Ric O’Barry, uma vida dedicada a resgatar golfinhos em cativeiro

Quando tentámos falar pela primeira vez com Richard O’Barry, ele encontrava-se algures na Indonésia, montando a operação de resgate de Rocky e Rambo, dois golfinhos presos em cativeiro ilegal no Hotel Melka. O tempo era crucial, pois pouco antes um terceiro golfinho, Gombloh, morreu “sem nunca ter tido hipótese de experimentar a liberdade”, contou-nos mais tarde. Ric (todos o tratam pelo diminutivo) não ia deixar que os outros sofressem o mesmo destino.

A história deste ativista dos direitos dos animais começou há meio século, tinha então 30 anos. Nessa altura não era um “salvador”, mas um treinador, no Miami Seaquarium. Bastante bom, diga-se, tanto que foi escolhido para treinar os quatro golfinhos que interpretaram Flipper, na popular série de televisão norte-americana dos anos 1960. Desde então, Flipper é sinónimo de golfinhos, mas as memórias de Ric são menos simpáticas, e prendem-se com a morte de Cathy, um desses animais, que se terá suicidado, pois “nadou para o fundo do tanque e não voltou acima para respirar”. Ric não teve dúvidas disso, e a sua vida mudou nesse instante: “Passei os últimos 50 anos a tentar acabar com o cativeiro de golfinhos pela indústria do entretenimento. Estamos a falar de animais inteligentes, socialmente complexos, destinados a nadarem longas distâncias e a reunirem-se em grupos sociais específicos, e tudo isto é impossível num tanque. Não é justificável sujeitá-los a estas condições apenas para que os visitantes possam ter alguns minutos de entretenimento e tirar umas fotos.”

Passei os últimos 50 anos a tentar acabar com o cativeiro de golfinhos pela indústria do entretenimento. Estamos a falar de animais inteligentes, socialmente complexos, destinados a nadarem longas distâncias e a reunirem-se em grupos sociais específicos, e tudo isto é impossível num tanque

Assim, “no Dia da Terra de 1970”, fundou o Dolphin Project e lançou a campanha Empty the Tanks (esvaziem os tanques): “A nossa missão é fazer com que estes mamíferos possam reformar-se e sejam libertados no oceano, sempre que possível. Que em nenhum caso se necessite de atuar para assegurar a sua sobrevivência.” Reconhece que nem todos os parques são iguais, mas “mesmo as melhores instalações, com os melhores cuidados, não substituem o oceano aberto”. E também não acredita que possam desempenhar qualquer papel educativo: “As crianças ficam encantadas com os dinossauros sem nunca terem visto um e aprendem sobre o monte Everest sem lá terem subido. É completamente possível ensinar reverência e respeito sem sujeitar o objeto de estudo a uma vida de confinamento. Mostrar animais em cativeiro às crianças não é educativo nem inspirador. Podemos dar um exemplo melhor, ensinando-as a proteger essas espécies na Natureza e a valorizar o nosso ambiente.”

Ao longo destes 50 anos, Ric e a sua equipa já libertaram mais de duas dúzias de animais, embora ele prefira medir o sucesso por um número menos tangível: o dos golfinhos “poupados de uma captura em alto-mar em virtude dos nossos esforços ao longo destes anos”. Esforços que se materializaram, por exemplo, no documentário The Cove, vencedor de um Óscar da Academia, em 2010, realizado por Louie Psihoyos. The Cove segue Ric numa campanha para impedir a matança de golfinhos em Taiji, no Japão. Um espetáculo aterrador, pois os golfinhos são degolados, deixando o mar vermelho de sangue. A caça acontece todos os anos nesta vila piscatória, sob o beneplácito do Governo japonês, e é aqui que também são capturados muitos dos golfinhos que acabam em “supostos parques aquáticos”, a maioria deles na Ásia (não há registo de nenhum parque em Portugal nem na Europa recorrer a estes mamíferos).

O’Barry estima que ainda existam cerca de 3 mil golfinhos em cativeiro no mundo, mas pelo menos agora tem um Santuário de Golfinhos, construído no mar de Bali, em conjunto com as autoridades indonésias, para onde pode levá-los depois de serem resgatados. Foi esse o destino de Rocky e Rambo, segundo contou à VISÃO depois de os ter libertado no oceano. Após o seu regresso à Califórnia, era evidente como ainda vinha maravilhado por ter assistido ao primeiro contacto dos golfinhos com o mar. “Foi um momento de tirar o fôlego, que faz com que todos estes longos anos de determinação valham realmente a pena.”

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba aqui mais sobre esta missão comum.

Ao assinar a VISÃO recebe informação credível, todas as semanas, a partir de €6 por mês, e tem acesso a uma VISÃO mais completa.

Uma VISÃO mais completa

Assinar agora

Relacionados

Oceano de Esperança

“O planeta não pode esperar mais”

A Natureza responde até certo ponto – há danos irreparáveis. E por isso é tão importante preservar o que resta, explica o administrador da Fundação Oceano Azul, Emanuel Gonçalves. Este é o primeiro artigo de um projeto em parceria com a Rolex sobre pessoas e organizações excepcionais que trabalham para construir um planeta mais sustentável

Oceano de Esperança

Menos de 12% dos oceanos estão intactos

Os números e os factos que mais preocupam Emanuel Gonçalves, um dos maiores especialistas mundiais nos oceanos

Oceano de Esperança

Uma missão comum

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis

Mais na Visão

Sociedade

Ordem aprova alteração que exige mais do que licenciatura para exercer advocacia

A Ordem dos Advogados (OA) vai passar a exigir mais do que a licenciatura em Direito para que seja possível exercer advocacia, após uma alteração hoje aprovada em assembleia-geral da classe profissional

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Mais 1.023 infeções, sete mortes e internamentos nos cuidados intensivos abaixo dos 100

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 1.023 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos, ficando o número de doentes em cuidados intensivos abaixo dos 100

Mundo

ONU aprova prolongamento da sua missão no Afeganistão por mais seis meses

O Conselho de Segurança prolongou a missão da ONU no Afeganistão até 17 de março, numa resolução em que também apela para os talibãs apresentarem um "governo inclusivo e representativo"

Google Exame Informática
Exame Informática

Novo sistema da Google pode ajudar a analisar raios-X

O sistema de machine learning ajuda na análise, prioriza as radiografias de tórax e pode ainda servir como resposta em ambientes de emergência

Mundo

Mantas à prova de fogo podem salvar a maior árvore do mundo e outras sequóias dos fogos da Califórnia

À medida que os incêndios na Califórnia, EUA, se alastram e se aproximam do Parque Nacional de Sequóias, os bombeiros avançaram com medidas para salvar as árvores gigantes milenares, onde entre elas se encontra a sequóia General Sherman, a maior árvore do mundo

Politicamente Correto

Carlos Moedas: Pode alguém ser quem não é?

As próprias boas propostas que Moedas tem (e algumas são, pelo menos, muito defensáveis) acabam por perder relevância no meio daquelas tolices

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Ministra da Saúde alerta que a máscara não é para deitar fora

A ministra da Saúde, Marta Temido, alertou hoje que a máscara deve ser mantida em espaços fechados ou onde não seja possível manter o distanciamento aconselhável, seguindo a recomendação dos próprios peritos

Sociedade

Escola a Compostar: Projeto quer impulsionar o movimento da compostagem em Portugal

O projeto “Escola a Compostar” vai realizar sessões práticas totalmente gratuitas, com o objetivo de conectar gerações de todo o País e ensiná-las a criar compostagem

Mundo

#DoNotTouchMyClothes: Mulheres afegãs protestam contra o código de vestuário imposto às estudantes universitárias

O regime Talibã decretou regras muito rígidas no que toca à presença das mulheres nas universidades. Agora, as mulheres afegãs respondem com uma campanha nas redes sociais, em que partilham fotografias com os seus vestidos tradicionais, cheios de cor. E dizem bem alto aos Talibãs: não toquem na nossa roupa

Política
Exclusivo

Um retrato em 15 momentos de Jorge Sampaio, o Presidente que tinha a coragem de chorar

Coube-lhe ser o Chefe de Estado na transição do milénio, uma época de radicais mudanças em Portugal e no mundo. O líder estudantil duro e indomável advogado dos presos políticos da ditadura era, também, um político que não escondia a emoção, as lágrimas e a humanidade. Um retrato em 15 momentos

Exame Informática
Exame Informática

Primeiras imagens da órbita mostradas pela Inspiration4

A missão do Space X que levou quatro civis ao espaço, teve as suas primeiras imagens divulgadas

Sociedade

Estes 5 países decidiram incluir a Covid-19 no quotidiano e deixar para trás uma vida com restrições

Com as taxas de vacinação a aumentar e a dificuldade económica de aguentar mais confinamentos, alguns países decidiram avançar e permitir aos seus cidadãos e aos estrangeiros que vivam as suas vidas de mãos dadas com a Covid-19