O sítio para onde vão os navios quando “morrem” (e também morrem de Covid)

O sítio para onde vão os navios quando “morrem” (e também morrem de Covid)

Longe dos seus dias de glória, cinco navios de cruzeiro forçados à reforma estão irreconhecíveis. Meio desmantelados para serem vendidos às peças, estão agora no estaleiro turco de Aliaga, que, segundo a Reuters, viu o negócio crescer em 30% este ano, graças à pandemia de Covid-19.

As imagens aéreas mostram o contraste entre piscinas e campos de golfe quase intactos com os destroços expostos de outras partes dos navios.

Palavras-chave:

Assine a VISÃO, apoie o jornalismo, por apenas €6/mês.

ASSINE AQUI

Mais na Visão