

Livro de Vozes e Sombras, o novo romance do autor, oito anos após o último, chega às livrarias no próximo dia 30 e é o seu 30º título, entre ficção, poesia, ensaios, crónicas e relatos de viagem. Mas aos 71 anos escreve cada livro como se fosse o primeiro, num constante refazer do texto. Sem ter essa intenção, nesta sua excelente nova narrativa entrecruzam-se os principais temas que percorrem a sua obra, desde O Meu Mundo Não é Deste Reino a Os Navios da Noite, passando pelo ‘consagrado’ Gente Feliz com Lágrimas: os Açores (e, neste caso, o seu movimento independentista), África e a Guerra Colonial, a cidade de Lisboa, os vencidos mais do que os vencedores. Leia aqui o primeiro capítulo do romance e, na edição do JL, em papel ou digital, a entrevista ao escritor, Prémio Vergílio Ferreira, entre muitos outros, e a crítica de Miguel Real

Letras

Pilar del Rio: Dez anos com José Saramago, de 'outra maneira'...

Foi há dez anos, que se completam amanhã, quinta-feira, 18, que morreu em Lanzarote, com 87 anos, o português Prémio Nobel da Literatura. A data será assinalada na Fundação José Saramago, sobre a qual, o legado do escritor e a efeméride fala aqui a sua presidenta e viúva do romancista. Do qual, na edição em papel, temos o gosto de publicar um belo texto inédito, que parece ter muito de autobiográfico...

Letras

Maria Velho da Costa: A aura da escrita

Recorde a última entrevista de Maria Velho da Costa ao JL (n.º 993, de 22 de Outubro de 2008), a propósito do seu derradeiro romance, Myra

Letras

José Cutileiro: Um poeta a (re)ler

Na sua morte, a 17 de maio, aos 85 anos, como aqui se noticiou, falou-se muito, e bem, do embaixador, do antropólogo, do cronista - autor, designadamente, dos Bilhetes de Colares, de A. B. Kotter, e dos textos reunidos no recente Inventário. Mas ficou quase esquecida a sua vertente de poeta, importante na transição dos anos 50 para os 60, como sublinha neste texto o prof., ensaísta e principal especialista nesse período da nossa poesia. Na edição em papel pode ler ainda outro texto, de outro escritor e seu amigo, na época jornalista da BBC, em Londres, e hoje de novo em Oxford, que recorda os tempos e episódios da vida de ambos na capital britânica, antes e imediatamente a seguir ao 25 de Abril

Letras

Domingo de Fernando Namora

Valter Hugo Mãe
Letras

Sérgio Sant’Anna: Mais ‘novo’, perto da morte

“As suas obras definitivas são as coletâneas mais recentes de contos: o escritor entrega-se de corpo e alma à autoficção, em livros de uma beleza humana crepuscular, explora o amor sexualizado na velhice, constrói personagens perplexos diante da existência, em um tom humano, com uma descoberta da alegria doída do mínimo existencial”, escreve aqui o nosso colunista - ficcionista, ensaísta e crítico, reitor de universidade no Paraná - sobre o destacado escritor brasileiro que morreu no passado dia 10, aos 78 anos, vítima de Covid

Letras

A vertigem da escrita de Ruben A.

De seu nome completo Ruben Alfredo Andresen Leitão, nasceu há cem anos, que se completam no próximo dia 26, em Lisboa, e morreu a 26 de setembro de 1975, em Londres. A sua obra é das mais originais do primeiro quartel da segunda metade do século XX, seja na pura ficção, seja nos três volumes da autobiografia O Mundo à minha Procura e nos cinco de Páginas - que acrescem aos trabalhos do historiador, ensaísta e crítico. Evocação de Fernando Pinto do Amaral. Ler ainda, na edição em papel, textos de Dália DIas, Clara Rocha e Guilherme d'Oliveira Martins, assim como cartas inéditas de Ruben A. e Eduardo Lourenço

Letras

A figura do médico

Carlos Reis
Letras

A viagem da Literatura continua

Luís Ricardo Duarte
Letras

Os vírus ou o mal total

Depois de uma abordagem à presença das pandemias no romance, desde os exemplos mais recuados à atualidade, uma panorâmica semelhante com enfoque na poesia, sobretudo a portuguesa, também ela recheada de testemunhos das dores do corpo e da alma. De Nobre e Cesário a Pessoa, David e Gastão Cruz. Um ensaio do nosso crítico de poesia, também poeta e ensaísta

Letras

Luis Sepúlveda: "Todos os silêncios são cúmplices e têm uma quota parte de responsabilidade"

A última entrevisa de Luis Sepúveda, concedida nas Correntes d'Escritas, que mostra o homem e escritor de causas que sempre foi

Luís Ricardo Duarte
Letras

Inquérito JL: Annabela Rita

Ao longo do 40.º ano do JL. promovemos um inquérito para apurar os livros, filmes e álbuns que mais marcaram as últimas quatro décadas. Quinzenalmente, publicaremos na edição em papel as listas individuais de diversas figuras com as suas 20 escolhas (dez para o cinema). Sobre as suas escolhas, que publicamos na edição do JL 1292, de 8 de Abril, Annabela Rita escreveu esta justificação