Cuidado com o que desejas: o preço de abandonar o nuclear

O desastre de Fukushima motivou o encerramento de centrais nucleares no Japão e na Alemanha. Mas os dados sugerem que isso pode não ter deixado a população mais segura

Nuno Aguiar

O que mudou numa década de Economia?

Perguntámos a 5 economistas quais foram as principais mudanças dos últimos dez anos. A primeira década após a maior crise financeira dos últimos 80 anos obrigou a disciplina a concentrar-se mais nos efeitos das desigualdades, ao mesmo tempo que os bancos centrais arriscaram ir mais longe do que alguma vez imaginaram

Nuno Aguiar

Os portugueses gostam de bons filmes?

Quais foram os filmes mais vistos pelos portugueses no cinema nos últimos 15 anos? E como é que essa lista compara com o mercado norte-americano?

Nuno Aguiar

Star Wars: comércio livre, escravatura e recessão à vista

“A Ascensão de Skywalker” já fez mais de 700 milhões de dólares por todo o mundo. Ninguém tem dúvidas que Star Wars é um franchise que sabe fazer dinheiro, mas talvez seja dada menos atenção às suas lições de economia. Embora os jedi sejam ótimos a manejar sabres de luz, têm mais dificuldades a planear no mercado de trabalho ideal

Nuno Aguiar

O segredo de Centeno foi sempre a despesa, não os impostos

Em cinco anos, o Governo colocou a despesa pública no nível mais baixo desde o início do século, enquanto a receita manteve mais ou menos o mesmo peso que tinha em 2015

Nuno Aguiar

10 factos sobre desigualdade

Para continuar no tema das últimas semanas, voltamos a olhar para as desigualdades no mundo. Em outubro, um dos maiores think tanks do mundo organizou uma conferência acerca do tópico e, na apresentação inicial, Lucas Chancel pintou um retrato da desigualdade entre os países mais desenvolvidos do mundo, como Portugal

Nuno Aguiar

Devemos abolir os milionários?

Porque é que eu me devo preocupar com o salário dos outros? O que interessa não é aquilo que eu ganho? O debate sobre impostos e desigualdades chegou provavelmente ao seu slogan mais sonante: “abolir os multimilionários”. A VISÃO entrevistou um dos principais inimigos dos super-ricos.

Nuno Aguiar
Vem aí uma revolução nos impostos ou só mais uma camada de lasanha?

Vem aí uma revolução nos impostos ou só mais uma camada de lasanha?

A OCDE está a preparar uma reforma profunda do mundo fiscal que, a concretizar-se, pode virar de cabeça para baixo a cobrança de impostos por todo o mundo. No entanto, alguns temem que estes esforços acabem por ter efeitos superficiais e que sirvam apenas para complexificar um sistema já bastante complicado

Nuno Aguiar
“A incapacidade de aceitar qualquer tipo de árbitro torna Donald Trump possível”

“A incapacidade de aceitar qualquer tipo de árbitro torna Donald Trump possível”

Nós odiamos árbitros. Não apenas no futebol, mas também na regulação, nos tribunais, na arte, nos media… Essa desconfiança sempre existiu, mas agora está em esteroides. Michael Lewis decidiu fazer um podcast sobre isso e a VISÃO entrevistou-o

Nuno Aguiar
Hiperinflação e Hitler. Os alemães não compreendem a sua própria História

Hiperinflação e Hitler. Os alemães não compreendem a sua própria História

E se o medo dos alemães acerca da subida dos preços não fizer sentido nenhum? Um novo estudo questiona o entendimento que os germânicos têm da sua própria História económica e conclui que Hitler chegou ao poder após um episódio de… deflação

Nuno Aguiar
Porque é que aceitamos pagar impostos?

Porque é que aceitamos pagar impostos?

O que nos leva a aceitar dar parte do nosso rendimento ao Estado? Embora a probabilidade de ser apanhado a fugir seja relativamente baixa, poucos acabam por arriscar. Por que motivo aceitamos a existência de impostos?

Nuno Aguiar
Quem votou nos partidos pequenos?

Quem votou nos partidos pequenos?

A próxima legislatura contará com três novos partidos no Parlamento. Os analistas políticos têm múltiplas teorias acerca daquilo que os fez crescer. A VISÃO foi tentar perceber quem votou neles

Nuno Aguiar
Este é mesmo o Parlamento mais fragmentado de sempre?

Este é mesmo o Parlamento mais fragmentado de sempre?

Não há dia que passe sem que alguém na televisão ou nos jornais lembre que nunca houve tantos partidos na Assembleia da República como na próxima legislatura. Isso é obviamente verdade. Mas, por vezes, há quem use a expressão "fragmentado" e, nesse caso, as coisas são mais complicadas. Na realidade, a fragmentação do Parlamento nacional praticamente não mudou nos últimos 10 anos.

Nuno Aguiar
Manual de sobrevivência para os pequenos partidos

Manual de sobrevivência para os pequenos partidos

Três novos partidos entraram na Assembleia da República. Mais do que olhar para esta legislatura, em que terão uma influência limitada, há quem esteja mais entusiasmado ou preocupado com o futuro. Nos próximos anos, devemos esperar que continuem a crescer ou que regridam? Investigação recente conclui que a luta política pela relevância é uma maratona e que certos partidos e certas estratégias têm mais probabilidades de sobreviver

Nuno Aguiar
Quando as estatísticas reescrevem a História

Quando as estatísticas reescrevem a História

O INE reviu o crescimento dos últimos três anos, acabando por reescrever a História desse período. É um processo normal entre os institutos de estatística, motivado por mais e melhor informação. Mas é também uma oportunidade para questionar: até onde devem ir as autoridades na revisão destes dados oficiais?

Nuno Aguiar
Qual é a maior estrela do cinema dos últimos 30 anos?

Qual é a maior estrela do cinema dos últimos 30 anos?

Tarantino conseguiu juntar dois dos mais bem-sucedidos atores das últimas décadas no mesmo filme. A concentração de estrelas é o pretexto perfeito para lançar a discussão: que ator que tem dominado o cinema desde a década de 80? Fomos compará-los

Nuno Aguiar
Um planeta mais quente roubará quanto à economia portuguesa?

Um planeta mais quente roubará quanto à economia portuguesa?

Um novo estudo conclui que a subida das temperaturas terá efeitos económicos mais profundos do que se julgava e que todos os países do mundo os sentirão. Cumprir o Acordo de Paris faria uma enorme diferença

Nuno Aguiar
De onde vêm números que mandam em nós?

De onde vêm números que mandam em nós?

Do défice de 3% ao crescimento do PIB, há uma série de números que mandam na nossa vida, mas nós ignoramos a origem de muitos deles. Saber como nasceram e como são calculados é decisivo para perceber porque lhes devemos dar atenção ou relativizar

Nuno Aguiar
Histórias da carochinha sobre o Estado e a inovação

Histórias da carochinha sobre o Estado e a inovação

Normalmente pintado como uma entidade amorfa e pesada, o Estado tem sido um importante motor de inovação. Algumas das tecnologias mais populares que preenchem a nossa vida deram os primeiros passos no setor público

Nuno Aguiar
O Estado pode (e deve) puxar pela economia

O Estado pode (e deve) puxar pela economia

Qual deve ser o papel do Estado numa crise ou em momentos "normais"? Um novo estudo do Peterson Institute for Economic Policy mostra como o dinheiro injetado pelos governos na economia tem um impacto maior do que se pensava e que é uma estratégia tão eficaz em períodos de crescimento como em momentos de recessão. Portugal faz parte da lista de países analisados. À VISÃO, um dos autores diz que os governos devem ser mais proactivos

Nuno Aguiar
O Rei Leão já é o filme mais visto do ano em Portugal. A estratégia da Disney resulta?

O Rei Leão já é o filme mais visto do ano em Portugal. A estratégia da Disney resulta?

Por todo o mundo, o Rei Leão já fez 900 milhões de euros e em Portugal é já o filme mais visto do ano, acumulando até agora 706 mil espectadores e quase 4 milhões em receita de bilheteira. Com apenas duas semanas de exibição, já é o 13º maior filme desde 2004. É por causa de momentos como este que a Disney insiste em revisitar alguns dos seus maiores clássicos. A nostalgia é hoje o maior íman de audiências

Nuno Aguiar
O curioso caso dos patrões portugueses que não querem um mercado liberalizado

O curioso caso dos patrões portugueses que não querem um mercado liberalizado

Imagine que os sindicatos diziam “não” a um sistema mais centralizado de contratação, que daria mais poder negocial aos trabalhadores. Foi mais ou menos isso que aconteceu com os patrões portugueses. Ao contrário do que seria de esperar, as confederações patronais portuguesas não são fãs de uma liberação da contratação coletiva.

Nuno Aguiar