Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Belga Xior compra residências de estudantes à U.hub por 130 milhões de euros

Exame

Hugo Gonçalves Pereira, administrador da U.hub, num dos quartos da residência de Picoas, em Lisboa, em junho de 2018

Marcos Borga

A U.hub vende as duas residências de estudantes em operação e as quatro que estão em construção ou licenciamento. É, segundo a consultora JLL, a "maior operação deste tipo de ativos" feita até hoje no País.

A empresa belga Xior comprou por €130 milhões a rede atual e futura de residências de estudantes da portuguesa U.hub, localizadas em Lisboa e no Porto. O negócio foi anunciado esta quinta-feira, 24 de outubro, pela JLL, a consultora imobiliária que assessorou a operação. "Trata-se da maior operação deste tipo de ativos jamais realizada em Portugal," afirma a JLL em comunicado.

Os ativos vendidos compreendem duas residências em funcionamento em Lisboa, operadas pela U.hub - Alvalade e Alameda - com um total de 98 camas, a que se juntam dois projetos em construção (residência de 350 camas em Benfica, também na capital, e a primeira no Porto, na Asprela, com 450 camas), a abrir até 2020. O negócio não menciona uma outra residência que a rede tem em Picoas, Lisboa.

Na lista de vendas estão também dois projetos em fase de licenciamento, com 500 camas cada: no Lumiar, Lisboa, e Boavista, no Porto, que devem estar prontos entre 2021 e 2022. No total, entre projetos a funcionar, em construção e por licenciar, o portefólio futuro ascende às 1.900 camas.

De acordo com um comunicado da Xior, esta aquisição permitirá aumentar a atual capacidade em Portugal nas mãos da empresa para cerca de 2.235 unidades, colocando-a "na rota para se tornar a líder de mercado" no País.

A mesma nota da Xior refere que a compra será feita em duas fases, findas as quais ficará com o controlo de 100% das empresas imobiliárias que detêm os ativos. O fecho da operação está, porém, dependente do cumprimento de condições prévias. Além dos ativos imobiliários, prevê a compra de 85% da empresa que gere as operações de arrendamento e vai colaborar com a equipa fundadora em futuros empreendimentos.

Em entrevista à EXAME, há um ano, Hugo Gonçalves Pereira (administrador da empresa, na foto) dizia terem sido investidos €5 milhões nos três edifícios de Lisboa desde a primeira abertura, em 2015. No final de 2018 a maioria do capital da Uhub Student Residences, Lda.estava nas mãos dos três principais sócios: o empresário Jaime Antunes (Lusocastelo), a Atrium Investimentos e a Mogope, o family office de Hugo Gonçalves Pereira.

Em março a belga Xior tinha anunciado que iria investir €53,7 milhões na Península Ibérica, incluindo em dois projetos em Lisboa e no Porto. Na capital o investimento envolvia o desenvolvimento de uma residência com 124 unidades (254 camas) na zona de Belém, com a Odalys Portugal, detida por uma empresa francesa. No Porto estão em vista 211 unidades (420 camas) na recuperação de edifícios na Rua António Granjo. Também aqui a Odalys atuará como operador.

  • Residências universitárias: Quarto crescente

    Exame

    À boleia do aumento do número de estudantes estrangeiros e da escassez de oferta, empresas portuguesas e redes internacionais estão a investir centenas de milhões de euros em novos alojamentos. Mas mesmo a capacidade projetada fica longe de preencher as necessidades. Este texto foi originalmente publicado na edição de setembro de 2018 da revista EXAME