Relacionados

Mercados

RGPD: Comissão Nacional de Proteção de Dados recusa aplicar nove artigos da lei da privacidade

A entidade que supervisiona o tratamento de dados pessoais invocou um acórdão produzido pelo Tribunal de Justiça da UE em 1989 para decidir deixar de aplicar parte ou totalidade de nove artigos da lei nacional que executa o Regulamento Geral de Proteção de Dados. Entre os artigos visados, figura o artigo relativo ao valor máximo de 20 milhões de euros para as contraordenações

Opinião

A Inteligência Artificial ao serviço do RGPD

A Inteligência Artificial e o Machine Learning poderão ser uma mais-valia para as autoridades de controlo e para as organizações verificarem a conformidade com o RGPD e poderão dar mais informação e autonomia aos cidadãos. A opinião de Leandra Dias, jurista da Primavera BSS

DeepNude: a app usada para despir mulheres que foi lançada e cancelada quatro dias depois Exame
Exame

Mais de um ano depois, Portugal tem uma lei para o RGPD

Violação do regulamento geral de proteção de dados pode resultar em penas de prisão e coimas pesadas. Legislação entrou em vigor mais de um ano depois da aplicação das regras.

Mercados

RGPD: novas regras com aplicação retroativa desde 25 de maio de 2018

O texto explicativo da promulgação assinada pelo presidente da República lembra que o RGPD «é aplicável desde o dia 25 de maio de 2018». O que deixa em aberto que eventuais casos ou processos possam vir a ser analisados à luz das novas regras, desde que as denúncias ou as práticas sejam posteriores a essa data