João Seabra Catela

Médico Veterinário

João Seabra Catela é Médico Veterinário, mestrado pela Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa e co-coordenador do Gabinete Jovem da Ordem dos Médicos Veterinários

Cães a brincar, cães a trabalhar, cães a serem cães. Estas são as melhores fotos caninas do ano 7
Opinião

Este verão, lembrem-se dos vossos animais

O médico veterinário João Catela explica que cuidados devemos ter com os nossos bichos nesta altura em que a sua rotina diária é alterada, não só pelo calor em si, mas também por tudo o que a ida de férias envolve para um animal de estimação

Opinião

É possível contagiar o meu animal de estimação ou ele a mim?

O veterinário João Catela sobre a transmissibilidade de doenças entre animais e humanos e o papel da Medicina Veterinária na Saúde Pública

Opinião

Animais homossexuais - Uma questão de irracionalidade?

Para os animais, não há sequer a expetativa do “assumir” da sua orientação sexual, ao contrário dos humanos, pressionados socialmente por essa mesma palavra, como se se tratasse de alguma responsabilidade de notificação da sociedade, satisfazendo uma necessidade mesquinha de julgamento alheio. Eles são simplesmente aquilo que são, sem qualquer dilema moral ou complicação a nível social

Opinião

Dicionário da linguagem corporal: Afinal, o que nos contam os nossos cães?

Enquanto parte dos sinais que os cães nos dão são bastante evidentes, outros poderão ser ambíguos. Fique a perceber o que estes animais nos querem dizer em determinada situação, tendo em conta a sua linguagem corporal, de acordo com o veterinário João Seabra Catela

Opinião

Um animal de estimação pelo Natal? Talvez não seja um bom presente para os seus filhos

Um brinquedo pode ser um presente, pode ser usado exaustivamente e deitado fora, uma vida não. O apelo à cautela na hora de escolher aceder, ou não, aos pedidos dos mais novos, do veterinário João Seabra Catela

Opinião

Animais de estimação: Quando chega a hora de dizer adeus

A dor e o sentimento de injustiça são enormes, quando nos apercebermos que eles estão a atingir o limite. Seja por doença ou idade avançada, “de repente”, começa a custar-lhes passear, brincar ou comer. Finalmente, é o seu olhar, aquele que sabemos ler tão bem, a “gritar-nos” com tristeza, mas serenamente, que chegou a hora de partir. A opinião do veterinário João Seabra Catela

Opinião

Qual é, afinal, o lugar do cão?

Para a maioria das raças, incluindo muitos dos “rafeiros”, o seu lugar é em casa, connosco. Os cães também sentem frio, medo e necessidade de estar perto. Poder-me-ão dizer que sobrevivem na rua, é verdade. A isso respondo que um sem-abrigo também sobrevive na rua. No entanto, “sobrevive” é a palavra chave. Sobrevive sim, mas sem condições dignas e sem conforto. A opinião do veterinário João Seabra Catela