A Amazónia está em risco. João quer ajudar a salvá-la com as comunidades locais

Marc Latzel / Rolex

Jonathan Baillie não é facilmente impressionável, até porque é responsável por avaliar e supervisionar todos os projetos que se candidatam ao financiamento da National Geographic Society. Já viu de tudo, mas quando fala do trabalho de João Campos-Silva o seu entusiasmo é evidente: “Cerca de 15% da Terra está protegida e existe um plano para proteger 30%, até 2030. Nos oceanos o valor é menor (entre 5% e 7%), mas já existem estudos suficientes para perceber exatamente o que temos de fazer”, explica. “Agora, sobre os sistemas de água doce sabemos muito pouco. O projeto do João é mesmo o primeiro modelo de sucesso que tivemos. E ainda por cima pode ser facilmente adaptado para outras zonas do mundo, pelo que a sua importância ultrapassa largamente a simples conservação do arapaima.”

Baillie é, também, um dos dez membros do júri dos Rolex Awards for Enterprise, que no ano passado galardoaram o jovem cientista brasileiro pelo trabalho na Amazónia.

O arapaima, ou pirarucu, como os brasileiros o preferem chamar, é um enorme peixe de água doce que se encontra apenas na bacia do Amazonas. Os maiores espécimes chegam a pesar quase 200 quilos e ocupam um papel central na alimentação dos povos indígenas, sendo que a sobre-exploração dos recursos naturais e a pesca furtiva quase o levaram à extinção.

Curiosamente, quando o biólogo João Campos-Silva partiu para a Amazónia, há cerca de 13 anos, o arapaima estava longe de ser uma das suas prioridades: “Queria perceber que espécies de aves estavam mais suscetíveis de extinção, considerando as altas taxas de desmatamento previstas.” Só que, ao fim de algum tempo a viver na selva, percebeu como seria impossível ter “uma Amazónia sustentável, no futuro, se não houver um alinhamento profundo entre conservação da biodiversidade e o bem-estar das populações locais”.

É impossível uma Amazónia sustentável, no futuro, se não houver um alinhamento profundo entre conservação da biodiversidade e o bem-estar das populações locais

João Campos-silva

Campos-Silva percebeu que não poderia proteger o arapaima à força, mas apenas se conseguisse transformar essa missão numa tarefa a realizar em conjunto com as comunidades locais. Na verdade, algumas já estavam a fazê-lo, pelo que João apenas sistematizou o processo. “Primeiro, tivemos de estabelecer um período de quarentena de três anos”, para recuperar o número de peixes no rio e, “depois, criámos uma gestão comunitária das pescas, num sistema de quotas e em que todos os lucros são partilhados pela comunidade”.

Com isso conseguiu não só aumentar o número de arapaimas em cerca de 30 vezes, como muitas outras espécies beneficiaram também dessa proteção, “incluindo as tartarugas de água doce, botos, vários outros peixes”. E até jacarés.

“O arapaima é um modelo que nos ajuda a vislumbrar um outro tipo de desenvolvimento para a Amazónia – um desenvolvimento que contempla a proteção da Natureza com a qualidade de vida das comunidades locais, em que a floresta gera muito mais valor estando de pé. Todo o trabalho mais importante é feito por essas comunidades. Elas merecem muito mais os holofotes do que eu”, pede.

De facto, a gestão comunitária já permitiu criar escolas e centros de saúde locais. Os lucros passaram a ser partilhados por toda a comunidade, e, pela primeira vez, as mulheres têm acesso ao seu rendimento, sem depender do marido: “O pirarucu também tem contribuído para a equidade de género.” Olhando para todas as conquistas, sentimo-nos realmente um pouco como Jonathan Baillie: parece impossível não ficar entusiasmado com o projeto e com esta força de vontade.

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Assine a Revista VISÃO, em digital, por €1 e apoie o jornalismo de qualidade.

ASSINE JÁ

ASSINE JÁ!

Relacionados

Oceano de Esperança

“Andamos a envenenar-nos há muito mais tempo do que imaginávamos”

Para Alexander More, conceituado cientista climático, é preciso explicar às pessoas porque o aquecimento global vai afetá-las, na saúde e na carteira

Oceano de Esperança

“Numa semana, corais saudáveis, vibrantes e cheios de cor ficaram completamente brancos”

A jovem bióloga inglesa Emma Camp está numa corrida para salvar a Grande Barreira de Coral na Austrália. Será que vai a tempo?

Oceano de Esperança

“Os tubarões azuis nos Açores tinham todos marcas de ‘encontros’ com os humanos”

Nuno Sá é o nosso mais prestigiado cameramen subaquático e já viu de tudo: paisagens virgens, profundezas misteriosas, espécies fascinantes, mas também animais feridos por humanos e rios de lixo

Oceano de Esperança

Uma missão comum

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis

Mais na Visão

Política

André Ventura reeleito presidente do Chega com 97,3% deixa recado ao PSD

O presidente demissionário do Chega foi reeleito com 97,3% dos votos, percentagem que considerou legitimá-lo para as lutas dos próximos quatro anos e para dizer ao PSD que só governará Portugal com o seu partido

Sociedade

As conversas raramente acabam quando queremos

Já que os seres humanos passam tanto tempo a conversar, um grupo de investigadores quis perceber, especificamente, se para terminar uma conversa basta desejá-lo...

Sociedade

Como se deve comportar quem já tomou a vacina

Já ter sido vacinado não é justificação para deixar de ter cuidados, como usar máscara, uma vez que ainda se desconhece até que ponto as pessoas imunizadas podem transmitir o vírus

Mundo

Covid-19: Senado norte-americano aprova plano de 1,9 biliões de dólares de Joe Biden

O Senado dos Estados Unidos da América (EUA) aprovou hoje um plano de estímulo de 1,9 biliões de dólares (1,59 biliões de euros) para relançar a economia norte-americana, naquela que é a primeira vitória legislativa do Presidente Joe Biden

Mundo

FBI investiga ligações entre assaltantes do Capitólio e pessoa próxima de Trump

O FBI concluiu que uma pessoa ligada à presidência de Donald Trump terá contactado com o grupo de extrema-direita "Proud Boys" dias antes do ataque ao Capitólio, noticia o The New York Times

Newsletters

Telegrama: É agora que o despertar da China vai fazer tremer o mundo?

Sociedade

Como os nómadas digitais descobriram a Madeira

Viajam pelo mundo e trabalham a partir de qualquer lugar, sem horário fixo. Só precisam de um computador e ligação à internet. São os nómadas digitais e chegaram à Madeira

Exame
Exame

Governo dá mais €1,5 milhões e estuda público na F1

Regresso do Grande Prémio de Fórmula 1 a Portimão foi confirmado esta sexta-feira. Executivo não fecha a porta à presença de público na prova

Sociedade

Ferramenta online mostra como vários sítios turísticos são para alguém com doenças oculares

Existe uma plataforma na internet que permite ver alguns dos mais famosos lugares no planeta através dos olhos de quem tem problemas de visão

Criatividade é a chave para o sucesso na transição do RGPD Exame
Macro

Emprego: As áreas que as empresas procuram e as dicas dos especialistas

Os especialistas em Recursos Humanos ouvidos pela EXAME apontam várias áreas que poderão vir a ter mais procura por parte das empresas no relançamento da economia

Exame
Macro

Onde vai estar o emprego na hora da retoma

O que fica quando, a uma vaga inédita de destruição de emprego, se somam a incógnita do ritmo de recuperação da economia e a herança de uma transformação acelerada das profissões – tudo durante uma pandemia?

Sociedade

Guia básico (de educação e bom senso) para viver nas redes

Se imaginar que as redes sociais são um infantário, estas seriam as regras de bom comportamento afixadas na parede. Numa sociedade casa vez mais digital, é importante relembrar o bê-á-bá da boa educação