“É uma atrocidade contra o planeta e contra a espécie humana”

Foto: José Carlos Carvalho

É impossível ignorar a baleia na sala, até porque se trata de um esqueleto com dez metros de comprimento, feito exclusivamente de plásticos brancos apanhados na praia. Uma peça de “artivismo” apontada ao problema do plástico nos oceanos que, apesar de todas as campanhas, continua a crescer à razão de mil toneladas por hora, o equivalente a um camião TIR cheio de plástico por minuto. Todos os minutos. “Uma atrocidade contra o planeta e contra a espécie humana”, comenta à VISÃO Ana Pêgo, bióloga marinha e coautora desta Baelena Plasticus que, depois de cumprido o trabalho em muitas exposições, repousa agora no quintal desta investigadora e educadora extraordinária: “Gosto muito de misturar ciência, arte e biologia para tentar fazer com que as pessoas conheçam e gostem dos oceanos, porque só assim vão estar predispostas a protegê-los.”

Nascida e criada junto à Praia das Avencas, na Parede, estudou Biologia Marinha na Universidade do Algarve e trabalhou dez anos como investigadora no Laboratório Marítimo da Guia, em Cascais, antes de enveredar por esta área da Educação Ambiental.

Ana Pêgo admite que despertou para o problema dos plásticos por volta de 2011: “O plástico já ali estava, mesmo à minha frente, só nunca tinha feito esse clique.” Mas desde então que se dedica de corpo e alma a esta luta: “Comecei a limpar a praia compulsivamente. Chegava a ir de noite, e a minha família já se interrogava se eu não teria enlouquecido.” Era uma luta naturalmente inglória, e o entusiasmo acabou por dar lugar à angústia e à indignação: “Como era possível que mais ninguém estivesse preocupado com este problema?!”, perguntava-se. “Claro que havia quem estivesse, como a professora Paula Sobral (presidente da Associação Portuguesa do Lixo Marinho, já aqui entrevistada), e outros que também apanhavam lixo na praia. Mas éramos muito poucos, e nem sequer estávamos ligados.”

Começou então a descobrir grupos que faziam esse trabalho no resto da Europa, sendo que muitos “não se limitavam a apanhar o lixo. Traçavam-lhe a origem, as rotas, emitiam alertas quando as mesmas peças surgiam em pontos diferentes, sinal de que tinham caído contentores em alto-mar”, ideia que apelou à sua formação científica. “Percebi que o lixo tinha uma história para contar, que podia ser catalogado, e foi assim que a angústia deu lugar à determinação e desta nasceu, em 2015, a página Plasticus Maritimus, no Facebook.

O plástico nos mares continua a crescer à razão de mil toneladas por hora, o equivalente a um camião TIR cheio de plástico por minuto

Dava assim início ao trabalho de identificação de exemplares desta terrível espécie invasora, provenientes dos EUA, do Canadá, e de todo o mundo, mas muitos também de Portugal, onde tem algumas irritações de estimação, como é o caso das placas de Alerta de Arriba em Perigo, colocadas pela própria Agência Portuguesa do Ambiente (APA). “Essas placas são de plástico, e quando chega o mau tempo caem e partem-se. Já foram alertados várias vezes, por mim e por outras organizações, e nada mudou. A APA já deveria ter percebido que não pode continuar a fazer sinaléticas em plástico.”

Ana Pêgo, bióloga marinha e educadora ambiental portuguesa, criadora do termo da espécie invasora que classifica como Plasticus Maritimus. Foto: José Carlos Carvalho

Plasticus Maritimus foi também o nome escolhido para o belíssimo livro editado pela Planeta Tangerina em 2018, cujo impacto ultrapassou as nossas fronteiras. Traduzido em dez línguas, chegou longe, a países como a Coreia do Sul e, brevemente, a China. O livro contém muita informação sobre a relação entre o plástico e os oceanos, descrita de uma forma lúdica, e inclui até um guia para preparar idas à praia, com o objetivo de colecionar e analisar exemplares desta espécie. Tornou-se, aliás, uma das ferramentas preferidas de professores e alunos para abordarem o tema nas escolas, ao ponto de Ana ter conhecido em Coimbra dois irmãos gémeos que sabiam de cor várias frases do livro. Mas o melhor estava guardado para o fim, quando uma das crianças lhe disse que tinha dois ídolos no mundo: “Eu e a Greta Thunberg. Até fiquei sem jeito. Elevou-me a um patamar muito alto.”

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Ao assinar a VISÃO recebe informação credível, todas as semanas, a partir de €6 por mês, e tem acesso a uma VISÃO mais completa.

ASSINE JÁ

Mais na Visão

Legislativas 2022

João Oliveira apanhou o comboio da "convergência", mas acabou o dia a acusar PS e PSD de terem "relação" secreta

João Oliveira "puxou dos galões": apresentou a CDU como exemplo de "convergência" e colou ao partido estatuto de solução governativa útil, para o pós-Legislativas . Para PS ver. O silêncio de António Costa, porém, parece ferir – e o deputado acabou o dia a acusar PS e PSD de terem um "acordo tácito" para o futuro

Legislativas 2022

Numa planície apática, houve um arraial sem gás e Costa deu palco a Capoulas

Évora recebeu Costa de forma sonolenta, que quase precisou de um megafone para acordar os transeuntes. O líder do PS deixou brilhar Capoulas, um cabeça de lista que se bate contra a notoriedade do substituto de Jerónimo

Legislativas 2022

Rui Rio, o homem "sem medo de reformar todos os setores de atividade e afrontar interesses"

O quinto dia de campanha do PSD, dedicado à Economia e Finanças, terminou em Vila Real, um bastião laranja, numa arruada com pouco contacto com a população, mas aulas bem preparadas dos especialistas

Legislativas 2022

Legislativas: PS e PSD (outra vez) mais próximos. Chega em terceiro lugar. O que diz a última sondagem

Dia 30 de janeiro o País vai a eleições antecipadas. Acompanhe a evolução das intenções de voto

LD Linhas Direitas
Linhas Direitas

Os jogos de guerra de Putin

"Sim podes invadir, que não sabemos o que fazer", é a frase que circula nas capitais da NATO, e que espelha a realidade. Biden não sabe estar calado.

Mundo

Morreu cantora que contraiu Covid-19 de propósito

Hana Horka, de 57 anos, morreu este domingo depois de ter contraído covid-19 deliberadamente para que lhe fosse permitido visitar locais e entrar em estabelecimentos sem que fosse preciso o comprovativo de vacinação ou um teste

Visão Saúde
VISÃO Saúde

No tempo da Delta, tanto a vacinação com uma infeção anterior mostraram-se eficazes na proteção contra a Covid-19, mas vacinação destacou-se

O CDC teve em conta dados de mais de um milhão de pessoas, tanto na Califórnia como em Nova Iorque, e avaliou o risco de infeção e hospitalização por Covid-19

Se7e
VISÃO sete

56 peças de vestuário e calçado para regressar aos treinos

Seja caminhar seja correr ou ginasticar, o importante é fazer exercício físico. Nesta seleção, há 56 peças de vestuário, calçado e acessórios para usar no ginásio ou ao ar livre

Sociedade
Exclusivo

No lado errado da lei: Três histórias de quem se deu mal a furar as regras sanitárias em plena pandemia

Boris Johnson enfrenta a “fúria” da opinião pública britânica, Novak Djokovic ficou impedido de conquistar o seu 21º grande título e António Horta Osório bate com porta do Credit Suisse, nove meses após ter assumido o cargo

Sociedade

Covid-19: Autoagendamento aberto para maiores de 35 anos para dose de reforço

O autoagendamento da toma da dose de reforço da vacina contra a covid-19 está disponível, desde hoje, para pessoas de 35 ou mais anos por marcações `online´ na Direção-Geral da Saúde

Legislativas 2022

À porta da Autoridade “extorsionária”, Cotrim defendeu a sua taxa única

Ainda com o balanço do debate das rádios, o líder da Iniciativa Liberal começou a primeira ação de campanha na rua, em Lisboa, a falar para os microfones dos jornalistas sobre impostos. No centro do seu discurso estiveram o “desagravamento e a simplificação fiscal”

Imobiliário

Explosão de nómadas digitais revoluciona estadias no alojamento local

O teletrabalho está a fazer crescer o número de nómadas digitais. Segundo a Airbnb, uma em cada cinco noites reservadas na plataforma durante o terceiro trimestre de 2021 foi para estadias de 28 dias ou mais