Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Construção nova supera reabilitação em Lisboa

Imobiliário

Divulgacao

Nos primeiros seis meses deste ano foram feitos pedidos de licenciamento para 240 projetos residenciais com mais de 2.000 fogos. Deste total, cerca de 60% estão integrados em construção nova

Depois de anos de marasmo, a construção de raíz volta a dominar o imobiliário de Lisboa trazendo mais fogos novos para o mercado que o sector da reabilitação.

No 1º semestre deste ano foram submetidos a licenciamento 2.241 novos fogos em Lisboa num total de 240 projetos residenciais, segundo a Confidencial Imobiliário no âmbito do "Pipeline Imobiliário".

Do total dos fogos em carteira em Lisboa neste semestre, 59% são gerados em obra de construção nova (1.333 fogos). "Este passa, assim, o ser o tipo de obra dominante entre os novos investimentos em promoção residencial contabilizados no pipeline do concelho", diz o relatório da Confidencial, lembrando que "nos dois últimos anos, a construção nova foi responsável por 42% dos fogos em carteira (em termos anuais), período durante o qual a reabilitação se manteve como a principal fonte de novos fogos na cidade". No 1º semestre contabilizam-se 908 fogos resultantes de reabilitação em pipeline.
Com o volume contabilizado neste período, o pipeline dos últimos dois anos e meio (de janeiro de 2017 a junho de 2019) eleva-se para 9.758 fogos num total de 1.116 projetos. Tal carteira concentra 10% dos fogos projetados a nível nacional nesse período acumulado, os quais somam 93.129 unidades.

Projetos com escala

A Confidencial Imobiliário destaca ainda a maior dinâmica no lançamento de projetos de grande dimensão. "No 1º semestre do ano contabilizaram-se dois edifícios residenciais com mais de 100 fogos cada, nomeadamente em Campolide (195 unidades) e no Parque das Nações (115 fogos)", exemplifica a empresa.

Em 2017 e 2018 foram lançados outros sete projetos desta dimensão (mais de 100 fogos), incluindo um na freguesia de Santo António (112 fogos) e um outro em Campolide (108 fogos), bem como dois na freguesia de Santa Clara (um de 108 e outro de 130 fogos) e um em Benfica (168 fogos).

Na zona oriental de Lisboa, Marvila (185 fogos) e Olivais (157 fogos) acolhem os restantes projetos com estas caraterísticas. Com exceção do projeto situado em Benfica (resultante de reabilitação), todos os outros são de construção nova.

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.