Miguel Araújo

Miguel Araújo

MÚSICO
Crónicas

A Casa da Barragem

Por artes que eu não posso, não devo, não quero, não ouso nem vou compreender, as nossas vidas prosseguem facilitadas sem que sequer tomemos cinco minutos para dar valor a quem tomou a vida toda para as pôr a funcionar

Miguel Araújo
Crónicas

A minha avó

Julgo que nunca ninguém chegou propriamente a ser açoitado pelo chicote de couro pendurado desde sempre e para sempre na porta da despensa, mas ninguém queria ser o primeiro

Miguel Araújo
Crónicas

Idílio

A vida, aí sim, até que enfim seria bela, sépia, tela e carvão, com o passar do tempo bem mais leve e amarela, bem melhor, Shibuya ou Tui, isso não sei, nunca lá fui

Miguel Araújo
Crónicas

No alto da serra d’Arga

E eis um pormenor inquietante: um capacete debaixo do braço. Na cova do braço, um capacete moderno, de bom aspeto, em nada condizente com tão pitoresco e torguiano cidadão

Miguel Araújo
Crónicas

53 Dias

Do dia 12 em diante, fiquei em casa. Faz hoje 53 dias; 53 dias preso a uma existência rotineira que em quase nada foge àquela que já era a minha, nos dias sem compromissos com concertos e afins

Miguel Araújo
Crónicas

Praia, poemas, etc.

As praias selvagens com vegetação virgem por trás oprimem-me a alma. Gosto mais de praias com pombas do que praias com gaivotas. Prefiro praia de cidade e a Praia de Gondarém é a melhor praia do mundo

Miguel Araújo
Crónicas

Uma questão teológica em forma de oração

Vá lá que conseguimos desferir uma flechada bem dada no calcanhar de Aquiles da sua economia global, daí talvez se possam colher alguns frutos desta nossa missão divina. Mas não vai ser fácil

Miguel Araújo
Crónicas

Lavar a louça

Tem de ficar bem-feito. “Sê todo em cada coisa. Põe quanto és no mínimo que fazes.” OK, Ricardo, já sei

Miguel Araújo
Crónicas

Tudo pó

Porque é assim com tudo, mesmo com as obras que nos são mais caras, aparentemente definitivas, aparentemente imortais. Vem um incêndio e pronto, fica já resolvido

Miguel Araújo
Crónicas

P de Pânico

Nesta minha jornada de não-cristão-praticante, fiquei amigo de muitos padres. Mas nunca daqueles que falam à padre. Esses provocam-me um medo irracional

Miguel Araújo
Crónicas

Dias pequenos

Pequenos-almoços, idas para as escolas, corrida, chuveiro, estúdio, almoços, estúdio, idas à escola, trabalhos de casa, jantar, cama. Todos os meus dias são assim

Miguel Araújo
Crónicas

No Name

Eu odiava discotecas. Quando chegava a hora de arrancar do No Name, para mim era o fim. O que para toda a gente era um simples estágio preliminar era para mim um fim em si

Miguel Araújo
Crónicas

Eu e as Redes

As redes sociais digitais são inevitáveis, são para onde tende todo o esforço humano desde que o primeiro hominídeo grunhiu à saída da sua gruta

Miguel Araújo
Crónicas

As ideias

Eis a grande tragédia da minha vida criativa: oscilar entre um estado em que as ideias tomam conta de mim para um estado em que tenho de ser eu a tomar conta delas

Miguel Araújo
Crónicas

Entrevista imaginária de mim para mim

A minha sorte é que sei os acordes, as harmonias, passei a vida a aprender essas coisas. Então sei “sacar” as músicas de dentro da cabeça, é uma sorte

Miguel Araújo
Crónicas

The Face Forgives the Mirror

Para tornar a terra fértil é preciso não estar com a mão na massa, é preciso, no meu caso, ir pelo Parque da Cidade abaixo até ao Edifício Transparente, virar à esquerda, passar junto ao Castelo do Queijo, ir por ali afora

Miguel Araújo
Crónicas

Isto sim, é pop

Na pop vale tudo, vale mostrar as partes mais pudicas da anatomia humana para vender discos, vale fazer playback, até Milli Vanilli vale

Miguel Araújo
As reuniões de staff
Crónicas

As reuniões de staff

A experiência de ler uma letra de uma canção sem ter conhecido ainda a sua música é uma experiência falha, apenas a melodia poderá revelar aquelas palavras

Miguel Araújo
Gato morto
Crónicas

Gato morto

Os gatos são egoístas, não querem saber do seu semelhante, coitados, é uma condição da espécie. Por isso, em nada lhes interessa anteriores vítimas

Miguel Araújo
Faith No More no Acácio Lello
Crónicas

Faith No More no Acácio Lello

Tinha 15 anos e, pela primeira, única, última vez da minha vida, andava sintonizado com música feita num tempo atual, presente. Essa minha fase durou de 1991 a 1994

Miguel Araújo
Homo Inabilis
Crónicas

Homo Inabilis

Tenho tanto sentido de orientação quanto o Stevie Wonder tem de visão. Para mim, saber onde fica o Norte, o mar, ou o Marshopping recorrendo apenas à intuição é como ter visão de raio X

Miguel Araújo