Rui Tavares Guedes

Rui Tavares Guedes

Diretor Executivo
Mundo
Exclusivo

Ron DeSantis: O trumpista que desafia Trump

Ron DeSantis, o reeleito governador da Flórida, perfila-se como a grande esperança republicana para recuperar a presidência dos EUA e, em simultâneo, afastar Donald Trump da ribalta. O que ele fez para chegar aqui e como poderá ser o duelo entre os dois populistas

Donald Trump
Telegrama

Telegrama: É agora que acaba o Trumpismo?

O que acontece a um líder quando começa a acumular derrotas sucessivas? A resposta é igual tanto no desporto como na política: substitui-se o líder – mesmo contra a sua vontade. Donald Trump parece ainda não ter percebido que é isso que lhe está prestes a acontecer.

Editorial
Exclusivo

Preparados para a era do caos?

O caos é o terreno predileto de todos os que desejam enfraquecer as instituições democráticas, dos que têm uma visão unilateral do mundo, dos que querem impor a sua “ordem” autoritária

Telegrama

Telegrama: O combate às alterações climáticas já está oficialmente perdido?

Num mundo abalado por uma guerra que se pode tornar nuclear e por uma inflação que abre caminho para uma recessão global, em simultâneo com uma crescente crispação social e política, será que o combate às alterações climáticas continua a ser uma prioridade global?

Mundo
Exclusivo

Brasil: Os desafios de Lula na América Latina vermelha

A vitória de Lula frente a Bolsonaro revelou um Brasil dividido como nunca, mas também o desejo de o país regressar ao primeiro plano na cena internacional, como líder de uma América Latina pintada com as cores da esquerda

Telegrama

Telegrama: O Mundial de Futebol vai acabar por ser prejudicial para o Qatar?

A grande audiência global do Mundial - que chegará aos cinco mil milhões, segundo a FIFA - vai ser aproveitada para fazer pressão sobre o Qatar. E essa possibilidade, proibida pelos regulamentos da FIFA e pelas leis do país, está a começar a criar dores de cabeça aos organizadores.

Mundo
Exclusivo

Xi Jinping: O poder absoluto do mestre da ilusão

Sem opositores internos e rodeado somente por aliados, Xi Jinping ficou ainda mais poderoso e ameaçador. O que pode fazer com tanto poder o homem-forte de Pequim?

Mundo
Exclusivo

François Bougon: "Xi Jinping acabou por ficar rodeado de pessoas que lhe dizem apenas o que ele quer ouvir"

Xi Jinping acabou por ficar rodeado de pessoas que lhe dizem apenas o que ele quer ouvir

Opinião
Exclusivo

E a China despertou...

Todos estavam convencidos de que o mundo já não “tremeria” quando a China acordasse. Só que ninguém estudou em maior profundidade e detalhe as razões do colapso da União Soviética do que os dirigentes comunistas chineses

Editorial
Exclusivo

Estabilidade, confiança, compromisso e… prudência

Nas atuais circunstâncias, é sempre preferível existir um acordo de concertação do que um não acordo

Opinião

Seis semanas e meia

O que tudo isto revela é que o mundo está a entrar num momento que, com toda a probabilidade, pode marcar um antes e um depois na História da Humanidade

Telegrama

Telegrama: A ameaça nuclear de Putin é para ser levada a sério?

A guerra entrou numa nova fase, porventura com o potencial mais trágico que se pode imaginar. A possibilidade de uso de armas nucleares e de um confronto direto entre a Rússia e a NATO subiu mais um patamar. E tudo aquilo que até há bem pouco tempo parecia impossível passou a ser… possível. A dúvida principal, em face dos mais recentes acontecimentos, é fácil de identificar, mas muito difícil de ser respondida: o que fará Vladimir Putin no caso de se sentir encurralado?

Editorial
Exclusivo

Diário de uma República em busca do aeroporto

Mais do que um folhetim interminável, o novo aeroporto transformou-se num labirinto, onde todos os governos ficam enredados, apesar de dizerem sempre que conhecem a saída

Opinião

Zero em atividade física

Contas feitas, os portugueses são os campeões europeus da inatividade física. Mas o mais impressionante é que essa realidade continua longe dos temas que dominam o debate político, como se este fosse um tema menor e sem relevância para as nossas vidas

Artigos de Newsletter

Telegrama: Até quando irá durar a "amizade sem limites" entre a Rússia e a China?

O que pode ser pior para o Kremlin: os êxitos militares da contraofensiva ucraniana, o endurecimento das sanções do Ocidente ou o fim da sua "amizade sem limites" com a China – segundo a fórmula proclamada por Putin e Xi Jiping, apenas 20 dias antes do início da invasão da Ucrânia? Não vale a pena perder muito tempo a avaliar o grau de gravidade de cada hipótese. A resposta correta é a ocorrência dessas três ameaças em simultâneo

Editorial
Exclusivo

O último ato do império britânico

Em 2012, com os Jogos Olímpicos, Londres tentou anunciar o futuro. Agora, dez anos depois, com o funeral de Isabel II, apenas está a homenagear o passado – sem qualquer certeza de futuro

Telegrama

Telegrama: Porque é que a falta de professores é um fenómeno global?

Há uma outra pandemia – mais silenciosa, mas igualmente global – a alastrar por quase toda a Europa, mas também na América do Norte e na Austrália: a insistente e gritante falta de professores

Mundo

Há 70 anos que não havia uma notícia destas: Como em 1952 os jornais noticiaram a morte do rei Jorge VI… e o início do reinado de Isabel II

As primeiras páginas dos periódicos dividiram-se logo entre a homenagem ao rei morto e a saudação à jovem monarca

Opinião

Nadar contra o fatalismo

Ninguém tem dúvidas de que Diogo Ribeiro é mesmo um talento excecional, mas ainda é mais verdade que o País só conhece agora o seu nome – e muito bem! – porque esse seu talento foi devidamente identificado, treinado e potenciado

Artigos de Newsletter

Telegrama: Porque estão a morrer mais pessoas do que o normal em tantos países?

São quase 140 mil mortes a mais na União Europeia, só nos primeiros seis meses do ano. Um ritmo de óbitos no Reino Unido apenas comparável com o registado nos piores tempos da pandemia - mas agora sem despertar polémicas. Nos EUA a esperança média de vida voltou a cair – e é a primeira vez que essa queda ocorre em dois anos consecutivos, num século. E os mesmos indicadores repetem-se, por exemplo, na Austrália e no Japão.

Editorial
Exclusivo

Um Governo com o passo trocado

Ao insistir em não mudar o seu ritmo perante os problemas que vão aparecendo, António Costa conseguiu a proeza de, em apenas cinco meses, desacertar o passo com o resto do País