A Amazónia está em risco. João quer ajudar a salvá-la com as comunidades locais

Marc Latzel / Rolex

Jonathan Baillie não é facilmente impressionável, até porque é responsável por avaliar e supervisionar todos os projetos que se candidatam ao financiamento da National Geographic Society. Já viu de tudo, mas quando fala do trabalho de João Campos-Silva o seu entusiasmo é evidente: “Cerca de 15% da Terra está protegida e existe um plano para proteger 30%, até 2030. Nos oceanos o valor é menor (entre 5% e 7%), mas já existem estudos suficientes para perceber exatamente o que temos de fazer”, explica. “Agora, sobre os sistemas de água doce sabemos muito pouco. O projeto do João é mesmo o primeiro modelo de sucesso que tivemos. E ainda por cima pode ser facilmente adaptado para outras zonas do mundo, pelo que a sua importância ultrapassa largamente a simples conservação do arapaima.”

Baillie é, também, um dos dez membros do júri dos Rolex Awards for Enterprise, que no ano passado galardoaram o jovem cientista brasileiro pelo trabalho na Amazónia.

O arapaima, ou pirarucu, como os brasileiros o preferem chamar, é um enorme peixe de água doce que se encontra apenas na bacia do Amazonas. Os maiores espécimes chegam a pesar quase 200 quilos e ocupam um papel central na alimentação dos povos indígenas, sendo que a sobre-exploração dos recursos naturais e a pesca furtiva quase o levaram à extinção.

Curiosamente, quando o biólogo João Campos-Silva partiu para a Amazónia, há cerca de 13 anos, o arapaima estava longe de ser uma das suas prioridades: “Queria perceber que espécies de aves estavam mais suscetíveis de extinção, considerando as altas taxas de desmatamento previstas.” Só que, ao fim de algum tempo a viver na selva, percebeu como seria impossível ter “uma Amazónia sustentável, no futuro, se não houver um alinhamento profundo entre conservação da biodiversidade e o bem-estar das populações locais”.

É impossível uma Amazónia sustentável, no futuro, se não houver um alinhamento profundo entre conservação da biodiversidade e o bem-estar das populações locais

João Campos-silva

Campos-Silva percebeu que não poderia proteger o arapaima à força, mas apenas se conseguisse transformar essa missão numa tarefa a realizar em conjunto com as comunidades locais. Na verdade, algumas já estavam a fazê-lo, pelo que João apenas sistematizou o processo. “Primeiro, tivemos de estabelecer um período de quarentena de três anos”, para recuperar o número de peixes no rio e, “depois, criámos uma gestão comunitária das pescas, num sistema de quotas e em que todos os lucros são partilhados pela comunidade”.

Com isso conseguiu não só aumentar o número de arapaimas em cerca de 30 vezes, como muitas outras espécies beneficiaram também dessa proteção, “incluindo as tartarugas de água doce, botos, vários outros peixes”. E até jacarés.

“O arapaima é um modelo que nos ajuda a vislumbrar um outro tipo de desenvolvimento para a Amazónia – um desenvolvimento que contempla a proteção da Natureza com a qualidade de vida das comunidades locais, em que a floresta gera muito mais valor estando de pé. Todo o trabalho mais importante é feito por essas comunidades. Elas merecem muito mais os holofotes do que eu”, pede.

De facto, a gestão comunitária já permitiu criar escolas e centros de saúde locais. Os lucros passaram a ser partilhados por toda a comunidade, e, pela primeira vez, as mulheres têm acesso ao seu rendimento, sem depender do marido: “O pirarucu também tem contribuído para a equidade de género.” Olhando para todas as conquistas, sentimo-nos realmente um pouco como Jonathan Baillie: parece impossível não ficar entusiasmado com o projeto e com esta força de vontade.

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Leia todos os conteúdos exclusivos da VISÃO no site. E experimente a nova app, mais completa, com podcasts, newsletters diárias, alertas noticiosos e muitos conteúdos só para assinantes

Tenha mais VISÃO

Assinar

Relacionados

Oceano de Esperança

“Andamos a envenenar-nos há muito mais tempo do que imaginávamos”

Para Alexander More, conceituado cientista climático, é preciso explicar às pessoas porque o aquecimento global vai afetá-las, na saúde e na carteira

Oceano de Esperança

“Numa semana, corais saudáveis, vibrantes e cheios de cor ficaram completamente brancos”

A jovem bióloga inglesa Emma Camp está numa corrida para salvar a Grande Barreira de Coral na Austrália. Será que vai a tempo?

Oceano de Esperança

“Os tubarões azuis nos Açores tinham todos marcas de ‘encontros’ com os humanos”

Nuno Sá é o nosso mais prestigiado cameramen subaquático e já viu de tudo: paisagens virgens, profundezas misteriosas, espécies fascinantes, mas também animais feridos por humanos e rios de lixo

Oceano de Esperança

Uma missão comum

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis

Mais na Visão

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Autoagendamento da vacina disponível para maiores de 35 anos a partir de segunda-feira

O autoagendamento da vacina contra a covid-19 vai ficar disponível para pessoas com mais de 35 anos na segunda-feira, disse hoje à Lusa uma fonte da 'task-force' de vacinação nacional

Mundo

Covid-19: Brasil supera meio milhão de mortos

O Brasil superou hoje a barreira dos 500 mil mortos por covid-19, numa altura em que o país poderá enfrentar uma terceira vaga pandémica, indica uma contabilidade feita por um consórcio de meios de comunicação social

Sociedade

Morreu Carlos Miguel, o ator de comédia que foi o Fininho do concurso "1,2,3"

O ator Carlos Miguel, nome da comédia e do teatro de revista, conhecido como O Fininho, do antigo concurso "1, 2, 3" da RTP, morreu hoje, em Santarém, aos 77 anos, disse à agência Lusa fonte familiar

EURO2020

Portugal cai com estrondo na Alemanha

A derrota por 4-2 atira a Seleção Nacional para o terceiro lugar do Grupo F. Apuramento para os oitavos de final será discutido na quarta-feira, com a França

Sociedade

Trabalhador atropelado por carro de Cabrita "atravessou a faixa" e trabalhava em "obra não sinalizada"

O Ministério da Administração Interna esclareceu hoje que não existia sinalização para alertar os condutores dos "trabalhos de limpeza em curso" na autoestrada A6, no Alentejo, na sexta-feira, quando a viatura do ministro atropelou mortalmente um trabalhador

Política

Covid-19: Internamentos são "preocupantes" mas estão longe das linhas vermelhas

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde assume que o aumento do número de internamentos por covid-19 é "preocupante", embora o país ainda esteja "longe das linhas vermelhas"

Sociedade
Exclusivo

David Simas, CEO da Fundação Obama: "A única forma de servir os outros é ouvindo-os"

O colapso da coesão social é, para o filho de portugueses que preside à Fundação Obama, um dos maiores riscos que o mundo corre a médio prazo. Para travar isso são precisos líderes que deixem de lado “o ego, o orgulho e a vaidade”, explica em entrevista à VISÃO 

Desporto

Atleta olímpica norte-americana acusada de doping diz que a culpa é de um burrito que terá comido

Shelby Houlihan, recordista nacional nas corridas de 1500 metros e 5000 metros, foi suspensa por quatro anos depois de testar positivo a uma substância chamada nandrolona, um esteroide anabolizante que também é encontrado na carne de porco

VISÃO VERDE
Ambiente

Cientistas convertem resíduos plásticos em sabor de baunilha

Os cientistas Johanna C. Sadler e Stephen Wallace da Universidade de Edinburgh, na Escócia, encontraram uma forma de converter, pela primeira vez, garrafas de plástico reciclado em aromatizantes de baunilha, utilizando bactérias geneticamente modificadas.

Exame Informática
Exame Informática

Explicado o efeito anti-epilético de Mozart

Já se sabia que a escuta da Sonata para Dois Pianos em Ré Maior reduz a ocorrência de ataques epiléticos, podendo ser usada como forma de prevenção destes eventos. A explicação vem da Física, revela novo estudo

VISÃO VERDE
Ambiente

Podas drásticas: estas são as fotos de árvores “mutiladas” enviadas pelos leitores da VISÃO

No Dia da Terra, a VISÃO pediu aos leitores imagens de podas drásticas nas suas cidades. Recebemos mais de duzentas. Esta é a primeira de três galerias de fotos, com algumas das melhores (piores) imagens da região Norte

Sociedade

Organização cancela Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa e critica DGS

A Comissão Organizadora da Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa anunciou o cancelamento da iniciativa marcada para hoje e criticou a Direção-Geral da Saúde, que emitira parecer desfavorável