Henrique Costa Santos

Produtor cultural

Henrique Costa Santos, gestor, produtor e programador cultural em organizações como Boom Festival, Festival Todos e FOLIO. Formado em Lisboa, Londres, Bruxelas e Florianópolis, viveu em quatro continentes em quatro anos. Criou a Safari Produções, que concilia as artes e uma vocação ambiental. Estudou jazz no Hot Clube e flauta transversal no Conservatório de Música de Cascais. Fez a quarta classe com a Professora Hermínia. No presente, prepara uma tese de mestrado em Gestão Cultural no ISCTE. 

Crónicas d.C.

A desglobalizar é que a gente se entende

Nos últimos meses, os governantes disseram-nos para comprarmos produtos nacionais e ninguém passou fome por isso, ao que parece. Ao que parece. Nada disto é uma resposta absoluta, nem um modelo simplex, mas seria de desejar que cada país e cada região criassem estratégias locais para a mudança global

Henrique Costa Santos
Crónicas d.C.

O Big Virus está a vigiar-te

Se, para uns, a quarentena foi um ciclo romântico que permitiu aos pais atarefados conhecerem melhor os filhos ou levou casais a experimentar segundas luas de mel – a quarentena Disney - há gente para quem o isolamento não foi um mar de rosas, séries e receitas de pão caseiro, tendo antes ateado fogo a problemas graves

Henrique Costa Santos
Crónicas d.C.

A desinformação matou o gato

Em Portugal, ainda o vírus vinha no adro, já circulavam áudios do cunhado de um primo de uma amiga que, reza a lenda, trabalhava no Hospital Santa Maria, ou no Hospital de Santo António, tanto faz, e que tinha verdades inconvenientes para revelar

Henrique Costa Santos
Crónicas d.C.

O essencial é visível aos olhos

O que aconteceu nos últimos meses é demasiado visível e importante para ser esquecido: há novos meios para equilibrar trabalho e qualidade de vida, há trabalhos fundamentais que merecem respeito e recompensação urgente. Vem aí uma tempestade, já se sabe, mas observar e aprender é o mínimo ao nosso alcance

Henrique Costa Santos
Crónicas d.C.

Habitação d.C. Regresso à anormalidade?

Não podemos deixar que o impacto económico do sector imobiliário impeça a garantia de um direito constitucional, a preservação das cidades e dos habitantes, que são o seu ADN. A habitação é uma necessidade básica, central, e é urgente que se tomem medidas capazes de a garantir em equilíbrio com um mercado próspero e saudável

Henrique Costa Santos
Quer salvar o planeta? Então, pare de agir como se fossem amigos
Crónicas d.C.

Um novo normal

É irónico que a Humanidade precise de enfrentar uma terrível pandemia para cumprir, involuntariamente, grande parte daquilo para o qual a comunidade científica vem a alertar há décadas: temos de consumir menos, produzir menos e encontrar fontes de energia alternativas aos combustíveis fósseis, ou estamos todos tramados

Henrique Costa Santos
Crónicas d.C.

Artes e artistas d.C

É essencial frisar o quanto a classe artística se mostra, mesmo em tempo de crise, comprometida com o serviço público e retribuir a comovente generosidade desta que é uma das classes mais afetadas pela pandemia

Henrique Costa Santos
Crónicas d.C.

Solidariedade e apoio mútuo d. C.

É tempo de observar, antecipar e repensar a realidade d.C (depois de Corona), no sentido de garantir que saímos desta crise para um mundo melhor

Henrique Costa Santos
Há um ponto no Oceano Pacífico tão longe de terra, que os humanos mais próximos são, muitas vezes, astronautas
Crónicas d.C.

Crónicas d. C: O planeta segue dentro de momentos

A Humanidade expõe o que tem de mais nobre em plena crise, mas é, ao mesmo tempo, obrigada a ver as suas mais profundas injustiças à luz do dia, recebendo pistas claras para a reconstrução. É sobre isso que vou refletir ao longo destas crónicas

Henrique Costa Santos