Rui Tavares Guedes

Rui Tavares Guedes

Diretor Executivo
Mundo
Exclusivo

Rússia: O novo jogo de Putin, o todo-poderoso

Três décadas depois do fim da União Soviética – que considera ter sido uma “catástrofe” –, o líder de Moscovo aproveita todas as oportunidades para tentar alargar a influência do maior país do planeta

Telegrama

Telegrama: A guerra na Ucrânia já começou?

Neste clima explosivo, o grande risco está na ocorrência de um qualquer incidente que faça acender o rastilho que torne inevitável o movimento das tropas e das armas. O certo é que os tambores de guerra não param de tocar e, esgotadas as negociações, sucedem-se as habituais provocações

Editorial

Libertar as utopias

As diferenças entre as duas propostas são abissais: a prisão perpétua representa um retrocesso civilizacional; o rendimento básico universal é uma utopia em busca de poder ser concretizada

Telegrama

Telegrama: O que acontece no Cazaquistão fica apenas no Cazaquistão?

A dúvida é perceber se a Rússia ficará enfraquecida ou se, pelo contrário, aproveita para mostrar a sua força e o seu papel central para manter o controlo sobre os países da Ásia Central.

Opinião

A abstenção não vos tira o sono?

A abstenção devia ser uma das preocupações que, em nome da defesa da democracia, nos tiraria o sono, em busca de soluções para a combater. Afinal, mesmo em campanha eleitoral, preferimos continuar a dormir... sem pensar nela

Telegrama

Telegrama: Estamos preparados para os grandes riscos de 2022?

Somos ótimos a falhar nas perceções do risco. Isto, porque as nossas análises são influenciadas, quase sempre, pelo passado recente e pelo ciclo de notícias. "Normalmente, as maiores ameaças são coisas que nunca tínhamos imaginado".

Editorial

A certeza da incerteza

Já se percebeu que até poderemos libertar-nos da pandemia, mas não vamos libertar-nos tão cedo do vírus

Telegrama

Telegrama: 10 histórias de 2021 que vão continuar atuais em 2022

Seleção de uma dezena de artigos de 2021 que, pela sua profundidade e importância, continuarão a ser de leitura obrigatória em 2022. São também, todos eles, exemplos de bom jornalismo.

Editorial
Exclusivo

O grito de alerta de Maria Ressa

As grandes companhias tecnológicas vivem exatamente desta polarização de opiniões, lucrando de forma desmesurada com as declarações vertidas num post ou num tweet que consiga incendiar as redes sociais

Opinião

Cuidado com as previsões

Há uma grande diferença entre prometer baixar os impostos (e não o fazer) e anunciar o fim da pandemia – e ele não se concretizar. No primeiro caso, apenas o político é responsabilizado, no segundo é toda a confiança na vacina e na Ciência que pode ser minada

Telegrama

Telegrama: Será que estamos a tomar as medidas certas para travar a Ómicron?

Sociedade
Exclusivo

7 cidades a menos de 1500 Km: Afinal, é possível fazer uma pequena "Volta ao Mundo"... quase à porta de casa

A distância pode parecer redutora, mas o mapa não engana: num raio de 1 500 quilómetros em redor de Portugal, é possível descobrir um conjunto de cidades, em dois continentes, com ambientes, culturas e climas diferentes. Todas, porém, com um denominador comum: já eram relevantes no ano de 1500 e vão continuar a sê-lo, com toda a certeza, em 2049

Opinião

A memória que não se apaga

Editorial

O vencedor raramente leva tudo

Rui Rio possui o raro registo de conseguir ganhar eleições, mesmo quando todas as apostas se alinham contra ele

Telegrama

Telegrama: O novo governo alemão pode ser um sinal de esperança para a Europa?

O que esta coligação governativa alemã apresenta ao mundo, num tempo de regresso das polarizações e do autoritarismo, é a capacidade de se poderem construir pontes e entendimentos entre partidos diferentes, mas com o objetivo comum de melhor servirem o seu país.

Artigos de Newsletter

Telegrama: O caso da tenista Peng Shuai vai ser fatal para a imagem da China no mundo?

VISÃO VERDE
VISÃO Verde
Exclusivo

Ministro do Ambiente: "Quando se produz eletricidade a partir do solar, quanto se paga de taxa de carbono? Zero. Vento? Zero. É mais uma razão para investirmos na energia renovável"

O ministro do Ambiente acredita que a atual crise energética deve ser um aviso para se avançar mais na descarbonização e, com isso, até se criar um novo modelo de desenvolvimento económico, capaz de gerar mais riqueza e empregos. Quanto às alterações climáticas, avisa que Portugal é um dos países mais ameaçados na Europa. “Perdemos 13 quilómetros quadrados de praias nos últimos 30 anos”, lembra

Opinião
Exclusivo

“Sapiens” ou “Stupidus”?

Passou o tempo destinado a alertar as pessoas para a necessidade de nos preocuparmos com as alterações climáticas. Já nada mais há a fazer nesse domínio. É preciso, isso, sim, agir, tomar as medidas necessárias que impeçam a contínua subida das temperaturas, que nos obriguem a todos, enquanto Humanidade, a permitir que a nossa espécie continue a existir na Terra – porque o planeta, connosco ou sem nós, continuará a girar à volta do Sol, durante mais uns quantos milhões de anos

Telegrama

Telegrama: Em vez dos loucos anos 20, estamos a regressar, afinal, aos sombrios anos 70?

Em vez da alegria contagiante e transgressora que marcou a década de 1920, avisam-nos antes para nos prepararmos para enfrentar tempos sombrios, repletos de dúvidas e de inquietações só comparáveis aos que marcaram os anos 70, ainda de memória fresca para muitos – por boas e más razões.

VISÃO DO DIA
Exclusivo

VISÃO DO DIA: Há vacina para o preço dos combustíveis? E para as novas variantes?

Editorial

A bomba-relógio das vacinas em África

Quanto mais tempo demorarmos a vacinar em África, mais longe estará também o fim desta pandemia