Mergulhar até à Twilight Zone em busca de corais

Mergulhar até à Twilight Zone em busca de corais

Todos os anos, milhares de turistas rumam às Maldivas atraídos pelas águas cristalinas, repletas ainda por recifes de corais coloridos e cheios de vida. Nesse sentido, Luiz Rocha podia ser mais um turista, mas os corais que este cientista brasileiro procura não se encontram à distância de um mergulho de snorkeling. Para os encontrar precisa de ir mais fundo, muito mais fundo, para lá dos 30 ou 40 metros, podendo mesmo chegar aos 150. É nesta zona mesofótica, também conhecida como Twilight Zone por estar na região de transição entre a luz e a escuridão, que vamos encontrar alguns dos recifes de corais mais vibrantes, mas também menos estudados do planeta.

De facto, apesar das pessoas estarem perfeitamente familiarizadas com recifes de corais mais rasos, como a Grande Barreira de Coral da Austrália, estes mais profundos estão praticamente inexplorados e “o pouco que sabemos aprendemos no Pacífico, nas Caraíbas e no Brasil”, conta, apontando precisamente para os locais onde ele e a sua equipa, na Hope for Reefs, têm desenvolvido este trabalho pioneiro nos últimos anos. “Na maioria dos mergulhos”, brinca, “quebrávamos algum recorde ou descobríamos uma nova espécie”, mas, para se ter uma ideia do pouco que ainda conhecemos, no Pacífico a média chegou a ser dez novas espécies de peixe por uma hora de mergulho profundo − e Luiz prevê que nos recifes inexplorados das Maldivas seja ainda superior.

Estudar estes recifes mesofóticos exige técnicas de mergulho especiais, com mistura de gases e ar reciclado, nas quais Luiz Rocha é um dos poucos cientistas do mundo certificados para o fazer. “Demoramos entre cinco a dez minutos para chegar aos 100 ou 150 metros, que é geralmente a nossa profundidade máxima. Depois, temos mais cinco ou dez minutos para estudar e registar os corais e os peixes que neles habitam − sempre com um olho nos sistemas de respiração, porque a esta profundidade nada pode falhar. Ao fim desse tempo temos de largar tudo e regressar à superfície, algo que pode demorar até cinco horas.” Um regresso lento, explicado pela necessidade de fazer a descompressão.

Apesar dos perigos, não há nada que Luiz Rocha goste mais de fazer do que explorar os oceanos. Isto desde os seus 5 ou 6 anos, quando “já sabia que queria ser biólogo”. Como cresceu numa cidade costeira, em João Pessoa, “aproveitava todas as ocasiões para ir para o mar”. Foi na adolescência que começou a dar os primeiros mergulhos “mais a sério” e, desde então, já passou mais de seis mil horas debaixo de água, participando em 70 expedições científicas, metade das quais lideradas por ele. A formação académica levá-lo-ia aos Estados Unidos da América, onde tirou o doutoramento em Ciências Aquáticas e de Pesca, na Universidade da Flórida, tornando-se um dos maiores especialistas mundiais em ictiologia (o ramo da zoologia que estuda os peixes). Nessa qualidade, já avaliou as condições de preservação de mais de 500 espécies para a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). Tornou-se igualmente professor na Academia de Ciências da Califórnia, onde codirige o projeto Hope for Reefs que, como o nome indica, pretende salvar os recifes de corais.

Nunca será demais salientar a importância destes organismos vivos, nem as ameaças que enfrentam. Os recifes ocupam apenas 1% da superfície do oceano, mas são responsáveis por cerca de 25% de toda a vida marinha, desde os pequenos pólipos de coral, que constituem a base do recife, até às espécies de peixes e tubarões, que nele habitam. Apesar disso, já perdemos um quarto dos recifes mundiais, 75% estão sob forte pressão e as previsões não são as mais animadoras, porque se estima a morte de mais 30% nos próximos 30 anos.

Como resultado das muitas expedições que lidera, Luiz Rocha publica inúmeros artigos avaliando as condições de preservação destes recifes e alertando para o estado da sua conservação: “Os recifes profundos são esquecidos ou negligenciados por aqueles que deveriam legislar para os proteger. Corremos, efetivamente, o risco de muitos desaparecerem antes de os termos estudado.” 

É neste contexto que a equipa do Hope for Reefs se prepara para explorar o arquipélago das Maldivas. “No Índico, não existem estudos realizados em qualquer recife a mais de 60 metros de profundidade, e esse foi um dos principais motivos que me levaram a escolher a região.” Até porque, aqui, a missão passa ainda por “pesquisar a sua capacidade para abrigar espécies em risco, oriundas dos recifes mais rasos”.

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Mais na Visão

Mais Notícias

Quantos pares de ténis tem Raquel Tavares?

Quantos pares de ténis tem Raquel Tavares?

JL 1357

JL 1357

Adivinhe quanto custa este casaco de inspiração Chanel? (Damos uma pista: é acessível)

Adivinhe quanto custa este casaco de inspiração Chanel? (Damos uma pista: é acessível)

Fátima Lopes inaugura nova loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa

Fátima Lopes inaugura nova loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa

EXAME 464 - Dezembro de 2022

EXAME 464 - Dezembro de 2022

O centenário de Saramago

O centenário de Saramago

Abra as portas ao Natal e vista a casa a rigor

Abra as portas ao Natal e vista a casa a rigor

Mais de 1,1 milhões de seringas distribuídas em 2021 a utilizadores de drogas

Mais de 1,1 milhões de seringas distribuídas em 2021 a utilizadores de drogas

"Wednesday", na Netflix: Uma aberração pop na nova série de Tim Burton

A 58.ª edição da Capital do Móvel abre portas, na Alfândega do Porto, dia 26

A 58.ª edição da Capital do Móvel abre portas, na Alfândega do Porto, dia 26

Prémio Pedro Oliveira celebra inovação

Prémio Pedro Oliveira celebra inovação

7 livros novos em bom português

7 livros novos em bom português

VISÃO Júnior de dezembro de 2022

VISÃO Júnior de dezembro de 2022

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

Letizia recupera o seu fato de plumas

Letizia recupera o seu fato de plumas

Sugestões de decoração de Natal

Sugestões de decoração de Natal

As fotos do jantar de Natal da Nespresso

As fotos do jantar de Natal da Nespresso

Filha de Kate e William poderá ser a próxima duquesa de Edimburgo

Filha de Kate e William poderá ser a próxima duquesa de Edimburgo

Design, música e tecnologia no novo livro da Phaidon

Design, música e tecnologia no novo livro da Phaidon

Esperança de vida aos 65 anos estimada em 19,30 anos no último triénio

Esperança de vida aos 65 anos estimada em 19,30 anos no último triénio

Receita de Pão de sementes (sem glúten), por Francisco Silva, Paula Ruivo e Ana Henriques

Receita de Pão de sementes (sem glúten), por Francisco Silva, Paula Ruivo e Ana Henriques

Brain snack: onde nasceu a bolacha mais famosa do país?

Brain snack: onde nasceu a bolacha mais famosa do país?

Estamos em plena peak season. E agora?

Estamos em plena peak season. E agora?

Eco-Rally de Lisboa: os elétricos passaram pela capital

Eco-Rally de Lisboa: os elétricos passaram pela capital

Karumi, novo banco de Álvaro Siza Vieira

Karumi, novo banco de Álvaro Siza Vieira

A melhor bebida para manter uma pele bonita o ano todo

A melhor bebida para manter uma pele bonita o ano todo

Cristiano Ronaldo assina contrato

Cristiano Ronaldo assina contrato

JL 1359

JL 1359

Fátima Lopes inaugura nova loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa

Fátima Lopes inaugura nova loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa

Gautam Adani. O Rockefeller da economia indiana que se tornou no terceiro mais rico do mundo

Gautam Adani. O Rockefeller da economia indiana que se tornou no terceiro mais rico do mundo

Jardim Zoológico de Lisboa tem nova cria de veado-da-birmânia, uma espécie em perigo

Jardim Zoológico de Lisboa tem nova cria de veado-da-birmânia, uma espécie em perigo

Matilde Breyner: “Interromper a gravidez foi um ato de amor”

Matilde Breyner: “Interromper a gravidez foi um ato de amor”

Hospital de Almada garante reforço da equipa das urgências em dezembro

Hospital de Almada garante reforço da equipa das urgências em dezembro

Raimundo apela à mobilização nas ruas para reconquistar direitos que

Raimundo apela à mobilização nas ruas para reconquistar direitos que "não caem no colo"

A nova foto de Harry e Meghan que contraria os rumores de separação

A nova foto de Harry e Meghan que contraria os rumores de separação

Sennheiser Momentum 4 em análise: Pretendente ao trono

Sennheiser Momentum 4 em análise: Pretendente ao trono

Agenda fim de semana: já sabe o que vai fazer com as crianças?

Agenda fim de semana: já sabe o que vai fazer com as crianças?

Passatempos: vê o que podes ganhar este mês!

Passatempos: vê o que podes ganhar este mês!

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os "looks" de Letizia na entrega dos prémios Francisco Cerecedo

Eduardo Carpinteiro Albino e José Carlos Figueiredo vencem Campeonato de Portugal de Novas Energias

Eduardo Carpinteiro Albino e José Carlos Figueiredo vencem Campeonato de Portugal de Novas Energias

Polícia chinesa procura Instagram, Twitter e Telegram nos telemóveis dos cidadãos

Polícia chinesa procura Instagram, Twitter e Telegram nos telemóveis dos cidadãos

Cientistas criam vacina contra a infeção urinária

Cientistas criam vacina contra a infeção urinária