Manuela Niza Ribeiro

Migrações
Igualmente desiguais

O silêncio dos inocentes – o mercado do tráfico de órgãos

Há crianças, sobretudo as desacompanhadas, as que ninguém reclamará, que são retalhadas até à morte para “abastecer” este mercado

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

O novo pacto europeu para a migração e asilo é um copo que está a meio

Uma palavra de congratulação para a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que teve a coragem de encarar o grave problema da pressão migratória sobre a Europa, de forma sistemática e coerente

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

As passas do Algarve

A rota do Algarve será uma realidade, quer lhe queiramos chamar assim ou de outra forma

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Se a televisão não mostrou, então, não aconteceu!

O drama dos refugiados não terminou. Apenas passou para um plano secundário das nossas agendas condicionadas pelo imediatismo dos media e das preocupações políticas, que não pretendem reativar o tema

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Regresso às aulas: assegurar a inclusão

Nem todos os alunos possuem material informático ou mesmo rede de internet que lhes permite acompanhar as matérias, submeter trabalhos ou efetuar pesquisas

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Quando os elefantes lutam, quem sofre é o capim

Conclusão: a Turquia conseguirá todos os seus objetivos sem um único ato militar. Basta usar os “escudos humanos” que a própria Europa lhe ofereceu

Manuela Niza Ribeiro
Opinião

CU, CLAXE CLANE

Até agora, os movimentos deste teor não se têm inibido a mostrar-se de cara descoberta, de fazerem ameaças declaradas quer por palavras quer por gestos (relembro sempre a ameaça de Mário Machado perante as câmaras de degolar os seus opositores). Mais: fazem gala de se mostrarem ostentando uma arrogante impunidade

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

O senhor Oliveira do Tintim

O primeiro passo para conseguirmos inverter a curva demográfica descendente, e podermos responder ao mercado de trabalho em áreas menos qualificadas, é deixar de lado a desconfiança securitária em relação ao imigrante

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Vistos Gold: proscritos ou benvindos?

A própria União Europeia manifesta-se, de quando em vez, contra este tipo de Autorização de Residência, alertando para o facto de poder ser utilizada para fins menos lícitos, nomeadamente, lavagem de dinheiros oriundos de negócios pouco claros

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Tráfico de seres humanos: o negócio do século

Se, até há bem pouco tempo, o tráfico de seres humanos se debruçou maioritariamente sobre a exploração para fins sexuais, na sua grande maioria de mulheres, neste momento, o “negócio” transnacional do tráfico envolve cada vez mais o grupo vulnerável de crianças

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Já se pode falar de rota algarvia?

É necessário uma política migratória europeia que estabeleça corredores de migração legal, baseados na demanda do mercado. Até porque, no final das contas, é sempre este que determina tais fluxos.

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Partidos "tasca": eles andam por aí

O povo, aquele que mais ordena, chegou a um ponto de total descrédito nas políticas implementadas até ao momento, e nos políticos que as apregoam. Esta é que é a verdade!

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Narrativas pouco inocentes

Olhemos o que se passa, por exemplo, com as lojas chinesas no nosso País. Quem é que hoje entra hoje numa dessas lojas, onde antes fazia compras regularmente?

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

A verdadeira doença europeia

Não é verdade que a Europa não possa acolher um tal número de migrantes/refugiados. Veja-se o número acolhido por países bem menos desenvolvidos, quer em África, quer no Médio Oriente. São milhões!

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Um polícia bom é sempre um bom polícia

O que temos que combater e derrubar não são as estátuas do passado, mas sim os preconceitos, os valores instituídos, o politicamente correto, o corporativismo, o etnocetrismo do presente

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

A preto e branco

Já agora, sejamos um pouco mais humildes e arrumemos primeiro a nossa casa, antes de atirarmos pedras ao vizinho. O que aconteceu nos EUA foi hediondo e as repercussões também são condenáveis. Mas... E por cá?

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Warao: A tribo índia à beira da extinção

Pedem muito pouco: apenas uma área onde se possam instalar. Num país imenso como o Brasil, terra é coisa que não falta. Mas não sobra para esta tribo, que se vê enclausurada, abandonada e sem quaisquer defesas

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

SNS migrantes

Um imigrante irregular tem direito a ser atendido no SNS? Numa palavra única, sim. A regularização da sua situação em Portugal não compete às autoridades de saúde

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

Democracia: o pior dos sistemas... Tirando todos os outros

Lembro-me de, quando o Chega nasceu, as pessoas se rirem e, com algum paternalismo, dizerem que não ia a lado nenhum. O problema não era aonde iria. O problema era aonde tinha chegado – aqui!

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

União Europeia: É tempo de cidadania consciente e ativa

As medidas de contenção do virus são: lavagem das mãos, a não partilha de materiais de higiene ou de alimentação e o distanciamento social. Perguntinha: Como podem estas medidas ser implementadas em locais onde existe um ponto de água potável para cerca de mil pessoas, onde as condições sanitárias e de higiene são praticamente inexistentes?

Manuela Niza Ribeiro
Igualmente desiguais

A geopolítica do "day after"

Os EUA decidiram retirar a sua contribuição para a Organização Mundial de Saúde. Quem se perfilou imediatamente para substituir esse gap orçamental? Alguns países do Médio Oriente, mas, de uma forma muito clara e substancial, a China

Manuela Niza Ribeiro