Em contrarrelógio para salvar os cavalos-marinhos da ria Formosa

Em contrarrelógio para salvar os cavalos-marinhos da ria Formosa

Em poucos anos passámos de uma comunidade com quase dois milhões de cavalos-marinhos na ria Formosa, de longe a maior densidade populacional em todo o mundo, para pouco mais de 150 mil indivíduos. A devastação foi de tal ordem − em menos de duas décadas − que seria necessária uma dose extra de fé para acreditar no milagre da multiplicação destes peixes. No entanto, Miguel Correia, investigador do Centro de Ciências do Mar (CCMar) da Universidade do Algarve, acredita que temos razões para estar otimistas. Justifica-o com a criação de duas zonas de proteção na ria: “Uma coisa fantástica, que nunca pensei que pudesse vir a acontecer.

Não é fácil descobrir um cavalo-marinho na Natureza. São animais extremamente pequenos, com uma capacidade de camuflagem impressionante. “É como encontrar o Wally”, brinca. Depois de incontáveis mergulhos à sua procura, Miguel realizou os últimos censos à população na ria, consagrando os seus dias a estudar o pequeno peixe. Coordena também, a nível europeu, as ações no âmbito da União Internacional para a Conservação da Natureza.

Mas o que se passou, então, para chegarmos a um panorama tão desolador? Como se formou o que nas palavras do biólogo foi uma “tempestade perfeita”, que atingiu tão fortemente a população de cavalos-marinhos na ria?

Miguel Correia durante um trabalho de campo na ria Formosa.

Parte da explicação encontra-se nas alterações climáticas, e no consequente aumento da temperatura das águas, que trouxe duas espécies invasoras: o caranguejo-azul do Mediterrâneo, um dos poucos (potenciais) predadores dos cavalos-marinhos, e uma alga que veio competir com as pradarias, o habitat natural da espécie. “O nome científico é Caulerpa prolífera, o que dá uma boa ideia da sua capacidade para se expandir.” Porém nada bate a ação direta do homem, começando pelo “excesso de tráfego marítimo, sobretudo na altura do verão, quando inúmeros barcos fundeiam em zonas de pradaria e destroem ainda mais o habitat com as suas âncoras”, e terminando na pesca ilegal, responsável “pelo desaparecimento de centenas de milhares de indivíduos”.

Estima-se que todos os anos sejam mortos 70 milhões de cavalos-marinhos no mundo − para alimentar a procura crescente da medicina tradicional chinesa, que utiliza estes animais para curar maleitas como a asma e à impotência sexual. Na ria Formosa, o alerta soou em 2016, quando surgiram os primeiros relatos de “pescadores que se vangloriaram de terem apanhado 400 e 500 cavalos-marinhos”. Relatos rapidamente confirmados por apreensões, algumas até em Espanha. “Antigamente”, conta o investigador do CCMar, “existia a tradição de secar e oferecer como amuleto, mas nunca houve o propósito específico de os apanhar”.

No laboratório do CCMar, na Universiade de Faro, onde faz a criação de cavalos marinhos.

Alertada para o problema em 2018, a Fundação Oceano Azul montou uma campanha de sensibilização (que tem Miguel Correia como consultor científico) junto da população local, “procurando sempre incluir todos os intervenientes”, as empresas marítimo-turísticas, os pescadores, “que na sua maioria nunca aderiram a este comércio ilegal”, a autoridade marítima, os municípios, o CCMar, o Instituto da Conservação da Natureza e a Agência Portuguesa do Ambiente. “Conseguimos montar um projeto com um alcance abrangente” e o início de uma ação que levou à criação das duas zonas protegidas, onde os cavalos-marinhos terão todas as condições para prosperar. O trabalho de base está feito e “os sinais de mobilização das populações” e a “crescente preocupação dos municípios com a proteção da biodiversidade” justificam o otimismo de Miguel Correia, de que ainda será possível recuperar as populações na ria Formosa.

O objetivo agora será tentar mapear toda a costa portuguesa (São Miguel, nos Açores, Sesimbra, os estuários do Sado, do Tejo e a ria de Aveiro são alguns dos locais já identificados) e juntar esses dados aos de outras regiões no Atlântico e no Mediterrâneo onde também existem as duas espécies presentes em Portugal. Isto irá permitir à União Internacional para a Conservação da Natureza definir um estatuto de proteção − algo que estranhamente ainda não acontece “precisamente por não existirem dados suficientes”. A classificação parece urgente, basta recordar, como Miguel fez, um mergulho feito em 2012 onde encontrou mais de 120 cavalos-marinhos, “mais recentemente voltei a esse local e já só restava um!”

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Mais na Visão

Mais Notícias

Máxima da Holanda surpreende com visual em tons de cinzento e preto em entrega de prémio em Amesterdão

Máxima da Holanda surpreende com visual em tons de cinzento e preto em entrega de prémio em Amesterdão

Recrie o look chique de Catarina Gouveia

Recrie o look chique de Catarina Gouveia

Clara de Sousa comemora aniversário:

Clara de Sousa comemora aniversário: "Tenho mais um motivo para sorrir com a família a crescer"

É a mala mais cara do mundo e Georgina Rodríguez tem uma

É a mala mais cara do mundo e Georgina Rodríguez tem uma

Palácio de Buckingham afasta funcionária após ato racista durante evento da rainha Camilla

Palácio de Buckingham afasta funcionária após ato racista durante evento da rainha Camilla

Esperança de vida aos 65 anos estimada em 19,30 anos no último triénio

Esperança de vida aos 65 anos estimada em 19,30 anos no último triénio

Truques para cozinhar sempre bem a massa

Truques para cozinhar sempre bem a massa

Um Calendário do Advento cheio de ideias e presentes!

Um Calendário do Advento cheio de ideias e presentes!

7 livros novos em bom português

7 livros novos em bom português

Manifestação no Campus de Justiça em solidariedade com ativistas em julgamento

Manifestação no Campus de Justiça em solidariedade com ativistas em julgamento

Wall&gami: fazer da arte do origami uma peça de decoração

Wall&gami: fazer da arte do origami uma peça de decoração

O novo romance de Lídia Jorge

O novo romance de Lídia Jorge

Em “Sangue Oculto”: Benedita opera a filha de Carolina e salva-a

Em “Sangue Oculto”: Benedita opera a filha de Carolina e salva-a

Álvaro Pacheco deixa de ser treinador do Vizela, clube que 'subiu' duas vezes

Álvaro Pacheco deixa de ser treinador do Vizela, clube que 'subiu' duas vezes

Volta a Portugal em design nos dois apartamentos da Santo Infante

Volta a Portugal em design nos dois apartamentos da Santo Infante

Os Melhores & As Maiores do Portugal Tecnológico 2022: conheça os vencedores

Os Melhores & As Maiores do Portugal Tecnológico 2022: conheça os vencedores

Portugal mantém uma das prevalências mais elevadas da diabetes da Europa

Portugal mantém uma das prevalências mais elevadas da diabetes da Europa

Girl Talk: este País não é para nós

Girl Talk: este País não é para nós

Livros: O melhores de 2022

Livros: O melhores de 2022

Abra as portas ao Natal e vista a casa a rigor

Abra as portas ao Natal e vista a casa a rigor

5 dicas para proteger a casa no Inverno

5 dicas para proteger a casa no Inverno

Quanto valem os dados que não usamos?

Quanto valem os dados que não usamos?

O centenário de Saramago

O centenário de Saramago

Sarah Ferguson poderá passar o Natal com a família real britânica pela primeira vez em 30 anos

Sarah Ferguson poderá passar o Natal com a família real britânica pela primeira vez em 30 anos

Fátima Lopes inaugura nova loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa

Fátima Lopes inaugura nova loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1552

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1552

As maiores fortunas de Portugal na capa da EXAME de Dezembro

As maiores fortunas de Portugal na capa da EXAME de Dezembro

Lancia ‘renasce’ como marca 100% elétrica

Lancia ‘renasce’ como marca 100% elétrica

Balenciaga retira campanha e pede desculpa

Balenciaga retira campanha e pede desculpa

Mortandade de bivalves na ria Formosa ameaça sustentabilidade da amêijoa

Mortandade de bivalves na ria Formosa ameaça sustentabilidade da amêijoa

Passatempos: vê o que podes ganhar este mês!

Passatempos: vê o que podes ganhar este mês!

Provincia: Do Alentejo para Lisboa, com Itália na bagagem

Provincia: Do Alentejo para Lisboa, com Itália na bagagem

João de Carvalho internado de urgência com quadro de desorientação e perdas de memória

João de Carvalho internado de urgência com quadro de desorientação e perdas de memória

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

Joana Freitas restaura casa de banho preferida dos seguidores com Cinacryl

Joana Freitas restaura casa de banho preferida dos seguidores com Cinacryl

Eco-Rally de Lisboa: os elétricos passaram pela capital

Eco-Rally de Lisboa: os elétricos passaram pela capital

VOLT Live: carros elétricos são a melhor solução para frotas de empresas?

VOLT Live: carros elétricos são a melhor solução para frotas de empresas?

A 58.ª edição da Capital do Móvel abre portas, na Alfândega do Porto, dia 26

A 58.ª edição da Capital do Móvel abre portas, na Alfândega do Porto, dia 26

Primeira operação robótica ao pâncreas em Portugal facilita recuperação

Primeira operação robótica ao pâncreas em Portugal facilita recuperação

JL 1360

JL 1360

Marta Melro em lágrimas com mensagem de Vintém

Marta Melro em lágrimas com mensagem de Vintém

Google paga a influencers para promoverem smartphone Pixel que nunca usaram

Google paga a influencers para promoverem smartphone Pixel que nunca usaram