Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Mariana Palavra

Mariana Palavra

LUANDA, ANGOLA - Mariana Palavra nasceu em 1978 junto ao mar, em Ovar. Cedo sonhou ser estrangeira. Migrou primeiro para Coimbra para estudar jornalismo. Depois de uma passagem tímida por algumas redacções em Portugal, aterrou em Macau em 2002 para trabalhar na televisão local. Do Oriente para as Caraíbas em 2009. Um ano na rádio da ONU no Haiti (e um terramoto) depois, trocou o jornalismo pelo trabalho humanitário Desde então já passou pelo Nepal (e por mais um terremoto), pelo Myanmar e vive agora em Angola.

  • Te gosto bué

    LUANDA, ANGOLA - Bem sei que nem sempre fui do teu agrado. Sem papas na língua, com protestos de como tratas as mulheres, tantas e nem sempre de cada vez, ou os filhos que teimas em ter e nem sempre cuidar. E a dança, omnipresente, também foi cena que tive que passar no teu teste

  • Por essas lavras fora

    LUANDA, ANGOLA - Joaquina não se queixa. Mas não consegue aguentar tudo. E o tudo é muito. Por vezes, descarrega nos filhos. Bate, grita, perde a cabeça. Apesar de não acreditar que o castigo corporal garanta uma boa educação das crianças. Fá-lo, “por causa dos nervos”, “por não conhecer outra maneira de os fazer calar e parar”, por não saber o que mais fazer.

  • O mundo tremeu no Haiti há nove anos

    A 12 de Janeiro de 2010, um terramoto de 7.0 na escala de Ritcher abalou o Haiti, destruindo sobretudo a capital, Porto Príncipe. Estima-se que cerca de 300,000 pessoas tenham morrido. 102 trabalhavam para as Nações Unidas. Eu Sobrevivi. O texto que se segue foi escrito nessa altura.

  • Feitiços e outros mambos*

    ANGOLA - Velhinhos acusados de matar netos; balas que trespassam corpos sem deixar marcas nem morte; envenenamentos indiscriminados. Histórias do arco da velha que são parte da magia de Angola. Todos os nomes deste texto são falsos. Não vá o Diabo tecê-las.

  • Anita em Moçambique

    BEIRA, MOÇAMBIQUE - Maria e Manuel perderam-se de amores sob o calor da cidade da Beira, Moçambique. Uma piadinha do destino, já que não era preciso terem viajado para tão longe. Ambos tinham nascido a uns 700 metros de distância, na mesma vila à beira do mar: Ovar.