Menos de 12% dos oceanos estão intactos

Menos de 12% dos oceanos estão intactos

Emanuel Gonçalves, biólogo e administrador da Fundação Oceano Azul, inaugurou a nova rubrica na VISÃO, Oceano de Esperança, dedicada a pessoas e organizações excepcionais que fazem a diferença para criar um planeta e um futuro mais sustentáveis. Pedimos-lhe para partilhar com os leitores os números e os factos que mais o preocupam.

1. Modelo de desenvolvimento económico. A maior ameaça que o oceano enfrenta é o nosso atual modelo de desenvolvimento económico que se baseia numa economia extrativa e no essencial baseada em sistemas lineares, onde os custos de degradação e os benefícios indiretos da natureza não são contabilizados. Isto leva a uma situação em que, para que haja desenvolvimento económico, exista degradação ambiental. Este modelo de desenvolvimento económico extrativo e que carboniza está a levar-nos a uma catástrofe ambiental, social e económica.

2. Aquecimento global. O oceano está a aquecer muito mais do que se pensava, absorvendo até 90% do excesso de calor produzido pelas emissões. Ao mesmo tempo está a acidificar com o excesso de CO2 absorvido e, soubemos agora com o recente relatório da IUCN, a ficar com bastante menos oxigénio. Estes fatores estão a aumentar as zonas mortas no oceano, a fazer desaparecer os recifes de coral, a alterar a distribuição das espécies, incluindo de muitos recursos pesqueiros, a diminuir o espaço vital que estas espécies normalmente utilizavam e a provocar um acelerar da extinção de espécies.

3. Sobre-pesca e falta de transparência na gestão pesqueira. Não conseguimos ainda controlar a sobre-exploração dos recursos pesqueiros nem as atividades de pesca ilegal. Esta sobre-pesca tem levado ao desaparecimento ou diminuição de muitos stocks pesqueiros a nível mundial, com alterações profundas nos sistemas oceânicos. Hoje tenta-se inclusivamente explorar recursos críticos para o funcionamento das teias tróficas do oceano como sejam o krill (pequenos camarões que são a base alimentar de muitos peixes, mamíferos marinhos, aves e invertebrados) e os peixes mesopelágicos (pequenos peixes que abundam na coluna de água no oceano aberto). É já menos de 12% a área do oceano global que pode ser classificada com estando intacta. Isto significa que temos menos área marinha intacta do que em terra, sendo que a maioria destes locais não têm qualquer estatuto de proteção.

4. Poluição. O nível de poluição no oceano continua a aumentar embora este assunto esteja longe da atenção da sociedade. Por um lado, temos a poluição orgânica das mega-cidades mundiais e dos sistemas agrícolas onde, mesmo nos países desenvolvidos, os sistemas de tratamento de efluentes não retiram muitos dos nutrientes que provocam fenómenos de eutroficação que estão na base do desenvolvimento de episódios de algas tóxicas, zonas mortas e impactos significativos nos sistemas biológicos ou mesmo nos sistemas de aquacultura costeira (ela também muitas vezes causadora destes fenómenos). Por outro lado, a poluição química derivada dos muitos produtos que utilizamos e que são despejados nos efluentes e no oceano, causam a morte ou stress fisiológico dos organismos marinhos. Na última década tomámos consciência que a poluição por plásticos está em todo o lado no oceano, nos organismos e em nós próprios. Por fim, a poluição sonora de que nos apercebemos também nas últimas décadas, e que hoje sabemos tem impactos no comportamento, fisiologia e distribuição de muitas espécies marinhas.

5. Destruição de habitat. Continuamos a perder habitats costeiros que são críticos para a mitigação das alterações climáticas e para a produtividade do oceano, como sejam os sapais, pradarias marinhas e mangais. Continuamos igualmente a destruir os fundos dos oceanos através de formas de pesca destrutiva, extração de inertes, obras costeiras e até agora a planear a mineração dos fundos marinhos para a qual não existe nenhuma evidência que possa ser desenvolvida de forma sustentável.

6. Exploração de petróleo e gás no offshore. A indústria de petróleo e gás continua a desenvolver atividade no offshore com consequências desastrosas para o clima, pois continuamos a aumentar as emissões de gases com efeito de estufa, mas também com consequências diretas significativas no oceano quer nos acidentes de poluição por hidrocarbonetos, na destruição dos fundos marinhos e na atividade de prospeção sísmica que tem impacto elevado nas espécies de baleias e golfinhos, por exemplo.

7. Apatia dos cidadãos. Para terminar, é preciso assinalar uma ameaça bastante menos discutida e que tem consequências críticas para o estado de saúde do oceano (e do planeta em geral): o facto de se assistir hoje a uma dicotomia entre, por um lado, a mobilização dos movimentos de cidadãos que se preocupam com o futuro e que têm começado a surgir para reclamar uma alteração profunda do modelo de desenvolvimento económico em que as nossa sociedades se baseiam e em encontrar soluções para os problemas identificados e, por outro lado, a apatia geral que se observa onde se continua a assistir à destruição do oceano sem que a sociedade se consiga ainda mobilizar de forma eficaz para combater as decisões erradas dos governos, financiadores e empresas. É preciso agir.

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba aqui mais sobre esta missão comum.

Relacionados

Mais na Visão

Mais Notícias

Polestar 2 em teste:

Polestar 2 em teste: "OK Google, o que achas deste carro?"

Hospitais privados exigem que ADSE atualize os preços

Hospitais privados exigem que ADSE atualize os preços

Com visuais sofisticados, família real da Suécia marca presença na abertura do Parlamento

Com visuais sofisticados, família real da Suécia marca presença na abertura do Parlamento

Governo da Madeira não vai limitar iluminação decorativa no Natal

Governo da Madeira não vai limitar iluminação decorativa no Natal

A PRIMA gosta dos pratos da Casa Davolta, dos novos modelos Hunter e do regresso do Chefs on Fire

A PRIMA gosta dos pratos da Casa Davolta, dos novos modelos Hunter e do regresso do Chefs on Fire

As figuras da PRIMA 17

As figuras da PRIMA 17

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1543

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1543

Ministério do Ambiente também apoiará financeiramente movimento

Ministério do Ambiente também apoiará financeiramente movimento "Mulheres pelo Clima"

Entre Kate e Meghan, quem influencia mais as tendências?

Entre Kate e Meghan, quem influencia mais as tendências?

Quer ter sucesso a decorar a sua casa?

Quer ter sucesso a decorar a sua casa?

Pó

Tendências: microssaias

Tendências: microssaias

Lourenço Ódin Cunha vai ser pai de uma menina

Lourenço Ódin Cunha vai ser pai de uma menina

Mind The Glass, no Porto: Um festim no copo e no prato

Mind The Glass, no Porto: Um festim no copo e no prato

Marido de Sónia Jesus conheceu o filho

Marido de Sónia Jesus conheceu o filho

Era uma vez uma maravilhosa preta da Guiné

Era uma vez uma maravilhosa preta da Guiné

Grohe abriu primeiro showroom em Portugal

Grohe abriu primeiro showroom em Portugal

Estes miúdos resolvem problemas com a ajuda da tecnologia

Estes miúdos resolvem problemas com a ajuda da tecnologia

O Batalha reabre a 9 de dezembro como Centro de Cinema.  E com os frescos de Júlio Pomar à vista

O Batalha reabre a 9 de dezembro como Centro de Cinema. E com os frescos de Júlio Pomar à vista

Letizia e o aperto de mão que está a dar que falar

Letizia e o aperto de mão que está a dar que falar

Multipessoal apresenta solução de emprego 100% digital

Multipessoal apresenta solução de emprego 100% digital

EXAME 462 - Outubro de 2022

EXAME 462 - Outubro de 2022

As medidas (imposições e recomendações) do Governo para poupar energia

As medidas (imposições e recomendações) do Governo para poupar energia

"A vida enquanto membro da realeza acabou para o príncipe André", afirma especialista em realeza

Associação alerta que acesso a medicamentos genéricos pode ficar comprometido

Associação alerta que acesso a medicamentos genéricos pode ficar comprometido

Morgado do Quintão inunda Algarve com três dias de arte e cultura

Morgado do Quintão inunda Algarve com três dias de arte e cultura

Bem-vindo, outono!

Bem-vindo, outono!

O Senhor Gonçalo M. Tavares

O Senhor Gonçalo M. Tavares

Os sapatos da Zara que as mulheres com mais estilo usam… e vão esgotar

Os sapatos da Zara que as mulheres com mais estilo usam… e vão esgotar

Reconciliações na família real britânica? Rei Carlos III tem esperança

Reconciliações na família real britânica? Rei Carlos III tem esperança

Agenda pais e filhos para este fim de semana

Agenda pais e filhos para este fim de semana

João Mota: O temor do ator na hora do regresso

João Mota: O temor do ator na hora do regresso

Beatrice Borromeo e Alexandra de Hannover juntas no desfile da Dior em Paris

Beatrice Borromeo e Alexandra de Hannover juntas no desfile da Dior em Paris

Polestar 2 em teste:

Polestar 2 em teste: "OK Google, o que achas deste carro?"

Trussardi apresenta coleção primavera-verão 2023 na Semana da Moda de Milão

Trussardi apresenta coleção primavera-verão 2023 na Semana da Moda de Milão

Casa Dentro: Não perca, dia 6 de outubro, a conversa com Vítor Sobral

Casa Dentro: Não perca, dia 6 de outubro, a conversa com Vítor Sobral

VOLT Live: o novo manual para utilizadores de veículos elétricos

VOLT Live: o novo manual para utilizadores de veículos elétricos

Investigadores da FMUP estudam diferenças entre sexos na insuficiência cardíaca

Investigadores da FMUP estudam diferenças entre sexos na insuficiência cardíaca

Como é feito o guarda-roupa de um concorrente de “Big Brother”? A especialista conta

Como é feito o guarda-roupa de um concorrente de “Big Brother”? A especialista conta

Programa YOUTH, dedicado a jovens mulheres, com candidaturas abertas

Programa YOUTH, dedicado a jovens mulheres, com candidaturas abertas

Cassie, o robô bípede, corre 100 metros em 24,73 segundos

Cassie, o robô bípede, corre 100 metros em 24,73 segundos

Volkswagen: cápsula autónoma para transportar até quatro passageiros

Volkswagen: cápsula autónoma para transportar até quatro passageiros