Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Polisport: A pedalada vigorosa

Exame

D.R.

É uma pedalada adulta, num negócio infantil, em modo de expansão — o fabrico de porta-bebés e cadeiras de criança para bicicleta. Há duas etapas decisivas na vida da Polisport, fundada há 40 anos por Pedro Araújo, em Oliveira de Azeméis, até atingir o título mundial. A primeira marca a entrada (1988) do equipamento no catálogo de acessórios para bicicleta através de modelos frontais e traseiros, que combinavam conforto, segurança e design. A aquisição (2013) do concorrente holandês Bobike — Bicycle Safety Seats por cinco milhões de euros revela-se o sprint final rumo à camisola amarela.

A Bobike opera no segmento alto do mercado de porta-bebés e a operação gerou um duplo efeito virtuoso. Na frente fabril, “pelas sinergias técnicas e de investigação que as duas marcas potenciaram”. No plano comercial, pela forte exposição da Bobike em mercados cobiçados do Centro e Norte da Europa em que o fator distintivo é a qualidade. A Polisport passou a marcar a cadência do pelotão e as tendências da indústria mundial. Com 250 versões a partir de 35 modelos base, a empresa fabrica por ano meio milhão de cadeiras, o produto estrela de uma gama de acessórios plásticos para bicicletas em que pontificam capacetes, bidões e guarda-lamas.

O segmento das cadeiras representa um terço de uma faturação que em 2017 se irá aproximar de 28 milhões de euros — a exportação para 65 mercados vale 95% das vendas, com a Holanda, Alemanha, França, Suécia e Japão no pelotão da frente.

Se na Ásia se encontra o principal concorrente, é no Japão que a Polisport concentra energias para vencer os novos desafios. Está a desenvolver uma nova gama de porta-bebés ajustado às exigências do mercado japonês. Mas não abdica da sua posição na Europa Central e do Norte. Nesta fase, desenvolve dois novos modelos, que lançará em agosto na Eurobike, a maior feira de bicicletas do mundo.

Com seis bases fabris e 250 assalariados, o grupo orgulha-se de contar na sua lista de clientes com os principais operadores do mercado de bicicletas, como a Decathlon, e, na área das motos, com marcas prestigiadas como a KTM, Husqvarna ou Triumph.

Este artigo é parte integrante da Exame de Junho de 2017