“Temos de puxar o travão de emergência. JÁ!”

“Temos de puxar o travão de emergência. JÁ!”

Vreni Häussermann tem a sorte de trabalhar num dos últimos lugares selvagens do mundo, rodeada por montanhas cobertas de neve e pelas águas frias do Pacífico. O clima agreste e a localização remota sempre preservaram a Patagónia, mas já nem este paraíso escapa à cobiça humana. “Nos últimos 15 anos, tudo mudou, sobretudo com a criação de salmão junto à costa”, explica a bióloga marinha, que há mais de duas décadas estuda a região.

O aumento exponencial do tráfego marítimo, da pesca e da poluição é um grande problema, mas a proliferação de quintas de salmão tem consequências gravíssimas, com o depósito de nutrientes, químicos e antibióticos no meio ambiente e, com eles, a eutrofização, o boom de algas, a diminuição de oxigénio e, é claro, o declínio das populações.

Vreni a mergulhar entre anémonas do mar na Patagónia (

“Estamos a atravessar a maior crise de biodiversidade de sempre, e temos de puxar o travão de emergência. JÁ!”, diz, exaltada. “Os sacrifícios que tivermos de fazer agora são uma pequena fração do que as gerações futuras vão sofrer devido à nossa ignorância.”

Entre os muitos problemas que Vreni enfrenta está a dimensão da Patagónia chilena. É a maior região de fiordes do mundo, com cerca de 100 mil quilómetros de costa, o equivalente a dar a volta ao mundo duas vezes – e ainda sobravam uns milhares de quilómetros… “É extraordinariamente difícil, tendo em conta que somos os únicos cientistas a estudar a comunidade de invertebrados marinhos.” Esta é, aliás, a sua especialidade. Uma classificação que engloba estrelas do mar, corais e anémonas, mas também crustáceos e moluscos, seres muitas vezes esquecidos.

“Os sacrifícios que tivermos de fazer agora são uma pequena fração do que as gerações futuras vão sofrer devido à nossa ignorância”

“A biodiversidade”, explica, “não é apoiada como devia. A maioria dos fundos vai para os mamíferos e para as aves, deixando de fora 95% das espécies”. É o que acontece com os invertebrados, especialmente as anémonas, a sua grande paixão, ao ponto de ter dado o nome dos filhos a duas novas espécies: “Isoparactis fionae” e “Isoparactis fabiani”, em honra de Fiona e Fabian. “Eram especialmente bonitas e, por coincidência, espécies irmãs, o que tornou a escolha ainda mais óbvia”, responde, com um sorriso.

Häussermann até se apaixonou pelo oceano nos antípodas dos fiordes chilenos, nas águas quentes do Mediterrâneo, para onde viajava com a família. Estes surgiram no final dos anos 90, quando visitou a região com o colega Günter Försterra, ambos com uma bolsa da Universidade de Munique, onde concluíam o curso de Biologia Marinha. Foi amor à primeira vista. Pelos fiordes e um pelo outro: desde então, trabalham juntos, casaram-se, tiveram dois filhos e nunca mais abandonaram a região.

A explorar a diversidade da vida marinha nos fiordes da Patagónia

Em 2003, Vreni assumiu a liderança do Centro Científico Huinay, o único centro de investigação da região. Ao todo, já classificaram cerca de 100 novas espécies e têm perto do dobro em laboratório, por catalogar, mas, “infelizmente, os taxonomistas extinguem-se ao mesmo ritmo das espécies”. “Ninguém quer apoiar este tipo de trabalho, que é a base de todas as outras pesquisas. O meu caso é sintomático. Nem o reconhecimento internacional como cientista me garante os meios para desenvolver o trabalho. Estamos em plena crise de biodiversidade e não temos os fundos necessários para estudar… a biodiversidade! O problema não é suficientemente reconhecido.”

A regressar de um mergulho, no laboratório da estação científica de Huinay (Ambroise Tézanas/Rolex)

Isto apesar de já ter publicado mais de uma centena de trabalhos científicos e recebido distinções como o Pew Charitable Trusts Award, o Friedrich-Wilhelm Bessel Award e os Rolex Awards for Enterprise. Estes prémios são um dos seus maiores orgulhos profissionais, especialmente o último, que, “pelo seu prestígio, permitiu dar a conhecer o trabalho desenvolvido na Patagónia chilena em todo o mundo e explicar o que precisamos de proteger para as gerações futuras”. Este é o trabalho da sua vida. Por isso, “não vai desistir até que as pessoas aprendam a dar valor à vida marinha e se lembrem dos negligenciados invertebrados da Patagónia”.

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Relacionados

Mais na Visão

Mais Notícias

Letizia e o aperto de mão que está a dar que falar

Letizia e o aperto de mão que está a dar que falar

Lourenço Ódin Cunha vai ser pai de uma menina

Lourenço Ódin Cunha vai ser pai de uma menina

Polestar 2 em teste:

Polestar 2 em teste: "OK Google, o que achas deste carro?"

"Maria Antónia Leite Siza: 50 anos depois", em Serralves: A celebração de uma vida breve

Tendências: colegial

Tendências: colegial

Sony FX30: Uma câmara de entrada de gama para futuros cineastas

Sony FX30: Uma câmara de entrada de gama para futuros cineastas

House of the Dragon: Estas mulheres vão dar cabo de nós

House of the Dragon: Estas mulheres vão dar cabo de nós

Morgado do Quintão inunda Algarve com três dias de arte e cultura

Morgado do Quintão inunda Algarve com três dias de arte e cultura

SUV elétrico Polestar 3 é lançado a 12 de outubro

SUV elétrico Polestar 3 é lançado a 12 de outubro

Andreia Vale e Duarte Gonçalves revelam o sexo do bebé

Andreia Vale e Duarte Gonçalves revelam o sexo do bebé

A PRIMA gosta dos pratos da Casa Davolta, dos novos modelos Hunter e do regresso do Chefs on Fire

A PRIMA gosta dos pratos da Casa Davolta, dos novos modelos Hunter e do regresso do Chefs on Fire

Estes miúdos resolvem problemas com a ajuda da tecnologia

Estes miúdos resolvem problemas com a ajuda da tecnologia

Casa Dentro: Não perca, dia 6 de outubro, a conversa com Vítor Sobral

Casa Dentro: Não perca, dia 6 de outubro, a conversa com Vítor Sobral

A experiência de 'Miúdos a Votos' nos Domínios de Autonomia Curricular

A experiência de 'Miúdos a Votos' nos Domínios de Autonomia Curricular

Quer ter sucesso a decorar a sua casa?

Quer ter sucesso a decorar a sua casa?

Monção colheu menos uvas, mas boa qualidade promete Alvarinho de excelência

Monção colheu menos uvas, mas boa qualidade promete Alvarinho de excelência

Ministério do Ambiente também apoiará financeiramente movimento

Ministério do Ambiente também apoiará financeiramente movimento "Mulheres pelo Clima"

O Senhor Gonçalo M. Tavares

O Senhor Gonçalo M. Tavares

“Acreditamos muito nisto. Acreditamos que o próximo ano será um ano de explosão”

“Acreditamos muito nisto. Acreditamos que o próximo ano será um ano de explosão”

Pó

As figuras da PRIMA 17

As figuras da PRIMA 17

Polestar 2 em teste:

Polestar 2 em teste: "OK Google, o que achas deste carro?"

SUV elétrico Polestar 3 é lançado a 12 de outubro

SUV elétrico Polestar 3 é lançado a 12 de outubro

Sem títulos e afastados da realeza: como é a relação da rainha Camilla com os filhos?

Sem títulos e afastados da realeza: como é a relação da rainha Camilla com os filhos?

Programa YOUTH, dedicado a jovens mulheres, com candidaturas abertas

Programa YOUTH, dedicado a jovens mulheres, com candidaturas abertas

Os sapatos da Zara que as mulheres com mais estilo usam… e vão esgotar

Os sapatos da Zara que as mulheres com mais estilo usam… e vão esgotar

Escape Hunt Lisboa: Vamos à Feira Popular?

Escape Hunt Lisboa: Vamos à Feira Popular?

Trussardi apresenta coleção primavera-verão 2023 na Semana da Moda de Milão

Trussardi apresenta coleção primavera-verão 2023 na Semana da Moda de Milão

Do planeta imaginário para a terra real

Do planeta imaginário para a terra real

Volvo EX90, o SUV 100% elétrico vai ter LiDAR

Volvo EX90, o SUV 100% elétrico vai ter LiDAR

20 peças para um regresso ao escritório em estilo

20 peças para um regresso ao escritório em estilo

Cadeira R.U.M.: filha do mar

Cadeira R.U.M.: filha do mar

Como é feito o guarda-roupa de um concorrente de “Big Brother”? A especialista conta

Como é feito o guarda-roupa de um concorrente de “Big Brother”? A especialista conta

Clementine Poppy, a herdeira de Claudia Schiffer

Clementine Poppy, a herdeira de Claudia Schiffer

Com visuais sofisticados, família real da Suécia marca presença na abertura do Parlamento

Com visuais sofisticados, família real da Suécia marca presença na abertura do Parlamento

Elma Aveiro deslumbra em Braga, no seu “Fashion Show”. Veja as imagens

Elma Aveiro deslumbra em Braga, no seu “Fashion Show”. Veja as imagens

Investigadores da FMUP estudam diferenças entre sexos na insuficiência cardíaca

Investigadores da FMUP estudam diferenças entre sexos na insuficiência cardíaca

As medidas (imposições e recomendações) do Governo para poupar energia

As medidas (imposições e recomendações) do Governo para poupar energia

Tons terra e brancos marcam coleção primavera-verão 2023 da Fendi

Tons terra e brancos marcam coleção primavera-verão 2023 da Fendi

Covid-19: Índice de transmissão do vírus volta a subir para os 1,06 em Portugal

Covid-19: Índice de transmissão do vírus volta a subir para os 1,06 em Portugal

Hospitais privados exigem que ADSE atualize os preços

Hospitais privados exigem que ADSE atualize os preços

Bem-vindo, outono!

Bem-vindo, outono!