Miguel Araújo

Miguel Araújo

MÚSICO
Crónicas

Lavar a louça

Tem de ficar bem-feito. “Sê todo em cada coisa. Põe quanto és no mínimo que fazes.” OK, Ricardo, já sei

Miguel Araújo
Crónicas

Tudo pó

Porque é assim com tudo, mesmo com as obras que nos são mais caras, aparentemente definitivas, aparentemente imortais. Vem um incêndio e pronto, fica já resolvido

Miguel Araújo
Crónicas

P de Pânico

Nesta minha jornada de não-cristão-praticante, fiquei amigo de muitos padres. Mas nunca daqueles que falam à padre. Esses provocam-me um medo irracional

Miguel Araújo
Crónicas

Dias pequenos

Pequenos-almoços, idas para as escolas, corrida, chuveiro, estúdio, almoços, estúdio, idas à escola, trabalhos de casa, jantar, cama. Todos os meus dias são assim

Miguel Araújo
Crónicas

No Name

Eu odiava discotecas. Quando chegava a hora de arrancar do No Name, para mim era o fim. O que para toda a gente era um simples estágio preliminar era para mim um fim em si

Miguel Araújo
Crónicas

Eu e as Redes

As redes sociais digitais são inevitáveis, são para onde tende todo o esforço humano desde que o primeiro hominídeo grunhiu à saída da sua gruta

Miguel Araújo
Crónicas

As ideias

Eis a grande tragédia da minha vida criativa: oscilar entre um estado em que as ideias tomam conta de mim para um estado em que tenho de ser eu a tomar conta delas

Miguel Araújo
Crónicas

Entrevista imaginária de mim para mim

A minha sorte é que sei os acordes, as harmonias, passei a vida a aprender essas coisas. Então sei “sacar” as músicas de dentro da cabeça, é uma sorte

Miguel Araújo
Crónicas

The Face Forgives the Mirror

Para tornar a terra fértil é preciso não estar com a mão na massa, é preciso, no meu caso, ir pelo Parque da Cidade abaixo até ao Edifício Transparente, virar à esquerda, passar junto ao Castelo do Queijo, ir por ali afora

Miguel Araújo
Crónicas

Isto sim, é pop

Na pop vale tudo, vale mostrar as partes mais pudicas da anatomia humana para vender discos, vale fazer playback, até Milli Vanilli vale

Miguel Araújo
As reuniões de staff
Crónicas

As reuniões de staff

A experiência de ler uma letra de uma canção sem ter conhecido ainda a sua música é uma experiência falha, apenas a melodia poderá revelar aquelas palavras

Miguel Araújo
Gato morto
Crónicas

Gato morto

Os gatos são egoístas, não querem saber do seu semelhante, coitados, é uma condição da espécie. Por isso, em nada lhes interessa anteriores vítimas

Miguel Araújo
Faith No More no Acácio Lello
Crónicas

Faith No More no Acácio Lello

Tinha 15 anos e, pela primeira, única, última vez da minha vida, andava sintonizado com música feita num tempo atual, presente. Essa minha fase durou de 1991 a 1994

Miguel Araújo
Homo Inabilis
Crónicas

Homo Inabilis

Tenho tanto sentido de orientação quanto o Stevie Wonder tem de visão. Para mim, saber onde fica o Norte, o mar, ou o Marshopping recorrendo apenas à intuição é como ter visão de raio X

Miguel Araújo
A Orquestra
Crónicas

A Orquestra

Era com bastante interesse que eu assistia àqueles pré-ensaios. O caos, a desordem, a cacofonia que a soma aleatória e desorganizada que 200 instrumentos tocados ao acaso produz é de enlouquecer

Miguel Araújo
Crónicas

Os Americanos da Cordoama

Toda a gente acha os americanos isto e aquilo, mas no fundo toda a gente se empolga na presença da espécie. “Ei, olha um americano”, e ficamos logo corados

Miguel Araújo
Crónicas

Num Uber XL

Vou neste preciso momento num Uber dos grandes, vai a família toda, e peguei no telemóvel para escrever a minha crónica quinzenal, que virá publicada na reputada revista VISÃO

Miguel Araújo
Crónicas

O subchefe Couto Ribeiro

Mil vezes espetar uma faca numa courgette do que na jugular dum coelho. Bendita desmasculinização da civilização ocidental. É por isso que volta e meia é preciso chamar um homem cá a casa

Miguel Araújo
Crónicas

O Gomes dos Recursos Humanos

Às 22h, a luz da janela de lá apagava-se. Era um diálogo diário, reconfortante. O Gomes não duvidava de que era recíproco

Miguel Araújo
Proa
Crónicas

Proa

Nunca mais vou esquecer-me desse dia, enquanto as minhas células cerebrais se forem nutrindo do oxigénio necessário. Foi nesse dia que eu dei o meu primeiro concerto

Miguel Araújo
Um Copo
Crónicas

Um Copo

Contemple-se agora o amontoado disperso de cacos, grânulos de vidro, pó transparente, pedacinhos cintilantes, pedrinhas que brilham, que se espalham em espiral

Miguel Araújo