Ric O’Barry, uma vida dedicada a resgatar golfinhos em cativeiro

Quando tentámos falar pela primeira vez com Richard O’Barry, ele encontrava-se algures na Indonésia, montando a operação de resgate de Rocky e Rambo, dois golfinhos presos em cativeiro ilegal no Hotel Melka. O tempo era crucial, pois pouco antes um terceiro golfinho, Gombloh, morreu “sem nunca ter tido hipótese de experimentar a liberdade”, contou-nos mais tarde. Ric (todos o tratam pelo diminutivo) não ia deixar que os outros sofressem o mesmo destino.

A história deste ativista dos direitos dos animais começou há meio século, tinha então 30 anos. Nessa altura não era um “salvador”, mas um treinador, no Miami Seaquarium. Bastante bom, diga-se, tanto que foi escolhido para treinar os quatro golfinhos que interpretaram Flipper, na popular série de televisão norte-americana dos anos 1960. Desde então, Flipper é sinónimo de golfinhos, mas as memórias de Ric são menos simpáticas, e prendem-se com a morte de Cathy, um desses animais, que se terá suicidado, pois “nadou para o fundo do tanque e não voltou acima para respirar”. Ric não teve dúvidas disso, e a sua vida mudou nesse instante: “Passei os últimos 50 anos a tentar acabar com o cativeiro de golfinhos pela indústria do entretenimento. Estamos a falar de animais inteligentes, socialmente complexos, destinados a nadarem longas distâncias e a reunirem-se em grupos sociais específicos, e tudo isto é impossível num tanque. Não é justificável sujeitá-los a estas condições apenas para que os visitantes possam ter alguns minutos de entretenimento e tirar umas fotos.”

Passei os últimos 50 anos a tentar acabar com o cativeiro de golfinhos pela indústria do entretenimento. Estamos a falar de animais inteligentes, socialmente complexos, destinados a nadarem longas distâncias e a reunirem-se em grupos sociais específicos, e tudo isto é impossível num tanque

Assim, “no Dia da Terra de 1970”, fundou o Dolphin Project e lançou a campanha Empty the Tanks (esvaziem os tanques): “A nossa missão é fazer com que estes mamíferos possam reformar-se e sejam libertados no oceano, sempre que possível. Que em nenhum caso se necessite de atuar para assegurar a sua sobrevivência.” Reconhece que nem todos os parques são iguais, mas “mesmo as melhores instalações, com os melhores cuidados, não substituem o oceano aberto”. E também não acredita que possam desempenhar qualquer papel educativo: “As crianças ficam encantadas com os dinossauros sem nunca terem visto um e aprendem sobre o monte Everest sem lá terem subido. É completamente possível ensinar reverência e respeito sem sujeitar o objeto de estudo a uma vida de confinamento. Mostrar animais em cativeiro às crianças não é educativo nem inspirador. Podemos dar um exemplo melhor, ensinando-as a proteger essas espécies na Natureza e a valorizar o nosso ambiente.”

Ao longo destes 50 anos, Ric e a sua equipa já libertaram mais de duas dúzias de animais, embora ele prefira medir o sucesso por um número menos tangível: o dos golfinhos “poupados de uma captura em alto-mar em virtude dos nossos esforços ao longo destes anos”. Esforços que se materializaram, por exemplo, no documentário The Cove, vencedor de um Óscar da Academia, em 2010, realizado por Louie Psihoyos. The Cove segue Ric numa campanha para impedir a matança de golfinhos em Taiji, no Japão. Um espetáculo aterrador, pois os golfinhos são degolados, deixando o mar vermelho de sangue. A caça acontece todos os anos nesta vila piscatória, sob o beneplácito do Governo japonês, e é aqui que também são capturados muitos dos golfinhos que acabam em “supostos parques aquáticos”, a maioria deles na Ásia (não há registo de nenhum parque em Portugal nem na Europa recorrer a estes mamíferos).

O’Barry estima que ainda existam cerca de 3 mil golfinhos em cativeiro no mundo, mas pelo menos agora tem um Santuário de Golfinhos, construído no mar de Bali, em conjunto com as autoridades indonésias, para onde pode levá-los depois de serem resgatados. Foi esse o destino de Rocky e Rambo, segundo contou à VISÃO depois de os ter libertado no oceano. Após o seu regresso à Califórnia, era evidente como ainda vinha maravilhado por ter assistido ao primeiro contacto dos golfinhos com o mar. “Foi um momento de tirar o fôlego, que faz com que todos estes longos anos de determinação valham realmente a pena.”

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba aqui mais sobre esta missão comum.

Assine a Revista VISÃO, em digital, por €1 e apoie o jornalismo de qualidade.

ASSINE JÁ

ASSINE JÁ!

Relacionados

Oceano de Esperança

“O planeta não pode esperar mais”

A Natureza responde até certo ponto – há danos irreparáveis. E por isso é tão importante preservar o que resta, explica o administrador da Fundação Oceano Azul, Emanuel Gonçalves. Este é o primeiro artigo de um projeto em parceria com a Rolex sobre pessoas e organizações excepcionais que trabalham para construir um planeta mais sustentável

Oceano de Esperança

Menos de 12% dos oceanos estão intactos

Os números e os factos que mais preocupam Emanuel Gonçalves, um dos maiores especialistas mundiais nos oceanos

Oceano de Esperança

Uma missão comum

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis

Mais na Visão

Mundo

FIA concluiu que incêndio no acidente de Grosjean se deveu à violência do impacto

A Federação Internacional do Automóvel concluiu hoje que o incêndio no acidente sofrido pelo francês Romain Grosjean (Haas) no GP de Fórmula 1 do Bahrain de 2020 se ficou a dever à violência do impacto

Economia

Covid-19: Misericórdias sem óbitos esta semana em resultado da vacinação

Os lares das misericórdias não registaram esta semana mortes por covid-19, "números espetaculares" que são "consequência direta da vacinação" e uma "queda abrupta" face aos 140 óbitos registados numa semana no início de fevereiro

Sociedade

Guia básico (de educação e bom senso) para viver nas redes

Se imaginar que as redes sociais são um infantário, estas seriam as regras de bom comportamento afixadas na parede. Numa sociedade casa vez mais digital, é importante relembrar o bê-á-bá da boa educação

Política

Covid-19: Governo português espera reabrir turismo em maio

Portugal espera poder abrir as fronteiras e o turismo no início de maio graças a certificados de vacinação ou de testes, afirmou hoje a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, à BBC. 

Sociedade

Covid-19: Portugal já administrou um milhão de vacinas num "caminho ainda longo"

Portugal ultrapassou hoje um milhão de vacinas contra covid-19 administradas, uma marca que o sec.de Estado da Saúde descreveu como significativa e o início de um caminho que ainda é longo

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Vacina aproxima-se dos mais jovens

As farmacêuticas começaram a testar as vacinas contra o vírus SARS-CoV-2 em crianças e adolescentes. Será prioritário vaciná-los?

Sociedade

Constança Braddell: Infarmed garante que está a acompanhar o caso, mas só pode interceder depois do pedido oficial do hospital

A jovem com fibrose quística que precisa de financiamento para um medicamento inovador de 200 mil euros fez hoje um emotivo apelo nas redes sociais: “Não quero morrer”

Exame
Inconsistência problemática

“Se se preocupa com desigualdade, um imposto sobre a riqueza deve estar no centro do que defende."

Deveria existir um imposto sobre as fortunas? A discussão tende a ser ideológica, com linhas que dividem normalmente esquerda e direita. Mas um grupo de economistas britânicos tentou colocá-la num domínio mais técnico. Se acharmos que ele vale a pena, como poderia funcionar? A EXAME entrevistou um dos autores desse estudo sobre as vantagens de um imposto sobre a riqueza e os seus obstáculos.

Fotografia

25 imagens da histórica visita do Papa ao Iraque como "peregrino da paz"

O Papa Francisco iniciou esta sexta-feira hoje uma visita de quatro dias ao Iraque, a primeira de um papa a um país muçulmano de maioria xiita, numa missão em que se apresenta como "peregrino da paz"

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Internamentos semelhantes ao que estavam a 25 de outubro e em UCI no número que estavam a 12 de novembro

Há agora 63260 casos ativos de Covid-19 em Portugal

Política

Covid-19: Rio admite possibilidade de um desconfinamento a ritmos diferentes, por regiões

O presidente do PSD, Rui Rio, admitiu hoje um desconfinamento a ritmos diferentes, por regiões, quando a evolução epidemiológica não for homogénea, como forma de não prejudicar as populações menos "massacradas" pela pandemia de covid-19

Exame Informática
MI - Mobilidade Inteligente

Sport e Cross, as bicicletas elétricas da Porsche

A fabricante de automóveis de luxo apresentou as duas novas bicicletas elétricas ao mesmo tempo que anunciou o modelo Taycan Cross Turismo. Os preços são, como esperado, elevados