“Todo o plástico retirado do mar será sempre uma gota de água no oceano”

Foto: Luis Barra

O plástico que está à superfície – ou seja, aquele que vemos e tanto nos impressiona – representa 1% de todo plástico nos oceanos. Apenas 1%. A esmagadora maioria, 94%, está no fundo e 5%, nas praias.
Continuamos a ter uma imagem demasiado ingénua do que se passa no mar e, para o resolver, só existe uma solução: consumir menos. “Tudo o resto não vai funcionar”, explica à VISÃO a presidente da Associação Portuguesa do Lixo Marinho, investigadora no MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, e professora na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova.

Paula Sobral é a primeira a reconhecer a utilidade de “tentar retirar o lixo do mar e promover atividades de recolha nas praias e reciclar”, às quais está intimamente ligada, mas reconhece que essas ações por si só nunca irão resolver o problema do lixo marinho. Até porque “todos os anos entram no mar 12 milhões de toneladas de plástico”. É por isso que “todo o plástico que retirarmos será sempre uma gota de água no oceano”. Nas suas aulas e frequentes palestras recorre, muitas vezes, a uma metáfora: “Imagine que chega a casa e tem uma inundação. O que vai fazer? Começar a limpar ou fechar primeiro a torneira? Vai certamente fechar a torneira. É isso que temos de fazer.”

Com uma carreira dedicada às causas ambientais, Paula Sobral foi recentemente galardoada com o “Iconic Women Creating a Better World for ALL”, no Internacional Women Economic Forum. Recebeu o prémio com duas colegas docentes e, no seu caso, foi salientado precisamente o papel no combate ao lixo marinho e aos microplásticos. Um combate que se materializou, por exemplo, na parceria entre a Associação do Lixo Marinho e a Doca Pesca, “Pesca por um mar sem lixo”, que envolve os pescadores na recolha do lixo que encontram no mar. A maioria vem inclusivamente nas próprias redes, e os pescadores, em vez de o deitarem borda fora, guardam e trazem para terra.

O projeto implica, acima de tudo, recolher os restos de redes “eternamente a pescar no mar”, causando a morte a inúmeras tartarugas, tubarões, mamíferos marinhos e outros peixes. Com esta iniciativa os pescadores passam a fazer parte da solução, pelo que a aceitação tem sido bastante positiva.

As máscaras e luvas são descartadas um pouco por todo o lado, sem o cuidado de as colocar no contentor certo. Num país como Portugal, onde existe gestão de resíduos, não há desculpa para esses materiais acabarem na praia

PAula sobral

O confinamento foi aproveitado para dar “frequentes passeios à beira-mar” e para a “simples contemplação dos espaços naturais”. Foram a sua terapia, embora não resistisse muitas vezes e lá ia “olhando para o que estava praia”, porque esta professora universitária tem, sobretudo, notas negativas para o comportamento negligente de muitos portugueses – e a primeira vai diretamente para os fumadores, responsáveis pelo item de lixo que, “de longe”, se encontra em maior quantidade no mar: as beatas.

As máscaras e as luvas de proteção, por causa da pandemia, são outra fonte de preocupação atual. “São descartadas um pouco por todo o lado, sem o cuidado de as colocar no contentor certo. Num país como Portugal, onde existe gestão de resíduos, não há desculpa para esses materiais acabarem na praia”. Mas acabam, “arrastados diretamente pelas chuvas para as linhas de água, ou, indiretamente, através dos esgotos pluviais”.

Paula Sobral, fotografada naTrafaria. Foto: Luis Barra

Outra nota negativa vai para quem consome plástico em excesso, muitos justificando-se com a reciclagem. “Reciclamos apenas 9% do plástico enviado. Não somos só nós, Portugal, é o mundo inteiro.” Pela sua parte já decidiu e evita todas as “embalagens idiotas”. E existem muitas, “os supermercados estão cheios de coisas ridiculamente embaladas”. Ora, “se todos consumirmos menos plástico, a indústria vai produzir menos plástico”, o que me parece evidente. Se queremos parar esta calamidade, “temos de fechar a torneira”!

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Ao assinar a VISÃO recebe informação credível, todas as semanas, a partir de €6 por mês, e tem acesso a uma VISÃO mais completa.

Uma VISÃO mais completa

Assinar agora

Relacionados

Oceano de Esperança

A Amazónia está em risco. João quer ajudar a salvá-la com as comunidades locais

Aos 36 anos, João Campos-Silva está numa missão para salvar o peixe gigante da Amazónia. E, com ele, todo o ecossistema do rio

Oceano de Esperança

“Os tubarões azuis nos Açores tinham todos marcas de ‘encontros’ com os humanos”

Nuno Sá é o nosso mais prestigiado cameramen subaquático e já viu de tudo: paisagens virgens, profundezas misteriosas, espécies fascinantes, mas também animais feridos por humanos e rios de lixo

Oceano de Esperança

“Numa semana, corais saudáveis, vibrantes e cheios de cor ficaram completamente brancos”

A jovem bióloga inglesa Emma Camp está numa corrida para salvar a Grande Barreira de Coral na Austrália. Será que vai a tempo?

Oceano de Esperança

Uma missão comum

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis

Mais na Visão

Imobiliário

Saiba como gerir o fim das moratórias

Outubro vai trazer novos encargos para milhares de famílias que pediram moratórias para pagamento dos seus créditos. O Doutor Finanças explica como sobreviver financeiramente nesta nova etapa

Exame Informática
Exame Informática

Facebook terá pagado milhares de milhões para 'safar' Zuckerberg de um processo individual

Acionistas da Facebook acusam a empresa de ter concordado em pagar mais do que a multa estipulada pelas autoridades e ter pedido, em troca, que Zuckerberg e a responsável operacional não tivessem de testemunhar

Imobiliário

"Lisboa está a tornar-se num 'hub' tecnológico e económico e por isso nós queremos estar aqui"

A Ukio entrou em Portugal para fornecer uma carteira de apartamentos prontos a arrendar a nómadas digitais que queiram estar em Lisboa por largos meses

Autobiografia Não Autorizada
Exclusivo

Azar de principiante

Passei a adolescência a requisitar livros da biblioteca e a copiar à mão os romances de que mais gostava, conheço-os intimamente

VISÃO DO DIA
Exclusivo

O último dia dos próximos quatro anos

Sociedade
Exclusivo

Covid:19: Os perigos da "libertação" inglesa

Boris Johnson traçou um plano para uma vida livre das restrições anti-Covid, e voltar atrás não é uma prioridade. Mas os conselheiros alertam para o facto de que, assim, pode haver entre duas e sete mil pessoas internadas já no próximo mês

VISÃO VERDE
VISÃO Verde

Greve climática estudantil convoca protestos com agenda alargada a problemas sociais

O movimento ambientalista Fridays for Future convocou para hoje uma nova greve climática estudantil com agenda alargada a outros problemas sociais, com mais de 1.500 ações em vários pontos do mundo, incluindo protestos em 14 localidades portuguesas

Autárquicas 2021

Autárquicas: Ao último dia de campanha, líderes percorrem País e apostam em autarquias-chave

No último dia de campanha para as eleições autárquicas, os líderes partidários estão hoje um pouco por todo o país, em autarquias-chave que querem reconquistar, manter ou nas quais esperam eleger representantes

Autárquicas 2021

Autárquicas: PAN diz que Lisboa não pode ser "postal ilustrado para milionários"

A candidata do PAN à câmara de Lisboa, Manuela Gonzaga, disse na quinta-feira que a cidade "está a ser sangrada de gente" e a tornar-se num "postal ilustrado para milionários" pelas dificuldades no acesso à habitação

Mundo

Covid-19: OMS inclui mais dois medicamentos nas recomendações para tratamento

A OMS acrescentou hoje dois medicamentos à lista de fármacos admitidos para tratamento da covid-19 e pediu à farmacêutica que os produz para baixar os preços e levantar as patentes

Exame Informática
Exame Informática

Dificuldade em encontrar trabalhadores agrava crise dos semicondutores

Indústria dos semicondutores continua a enfrentar dificuldades no fornecimento de componentes e novos dados mostram que a escassez de mão de obra pode contribuir para adiar o regresso à normalidade

Economia

"Nós ganhámos com a Covid". Declarações de secretário de Estado debaixo da fogo da oposição e já levaram a esclarecimento do MNE

O Ministério dos Negócios Estrangeiros lembra que o secretário de Estado da Internacionalização, muito criticado por declarações sobre a pandemia, lamentou as mortes por Covid-19 e salientou os efeitos "profundamente negativos" da doença na saúde