José Luís Peixoto

José Luís Peixoto

Escritor
Gorongosa
José Luís Peixoto

Gorongosa

Os leões não querem guerra. Os gnus não querem guerra. Os javalis-africanos não querem guerra. Os pala-pala não querem guerra. Os elefantes não querem guerra. Os animais, todos eles, só querem viver. Os animais não esqueceram.

Gorongosa
José Luís Peixoto

Aquele emprego que eles têm lá em Bruxelas

Em janeiro, passam exatamente trinta anos desde que Portugal é membro da União Europeia. Quem irá comemorar esse aniversário?

Dívidas
José Luís Peixoto

Dívidas

Quanto devemos aos credores internacionais? Definiram juros e emprestaram aquilo de que não precisavam a outros que estavam aqui e que se retiraram na hora de pagar 

Dois em mil
José Luís Peixoto

Dois em mil

Uma rapariga ficou parada ao meu lado. Olhei para ela. Não olhou para mim e foi-se embora. Passados minutos, voltou

Dois em mil
José Luís Peixoto

O povo

Por baixo do viaduto, o barulho da multidão é mais alto, faz eco. Homens pendurados em copos de vinho tinto e oleoso; mulheres a transpirar diante fogões, botijas de gás, bifanas, entremeadas e couratos

Dois em mil
José Luís Peixoto

Causa própria

Vejo no telejornal o rosto de alguns dos prejudicados pelos bancos. As poupanças de uma vida, dizem eles. Mesmo através do ecrã, dá para perceber que perderam muito mais do que isso. Gritam contra portas fechadas, contra muros de pedra

O último a esquecer
José Luís Peixoto

O último a esquecer

Ao contrário de todas as outras provas, em que se premiava os mais rápidos, nesta corrida de bicicletas ganhava o último a chegar à meta

O último a esquecer
José Luís Peixoto

Boné

Não faltam opções e regalias aos escritores. São artistas e, se quiserem, podem pentear-se raramente

O último a esquecer
José Luís Peixoto

As palavras invisíveis

Os segredos retiram lógica ao mundo. Aquilo que se omite priva os outros de compreenderem as razões dos episódios a que assistem

Senhoras e rapazes
José Luís Peixoto

Senhoras e rapazes

Assim, é certo que, na Bangla Road, em Patong,Tailândia, não existe uma ladyboy chamada Khem. Não sou capaz de recordar o perfume açucarado do seu pescoço porque ela não se sentou no meu colo

Senhoras e rapazes
José Luís Peixoto

Outro aqui, outro alguém

Não acredites que basta um avião para alcançar os lugares mais distantes

Península, ponto de interrogação
José Luís Peixoto

Península, ponto de interrogação

Nuestros hermanos? Só se estivermos a falar daqueles hermanos que foram separados à nascença, criados por pais completamente diferentes e que, depois de muitos anos, por enorme acaso, se apercebem de que são hermanos. Normalmente, essas histórias dão belos telefilmes

Aquilo que os meus amigos esperam de mim
José Luís Peixoto

Aquilo que os meus amigos esperam de mim

Não escrevo prefácios, não sugiro os livros, não faço elogios públicos, não dedico textos. Os meus amigos sabem tudo isto sobre mim

Conta lá a história das bibliotecas itinerantes
José Luís Peixoto

Conta lá a história das bibliotecas itinerantes

Na formação e na vida, a televisão não substitui a leitura e o cinema

Aquilo que os meus amigos esperam de mim
José Luís Peixoto

Os prémios recebem-se na altura devida e têm muitas formas

Havia jornalistas de suplementos literários e de revistas sociais, a uns falava-se de uma maneira, a outros falava-se de outra. Essa ginástica não era difícil porque eles próprios falavam de formas diferentes

Uns a imaginarem os outros
José Luís Peixoto

Uns a imaginarem os outros

Deixo-te os números, esses são concretos: as oitenta e cinco pessoas mais ricas do mundo possuem tantos recursos como a metade mais pobre de toda a população do planeta

Rouba-se
José Luís Peixoto

Rouba-se

Aquilo que mais me choca é, neste país, uma agência imobiliária tão conhecida, ter ladrões deste nível. Saber que em todas as atividades há maus profissionais não desculpa tudo

Rouba-se
José Luís Peixoto

Na despedida de um amigo

Não me lembro de melhor lugar para nos despedirmos. Nesse dia, o Urbano sorriu muito e fadigou-se de tanto entusiasmo. Foi um dia bom

O meu lugar
José Luís Peixoto

O meu lugar

Nenhum continente é demasiado grande ou demasiado estéril para me impedir de atravessá-lo

Prefiro dizer o título no fim
José Luís Peixoto

Prefiro dizer o título no fim

Deitado sobre a colcha da cama do meu quarto, eu tinha quinze, dezasseis anos e sabia que aquele livro estava a mudar a minha vida para sempre

Luta de classes
José Luís Peixoto

Luta de classes

Admiro o povo ao qual pertenço. Não o povo mitificado, admiro o povo quotidiano. Gosto de ir a feiras. Gosto de comer frango assado com as mãos. Devo tanto à cultura deste povo como devo a Dostoievski