“Os tubarões azuis nos Açores tinham todos marcas de ‘encontros’ com os humanos”

O mundo não precisava definitivamente de mais um advogado. Já um cameraman subaquático, capaz de nos mostrar as maravilhas das profundezas e todas as formas como estamos a destruí-las, pode fazer a diferença. Foi por isso uma boa decisão quando, há coisa de 20 anos, e com um curso de Direito na mão e um de mergulho na outra, Nuno Sá optou pelo segundo. Agora, defende uma causa muito mais importante.

Foi o que fez durante as filmagens nos Açores para a série da BBC Blue Planet II – vencedora de um BAFTA (os Oscars da Academia Britânica de Cinema) –, como conta à VISÃO: “Encontrámos um rio de lixo. Era uma coisa enorme, que seguimos ao longo de horas, e descobrimos peixes, tartarugas, tubarões… todos a viverem ali. Não sabíamos da sua existência, e não estava no plano de filmagens, mas acabou por se tornar uma das histórias da série que causaram mais impacto.”

Nuno Sá é hoje, aos 42 anos, um dos nossos mergulhadores mais respeitados, trabalhando regularmente para os canais National Geographic e Discovery. Mais recentemente, realizou para a RTP, com o apoio da Fundação Oceano Azul e do Oceanário de Lisboa, o extraordinário documentário Mar, a Última Fronteira, “para mostrar aos portugueses, e ao mundo, como o nosso mar tem uma vida marinha comparável aos melhores sítios do planeta.”

Assim passou um ano e meio, a percorrer o País de lés a lés, continente, ilhas e debaixo de água, fazendo “uma centena de mergulhos” para captar imagens inéditas. Desceu às profundezas – ele que nunca tinha passado dos 60 metros, desta vez chegou aos 1 000, “num lugar incrível ao largo da ilha do Faial chamado Banco Condor”. Para o conseguir, teve de apanhar “boleia” no Lula 1000, um dos 12 submarinos no mundo capazes de realizar mergulhos desta grandeza, e que pertence a uma fundação privada, a Rebikoff-Niggeler, sediada na Horta, precisamente para realizar expedições científicas.

Mergulhou no banco de Gorringe, “a maior montanha submersa da Europa”, a sensivelmente 200 quilómetros da costa Vicentina. É aqui que as placas continentais europeia e africana se juntam, e onde terá ocorrido o epicentro do terramoto de 1755. Os seus picos mais altos chegam a elevar-se a 5 000 metros de altitude, ficando apenas a 30 da superfície. Nuno ficou impressionado com a riqueza que encontrou: “Magnífica, porque é uma zona inexplorada, ainda prístina, e parece-se com o que seria o fundo do mar antes da pesca industrial, repleto de floresta submersa. É um pouco deprimente voltar e pensar em tudo o que estragámos…”

Um fotógrafo normal tira a foto de uma borboleta em cima de uma flor. Um fotógrafo conservacionista faz a mesma imagem, mas a ver-se o bulldozer por trás

Foi um dos motivos que o levaram a produzir esta série – que ainda pode ser vista na RTP Play. “97% do território nacional é mar, mas quando vou às escolas ou dou palestras sobre o tema, as pessoas só me perguntam se já fui atacado por tubarões ou se não tenho medo, quando é precisamente o contrário: o mar é maravilhoso, e as pessoas sabem mais sobre a Lua…” Quanto a ter medo de tubarões, revela: “É o peixe que mais gosto de filmar: temos de interpretar os seus movimentos, sentir se estão à vontade ou sob tensão, é um desafio incrível!”

Como nem tudo são algas no mar português – leiam rosas, se preferirem –, Nuno Sá gostaria agora de produzir dois ou três filmes para mostrar os vários problemas que enfrentamos. “Esta série serviu para dar a conhecer a vida, a beleza, do nosso mar. Isso está feito.” E cita uma espécie de mantra da Liga de Fotógrafos Conservacionistas (da qual faz parte): “Um fotógrafo normal tira a foto de uma borboleta em cima de uma flor. Um fotógrafo conservacionista faz a mesma imagem, mas a ver-se o bulldozer por trás.”

Nuno Sá fez essa “foto” durante as filmagens: “Estivemos a gravar com tubarões azuis nos Açores e todos eles tinham marcas de ‘encontros’ com os humanos. Alguns tinham mesmo a cara rasgada de uma ponta à outra, dos anzóis. Estas filmagens não entraram na série – porque filmámos os mesmos tubarões em Sesimbra e achámos mais interessante mostrar como existem tantos ao largo de Lisboa –, mas foi um dos momentos que mais me marcaram. Era importante mostrar isso às pessoas.”

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba aqui mais sobre esta missão comum.

Assine a VISÃO digital e receba a VISÃO Saúde, Edição Especial “70 Perguntas e Respostas sobre Saúde”, também em formato digital.

EM TEMPOS DIFÍCEIS É PRECISO TER VISÃO

ASSINE JÁ!

Relacionados

Oceano de Esperança

Ric O'Barry, uma vida dedicada a resgatar golfinhos em cativeiro

A vida de Richard O'Barry mudou para sempre quando viu um golfinho a suicidar-se num tanque. Fundou o Dolphin Project e passou de treinador em aquários a ativista pelos direitos dos animais

Oceano de Esperança

“O planeta não pode esperar mais”

A Natureza responde até certo ponto – há danos irreparáveis. E por isso é tão importante preservar o que resta, explica o administrador da Fundação Oceano Azul, Emanuel Gonçalves. Este é o primeiro artigo de um projeto em parceria com a Rolex sobre pessoas e organizações excepcionais que trabalham para construir um planeta mais sustentável

Oceano de Esperança

Menos de 12% dos oceanos estão intactos

Os números e os factos que mais preocupam Emanuel Gonçalves, um dos maiores especialistas mundiais nos oceanos

Oceano de Esperança

Uma missão comum

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis

Mais na Visão

Eleições EUA 2020

EUA/Eleições: Debate mais moderado revela diferentes visões do mundo

O segundo debate entre os candidatos à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump e Joe Biden, na noite de quinta-feira, foi mais moderado e apresentou duas visões de mundo muito diferentes, publica hoje a imprensa mundial

Exame Informática
Internet

Facebook Dating chega a Portugal

Funcionalidade Encontros no Facebook, que já identificou mais de 1,5 mil milhões de 'matches' em 20 países, chega agora a Portugal

Bolsa de Especialistas

Trend alert - colete de malha

Oversized e destruturados ou justos e com ombreiras, os coletes de malha estão em todo o lado e são umas principais tendências incontornáveis da próxima estação fria

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: As regras do uso obrigatório de máscaras na rua

O parlamento vai debater e aprovar hoje um projeto-lei do PSD que impõe o uso obrigatório de máscara em espaços públicos durante pelo menos três meses, medida que poderá ser renovada

Exame Informática
Ciência

NASA mostra imagens de sonda OSIRIS-REx a agitar a superfície do asteroide Bennu

Sonda aproximou-se da superfície e lançou braço robótico para captar amostras de rochas e poeiras para análise em Terra. Toda a operação foi filmada e divulgada pela NASA

Nem Tudo É Ficção

O exílio do senhor Palácios

Ivete lembrava-se dele quando ainda eram sete pessoas em casa, toda a gente falando ao mesmo tempo durante as refeições, e aquele silêncio sólido crescendo como uma nuvem negra à cabeceira da mesa

Exame Informática
Internet

WhatsApp: vai ser possível fazer compras diretamente a partir das conversas

Funcionalidades de compras no WhatsApp vão ser melhoradas e será possível adicionar artigos a carrinhos de compras logo a partir da troca de mensagem com o vendedor

Sociedade

Covid-19: Universidades seniores abanam com a pandemia, mas não caem

Por receio de contágio entre alunos de risco, somado a dificuldades financeiras, 92 instituições não abriram. Mas a maioria, 240, teve condições para iniciar normalmente o atual ano letivo, embora com menos aulas e metade dos estudantes. E a luta para sobreviver ao SARS-CoV-2 continua

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Será possível eliminar a Covid-19?

Continua o debate sobre se a imunidade de grupo será o segredo para erradicar a doença

Mundo

Descoberta pintura de Jacob Lawrence desaparecida há 60 anos

Uma pintura de Jacob Lawrence, que não é vista em público há 60 anos, foi encontrada e em breve ocupará o seu lugar numa exposição de 30 peças da obra do artista americano

Política

Covid-19: Governo investe mais 7ME em máscaras para o segundo período letivo

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou hoje um investimento adicional de cerca de sete milhões de euros para garantir máscaras e outros equipamentos de proteção individual às escolas no segundo período letivo

LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

O desastre checo vai atingir-nos

É preciso dizer que o chefe do Governo da República Checa, Andrej Babis, recusava-se, há semanas, e já com números catastróficos, a reconfinar o país, para proteger a economia. Onde é que já ouvimos isto, vezes sem conta?