Catarina Marcelino

Catarina Marcelino

CIDADANIA E IGUALDADE
Nasceu no Montijo. Licenciou-se em Antropologia pelo ISCTE. Construiu o seu percurso de ativismo cívico e político através de experiências de voluntariado na AMI, Comunidade Vida e Paz, na Liga Portuguesa Contra a Sida e como dirigente das Mulheres Socialistas. Trabalhou em Câmaras Municipais, foi Adjunta do Secretário de Estado da Segurança Social e Presidente da CITE. Foi Secretária de Estado para a Cidadania e para a Igualdade, foi Deputada à Assembleia da República pelo Partido Socialista e é Vice-Presidente do Instituto de Segurança Social.
Bolsa de Especialistas

Educação para a Cidadania e a Liberdade de Consciência

Não é a primeira vez que escrevo sobre educação para a cidadania, mas hoje o tema passou a ter uma relevância que, pelas razões erradas, se tornou importante na compreensão da necessidade desta disciplina na escola em Portugal

Catarina Marcelino
Bolsa de Especialistas

Contra minha vontade

O cruzamento de informação de diferentes fontes vem demonstrar que quando falamos de MGF e de outas práticas nefastas, o problema é transversal, não é só dos países ou das comunidades de onde as práticas são frequentes

Catarina Marcelino
Bolsa de Especialistas

Enfrentar o racismo

É preciso desocultar o racismo, a injustiça, a exclusão e as desigualdades que persistem na sociedade portuguesa com base na cor da pele, no grupo étnico de pertença ou na origem, dando um salto civilizacional, urgente e necessário, na luta contra o negacionismo que alimenta o populismo, e na defesa da justiça, da igualdade e da democracia

Catarina Marcelino
Bolsa de Especialistas

Não só, mas também, sobre Valentina

A verdade é que o encerramento da escola, o confinamento e a necessidade de acesso à internet foram causas divulgadas como razões que levaram Valentina a ir para casa do pai, mas também ninguém sabe se nas circunstâncias habituais, numa visita de fim de semana, não teria havido o mesmo desfecho

Catarina Marcelino
Bolsa de Especialistas

Estudo em Casa sem deixar crianças para trás

A plataforma Estudo em Casa pressupõe mais do que as aulas na televisão, pressupõe que as crianças interajam com o seu professor/a que envia trabalhos, tira dúvidas, acompanha. Essa interação necessita de equipamento informático e de rede de internet acessível. É aqui que começam as dificuldades porque há cerca de 20% do total de crianças neste universo que não têm possibilidade financeira de aceder a este equipamento

Catarina Marcelino
Bolsa de Especialistas

Coronavírus e a arma da cidadania

Este momento é um daqueles que nos faz compreender a vantagem social de ter um SNS universal, que responde às necessidades de saúde da população

Catarina Marcelino
Opinião

O direito à eutanásia

Dia 20 votarei a favor da alteração legal sobre a morte assistida, porque a vida e a morte, o sofrimento e o desespero, são circunstâncias que a cada pessoa dizem respeito

Catarina Marcelino
Galeria Ventura 4
Opinião

Será André Ventura uma ameaça à liberdade e à democracia?

A estratégia do Chega e de André Ventura assenta num “exército” de correligionários que alimentam as redes sociais, criando a imagem do herói corajoso, potenciando as fake-news e as mensagens populistas e anti-sistema do deputado

Catarina Marcelino
A mãe, o menino e a exclusão social
Opinião

A mãe, o menino e a exclusão social

A história da Sara e do bebé traz para a agenda, de forma mais incisiva, o questionamento do tipo de intervenção que se faz junto dos sem-abrigo em Portugal e qual o grau de eficácia dessa mesma intervenção

Catarina Marcelino
Cairo, População e Desenvolvimento, 25 anos depois
Bolsa de Especialistas

Cairo, População e Desenvolvimento, 25 anos depois

O número de mulheres e raparigas que têm usufruído do esforço coletivo para que os seus direitos sejam respeitados e o acesso à saúde sexual e reprodutiva uma realidade, é muito considerável em todo o mundo

Catarina Marcelino
Bolsa de Especialistas

Há territórios negros?

Entrar no Bairro é entrar noutra dimensão, num espaço culturalmente diferente, onde por vezes o português se mistura com o crioulo, onde a ocupação das ruas é feita de forma diferente, onde a arte urbana tem vindo a ocupar as fachadas dos prédios de arquitetura pobre e marcada, criando uma marca identitária.

Catarina Marcelino
A aula de português
Bolsa de Especialistas

Ensino Doméstico em Portugal – para quê e para quem?

Com o 25 de abril de 1974, a universalização da educação pública em Portugal tornou-se uma das maiores conquistas da democracia

Catarina Marcelino
Combustíveis: sindicato estima que transportes públicos esgotem os 40% dos serviços mínimos
Bolsa de Especialistas

Passe para a cidadania

Não importa apenas se temos o direito de ir onde queremos, importa também que tenhamos condições e oportunidades para o fazer, e o novo passe vem concretizar essa mesma possibilidade

Catarina Marcelino
O racismo dispensa aproveitamento político
Bolsa de Especialistas

Não sou intolerante, mas….

É preciso assumir com clareza e sem titubear a posição de partida, para que o debate se faça sem reservas, frontalmente, sem refúgios nos “mas” e nos fingimentos de tolerância e de grande espírito democrático que são só balelas de quem tem pudor de assumir-se intolerante e que contribui para os extremismos e para os retrocessos civilizacionais

Catarina Marcelino
O melhor que o homem pode ser
Bolsa de Especialistas

O melhor que o homem pode ser

Há um paradoxo no modelo masculino da sociedade patriarcal. Se por um lado são os homens que detêm o poder, por outro lado é-lhes permitido manter uma dimensão rapazola que lhes permite transgredir socialmente e ser aceite com normalidade

Catarina Marcelino
O racismo dispensa aproveitamento político
Bolsa de Especialistas

Racismo não é fado

Devemos recordar a inquisição, a escravatura, o holocausto, enquadrando estes acontecimentos em momentos históricos de normalização da intolerância em que a discriminação, o fundamentalismo e o ódio foram aceites e integrados no quotidiano

Catarina Marcelino
Agressores ficam em casa
Bolsa de Especialistas

Agressores ficam em casa

O resultado de tudo isto é que os criminosos continuam na sua vidinha enquanto as vítimas, mulheres e crianças, andam fugidas, a serem institucionalizadas, como se fossem elas as responsáveis pela sua situação

Catarina Marcelino
O poder de escolha
Bolsa de Especialistas

O poder de escolha

Na maioria dos países da União Europeia onde Portugal de insere há um desafio, inverso ao dos países em vias de desenvolvimento, porque o número de filhos real é inferior ao número de filhos desejados, com consequências negativas para a necessária substituição de gerações, fundamental à preservação de qualquer sociedade

Catarina Marcelino
Mulheres em marcha
Bolsa de Especialistas

Mulheres em marcha

O movimento #Metoo criou uma dinâmica que é difícil de parar, porque é um movimento que insere em si uma carga fortemente libertadora que está a influenciar toda uma sociedade. Mas tem que se evitar, firmemente, riscos de uma “caça às bruxas”, porque a injustiça e a perseguição só servirão para desvirtuar as origens do movimento que se pretende benéfico e transformador

Catarina Marcelino
Escola do Barreiro pediu dinheiro aos alunos que reverteu para associação LGBT
Bolsa de Especialistas

A cidadania está na escola

A experimentação da cidadania tem de ser assumida como um objetivo central do sistema de ensino

Catarina Marcelino
Lusotropicalismo legitimador
Bolsa de Especialistas

Lusotropicalismo legitimador

Este ideal romântico que ajudou à imagem externa de Portugal a partir da década de cinquenta do século passado, é um verdadeiro problema quando, na sociedade portuguesa atual, confrontados com uma desigualdade persistente entre afrodescendentes e comunidade maioritária, tentamos construir uma resposta política que desconstrua os estereótipos e que aposte na igualdade de direitos e de oportunidades para as pessoas afrodescendentes

Catarina Marcelino