“Temos de puxar o travão de emergência. JÁ!”

Vreni Häussermann tem a sorte de trabalhar num dos últimos lugares selvagens do mundo, rodeada por montanhas cobertas de neve e pelas águas frias do Pacífico. O clima agreste e a localização remota sempre preservaram a Patagónia, mas já nem este paraíso escapa à cobiça humana. “Nos últimos 15 anos, tudo mudou, sobretudo com a criação de salmão junto à costa”, explica a bióloga marinha, que há mais de duas décadas estuda a região.

O aumento exponencial do tráfego marítimo, da pesca e da poluição é um grande problema, mas a proliferação de quintas de salmão tem consequências gravíssimas, com o depósito de nutrientes, químicos e antibióticos no meio ambiente e, com eles, a eutrofização, o boom de algas, a diminuição de oxigénio e, é claro, o declínio das populações.

Vreni a mergulhar entre anémonas do mar na Patagónia (

“Estamos a atravessar a maior crise de biodiversidade de sempre, e temos de puxar o travão de emergência. JÁ!”, diz, exaltada. “Os sacrifícios que tivermos de fazer agora são uma pequena fração do que as gerações futuras vão sofrer devido à nossa ignorância.”

Entre os muitos problemas que Vreni enfrenta está a dimensão da Patagónia chilena. É a maior região de fiordes do mundo, com cerca de 100 mil quilómetros de costa, o equivalente a dar a volta ao mundo duas vezes – e ainda sobravam uns milhares de quilómetros… “É extraordinariamente difícil, tendo em conta que somos os únicos cientistas a estudar a comunidade de invertebrados marinhos.” Esta é, aliás, a sua especialidade. Uma classificação que engloba estrelas do mar, corais e anémonas, mas também crustáceos e moluscos, seres muitas vezes esquecidos.

“Os sacrifícios que tivermos de fazer agora são uma pequena fração do que as gerações futuras vão sofrer devido à nossa ignorância”

“A biodiversidade”, explica, “não é apoiada como devia. A maioria dos fundos vai para os mamíferos e para as aves, deixando de fora 95% das espécies”. É o que acontece com os invertebrados, especialmente as anémonas, a sua grande paixão, ao ponto de ter dado o nome dos filhos a duas novas espécies: “Isoparactis fionae” e “Isoparactis fabiani”, em honra de Fiona e Fabian. “Eram especialmente bonitas e, por coincidência, espécies irmãs, o que tornou a escolha ainda mais óbvia”, responde, com um sorriso.

Häussermann até se apaixonou pelo oceano nos antípodas dos fiordes chilenos, nas águas quentes do Mediterrâneo, para onde viajava com a família. Estes surgiram no final dos anos 90, quando visitou a região com o colega Günter Försterra, ambos com uma bolsa da Universidade de Munique, onde concluíam o curso de Biologia Marinha. Foi amor à primeira vista. Pelos fiordes e um pelo outro: desde então, trabalham juntos, casaram-se, tiveram dois filhos e nunca mais abandonaram a região.

A explorar a diversidade da vida marinha nos fiordes da Patagónia

Em 2003, Vreni assumiu a liderança do Centro Científico Huinay, o único centro de investigação da região. Ao todo, já classificaram cerca de 100 novas espécies e têm perto do dobro em laboratório, por catalogar, mas, “infelizmente, os taxonomistas extinguem-se ao mesmo ritmo das espécies”. “Ninguém quer apoiar este tipo de trabalho, que é a base de todas as outras pesquisas. O meu caso é sintomático. Nem o reconhecimento internacional como cientista me garante os meios para desenvolver o trabalho. Estamos em plena crise de biodiversidade e não temos os fundos necessários para estudar… a biodiversidade! O problema não é suficientemente reconhecido.”

A regressar de um mergulho, no laboratório da estação científica de Huinay (Ambroise Tézanas/Rolex)

Isto apesar de já ter publicado mais de uma centena de trabalhos científicos e recebido distinções como o Pew Charitable Trusts Award, o Friedrich-Wilhelm Bessel Award e os Rolex Awards for Enterprise. Estes prémios são um dos seus maiores orgulhos profissionais, especialmente o último, que, “pelo seu prestígio, permitiu dar a conhecer o trabalho desenvolvido na Patagónia chilena em todo o mundo e explicar o que precisamos de proteger para as gerações futuras”. Este é o trabalho da sua vida. Por isso, “não vai desistir até que as pessoas aprendam a dar valor à vida marinha e se lembrem dos negligenciados invertebrados da Patagónia”.

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Tenha acesso ilimitado a toda a biblioteca digital enquanto espera pela próxima edição

Comece a ler já hoje!

Leia já!

Relacionados

Oceano de Esperança

“É quase tão difícil ir à Lua como ao fundo dos oceanos”

Tiago Rebelo lidera, no CEiiA, um projeto de robôs submarinos que vão estudar o mar português, produzir conhecimento científico até agora impossível de alcançar e ajudar a confirmar Portugal como um país do tamanho da União Europeia – com 97% de mar

Oceano de Esperança

Menos de 10% dos milhões de toneladas de plásticos produzidos todos os anos são reciclados. Mas Miranda quer mudar isso

Miranda Wang é uma jovem cientista canadiana que descobriu uma solução para minorar o problema do plástico no mundo. Como? Conseguindo reciclar o que até agora ainda era desperdiçado

Oceano de Esperança

“É uma atrocidade contra o planeta e contra a espécie humana”

Descobriu uma nova espécie invasora nos mares à qual deu um nome científico inspirado: Plasticus Maritimus. Desde então que a bióloga Ana Pêgo se dedica a combater este flagelo

Oceano de Esperança

“Numa semana, corais saudáveis, vibrantes e cheios de cor ficaram completamente brancos”

A jovem bióloga inglesa Emma Camp está numa corrida para salvar a Grande Barreira de Coral na Austrália. Será que vai a tempo?

Oceano de Esperança

“Os tubarões azuis nos Açores tinham todos marcas de ‘encontros’ com os humanos”

Nuno Sá é o nosso mais prestigiado cameramen subaquático e já viu de tudo: paisagens virgens, profundezas misteriosas, espécies fascinantes, mas também animais feridos por humanos e rios de lixo

Mais na Visão

Política

Covid-19: Costa destaca que foram administradas 183 mil vacinas entre sábado e hoje

O primeiro-ministro destacou que foram administradas hoje e no sábado 183 mil vacinas contra a covid-19, considerando que Portugal caminha para cumprir os objetivos do plano de vacinação

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Sindicato dos médicos alerta para possível "catástrofe" na saúde e pede "verdadeira retoma" no SNS

O Sindicato Independente dos Médicos alertou hoje que os atrasos causados pela pandemia no SNS podem provocar uma "catástrofe" e desafiou o Governo a implementar uma "verdadeira retoma"

Ideias

"Muitos humanos preferem acreditar que somos a espécie mais inteligente, mas a única forma de obtermos uma avaliação realista disso seria procurar por outras"

O astrofísico Avi Loeb, a voz mais proeminente na defesa da existência de vida extraterrestre inteligente, em entrevista à VISÃO

Sociedade

Vídeo de OVNI triangular é verdadeiro, confirma Pentágono

O Departamento de Estado dos EUA não esclarece, porém, se já identificou a aeronave filmada pela Marinha em espaço aéreo norte-americano. Veja o vídeo

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Vacina da J&J deve ser retomada com "restrições" nos Estados Unidos, diz Fauci

A vacina da Johnson & Johnson, suspensa nos EUA e na Europa, deve voltar a ser administrada nos próximos dias, possivelmente "com restrições", disse Anthony Fauci, consultor para a pandemia

Mundo

Descarrilamento de comboio no Egito provoca 100 feridos

O descarrilamento de um comboio de passageiros no norte do Cairo, no Egito, provocou hoje cerca de 100 feridos, referem as autoridades egípcias citadas pela Associated Press (AP)

Desporto

Rochele Nunes conquista medalha de bronze em +78 kg nos europeus de judo

Judoca Rochele Nunes conquistou a medalha de bronze na categoria de +78 kg nos Europeus de Lisboa, ao precisar apenas de 50 segundos para vencer a ucraniana Yelyzaveta Kalanina, por 'ippon'

Sociedade

Covid-19: Portugal regista mais três mortes, 441 novos casos e subida dos internamentos

Portugal contabilizou hoje mais três mortes relacionadas com a pandemia de covid-19 e 441 novos casos de infeção, segundo a DGS, que regista um aumento dos internamentos

Mundo

Isabel II, a rainha que (quase) nunca chora

Esconder as emoções em público é uma opção estratégica para a qual se preparou desde cedo e que se esforçou por manter no funeral do príncipe Filipe, o seu companheiro de vida

Fotografia

20 imagens que mostram como o "G10 das Favelas" combate a fome em plena pandemia

Foram entregues, na maior favela de São Paulo, centenas de cabazes de alimentação. Até ao fim do mês devem ser entregues 30 mil toneladas de alimentos

Desporto

MotoGP/Portugal: Fabio Quartararo vence em dia de queda para Miguel Oliveira

O francês Fabio Quartararo (Yamaha) venceu hoje o Grande Prémio de Portugal de MotoGP, terceira corrida, em que o português Miguel Oliveira (KTM) foi 16.º após uma queda à sexta volta

Política

Três migrantes clandestinos a bordo de cargueiro detetados no porto de Lisboa

Três pessoas que viajavam de forma clandestina na porta do leme de um navio cargueiro com bandeira da Libéria foram hoje impedidas de entrar em Portugal, disse à agência Lusa o comandante local da Polícia Marítima de Lisboa