Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Talkdesk é o novo ‘unicórnio’ made in Portugal

Exame

Marcos Borga

É a terceira startup fundada por portugueses a garantir uma avaliação superior a mil milhões de dólares. Leia a entrevista exclusiva do fundador da empresa, Tiago Paiva, na VISÃO desta semana, já nas bancas.

A Talkdesk garantiu um financiamento de 100 milhões de dólares numa última ronda de investimento que fechou recentemente, e que avaliou a startup em 1 225 milhões de dólares. Aos 31 anos, Tiago Paiva, presidente-executivo e co-fundador da empresa, torna-se no mais jovem português a conseguir este feito, ao lado de empresários como José Neves, da Farfetch e de Paulo Rosado, fundador da OutSystems.

A Talkdesk, sediada em São Francisco, nos EUA, foi criada em 2011 por Tiago Paiva e Cristina Fonseca, que abandonaria a companhia no início de 2016. Oferece um serviço de call center alojado na cloud, que junta software de topo a Inteligência Artificial de forma a que “a interação entre uma empresa e um particular seja muito melhor do que aquilo a que estamos habituados”, resume Tiago Paiva. As empresas podem, através desta plataforma, criar um call center em cerca de cinco minutos, e sem necessidade de servidores, telefones ou quaisquer outos dispositivos para além de um computador.

A startup tornou-se agora na terceira empresa com ADN português a atingir o patamar de ‘unicórnio’, a terminologia usada para distinguir empresas de crescimento acelerado que garantem uma avaliação de mil milhões de dólares. A Farfetch foi a primeira, em 2015 - perdeu entretanto a designação por ter começado a negociar em bolsa - e a OutSystems atingiu a marca em junho deste ano.

Apesar de os valores de faturação da empresa não serem públicos, o historial da companhia faz acreditar que em 2017 esta tenha chegado aos 100 milhões de dólares. Criada há apenas sete anos e com quatro anos completos de vendas ao público, a Talkdesk tem na sua carteira clientes como a Glintt, a Dropbox ou, em Portugal, o Grupo Avillez.

Tiago Paiva falou em exclusivo à VISÃO sobre esta nova fase da empresa, num trabalho que pode ler na edição desta semana, já nas bancas.