Nasci no ano que deu nome a um livro (1984) e cresci na Nazaré, numa casa por cima do mar. Estudei Jornalismo, escrevi à peça para o Público e para a Grande Reportagem, fiz uma passagem curta pela comunicação empresarial, e voltei a ser feliz quando, depois de um concurso ao estilo Jogos-Sem-Fronteiras, fui escolhida para integrar a equipa fundadora do i. Seis anos depois, saltei do i para o SOL e do SOL para a VISÃO. Escrevi sobre padres armados, sobre sobreviventes de desastres de avião, sobre histórias de incesto, sobre crimes de sangue. Entrevistei mulheres que aos 70 mataram os seus homens, homens que queimaram as namoradas, miúdos que mataram sem saber que matavam. Voltas e voltas depois, saltei para o crime económico e acabei por especializar-me na área da Justiça e investigação. Não me canso de ler acórdãos, apaixonei-me pelo Direito e até aprendi a gostar de juristas. Gosto de ter uma boa caixa de segredos, dispensava as ameaças. Viciada na adrenalina dos furos e das manchetes, não consigo passar muito tempo sem voltar a outro lugar que me faz feliz – a reportagem. Quase sempre dramas (com inesquecíveis excepções). Quase sempre dias de coração em frangalhos e noites de mau dormir. Aprendi que as histórias nunca se sacodem dos ombros, nunca ficam no tapete à entrada de casa. E aprendi a não ter medo de pôr a emoção no que escrevo. Até hoje trago comigo Sabóia e a Borralheira, a Alice e a Carolina, a Manuela e o Ludgero. Pelo meio destas angústias, recebi dois prémios e duas menções honrosas, plantei uma árvore e escrevi dois livros. Falta-me a criança – é melhor ir tratar disso. Dava um bracinho para escrever como o Coetzee. Enquanto não consigo, decidi voltar para cima do mar.

Isabel dos Santos: Segunda transferência suspeita dá origem a novo inquérito em Portugal

O Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) impediu em dezembro uma segunda transferência bancária de 1,2 milhões de euros, feita a partir de uma sociedade que o Ministério Público julga ser de Isabel dos Santos. A VISÃO apurou que a filha do antigo presidente angolano está agora a ser investigada em dois processos em Portugal

Sílvia Caneco

Os casos judiciais que vão marcar 2020

Este será o ano em que Sócrates saberá se vai ou não a julgamento na “Operação Marquês”. Mas não só: Carlos Alexandre vai conduzir a instrução do processo de Tancos; Rangel deverá ser acusado na “Operação Lex” e Manuel Pinho e António Mexia não devem escapar a acusações no caso EDP

Sílvia Caneco

De milhões a "tostões": como o património do BES foi vendido ao desbarato

Os ativos do Grupo Espírito Santo foram vendidos pelo Novo Banco e pela Rioforte como se nada valessem. Fundos abutres pagaram ninharias por hotéis, seguradoras e imóveis. Lucraram milhões, em negócios da China que prejudicaram acionistas e lesados do BES, enquanto o Novo Banco continua a sorver dinheiro público

Sílvia Caneco

Joacine, a mulher que enerva o próprio partido

Na cúpula do Livre, há quem diga que Joacine Katar Moreira se tornou “dona da agenda” do partido. “Foram eles que escolheram uma pessoa que não se inibe de dizer o que pensa”, contrapõe a deputada. Mas, afinal, quem é, de onde vem e para onde quer ir?

Octávio Lousada Oliveira
Sílvia Caneco
Rui Rangel recusa julgar recurso da Operação Marquês

40% dos membros do Conselho Superior da Magistratura não estiveram presentes no plenário em que o juiz Rangel foi demitido

Se o Supremo Tribunal de Justiça confirmar a sanção disciplinar, o juiz suspeito de vender sentenças favoráveis fica sem salário e sem pensão até completar os anos de serviço e perde os benefícios que são dados aos juízes no cálculo da reforma

Sílvia Caneco

Custa 5% do PIB mundial e 9% do PIB português. Sabe do que falamos? De corrupção

Só 20 pessoas foram condenadas por corrupção em Portugal no ano de 2018. Mas os números sobre os custos desse crime são bem mais negros.

Sílvia Caneco

Rui Patrício: "No caso BES, temos ali processo para 50 anos"

É advogado do Benfica e de Manuel Vicente e foi agora nomeado pelo Estado para a administração da Fundação Berardo. Em entrevista, o penalista defende que os Conselhos Superiores não devem ter maioria de magistrados para não serem corporativos e que é preciso mudar a lei se quisermos que processos como o BES não durem 50 anos

Sílvia Caneco
Luís Barra
Rui Rangel recusa julgar recurso da Operação Marquês

Rui Rangel é o terceiro juiz a ser demitido em 16 anos

O magistrado que está a ser investigado na Operação Lex é, no entanto, o primeiro juiz a ser demitido por indícios de receber dinheiro em troca de decisões judiciais favoráveis. É o segundo juiz desembargador a ser expulso da magistratura

Sílvia Caneco
Sócrates e outras cenas

O que não bateu certo no interrogatório do amigo de Sócrates

Dinheiro por supostos negócios que chega às contas antes desses negócios existirem. Ou movimentos bancários que não correspondem ao que está a ser dito. Ao fim de três dias de interrogatório, continuam a existir importantes contradições entre o que diz Carlos Santos Silva e o que mostra a acusação da Operação Marquês

Sílvia Caneco
José Sócrates em 12 passos. O que ele andou para aqui chegar

Estas são as dez perguntas a que Sócrates terá de responder

José Sócrates começou a ser ouvido segunda-feira em fase de instrução. Será a última oportunidade para se livrar de ir a julgamento por todos os crimes de que está acusado. Que perguntas lhe fará Ivo Rosa, o juiz que tem o seu futuro nas mãos?

Sílvia Caneco
O que acontece em Portugal a quem vende anabolizantes que podem deixar uma pessoa à beira da morte?

O que acontece em Portugal a quem vende anabolizantes que podem deixar uma pessoa à beira da morte?

Do ponto de vista criminal, nada. A culpa é de um vazio legal

Sílvia Caneco
Armas de Tancos eram de “alta perigosidade” e foram usadas por terroristas

Armas de Tancos eram de “alta perigosidade” e foram usadas por terroristas

Afinal, material militar roubado não estava obsoleto. O despacho que acusa 23 arguidos, entre eles o ex-ministro da Defesa, detalha como armas iguais às que foram furtadas dos paióis foram usadas em ataques terroristas num passado recente

Pedro Raínho
Sílvia Caneco
Fundação O Século herdou buraco de 5 milhões de euros

Fundação O Século herdou buraco de 5 milhões de euros

A fundação conhecida pela sua colónia balnear vai processar ex-presidente, que terá usado verbas da instituição em despesas pessoais, incluindo clubes noturnos

Sílvia Caneco
Restaurantes, discotecas, fatos e botões de punho. Os gastos do negociador da ANTRAM que a Justiça investigou

Restaurantes, discotecas, fatos e botões de punho. Os gastos do negociador da ANTRAM que a Justiça investigou

André Matias de Almeida foi alvo de uma queixa-crime por suspeitas de ter usado os fundos de uma associação académica em proveito próprio. As despesas ainda hoje são difíceis de explicar, ainda que o advogado negue qualquer utilização indevida do dinheiro

Octávio Lousada Oliveira
Sílvia Caneco
Bruxelas abre processo de infração contra Portugal por não cumprir normas sobre ataques a sistemas de informação

O ataque à rede de um dos maiores escritórios de advocacia do País

A VISÃO revela como um hacker – que se pressupõe ser Rui Pinto – conseguiu entrar na rede de um dos maiores escritórios de advogados e aceder a informação de 150 computadores

Sílvia Caneco
Como o Serviço Nacional de Saúde está a cair aos bocados

Como o Serviço Nacional de Saúde está a cair aos bocados

O que não faltam são relatos da miséria que atravessa o SNS, de norte a sul do País. Como chegámos ao ponto de ver desmoronar um dos melhores serviços que o Estado português alguma vez concedeu aos seus cidadãos? E, mais importante, como se vai remediar isto?

Catarina Guerreiro
Cesaltina Pinto
Sílvia Caneco
Vânia Maia
As falhas dos governadores Constâncio e Costa

As falhas dos governadores Constâncio e Costa

Se Constâncio já tinha a imagem chamuscada pela falência do BPN, o episódio Berardo parece tê-la queimado. Carlos Costa também não sai bem no retrato: será sempre o governador que forçou o desastre da resolução do BES. Porque tudo falha na casa da supervisão?

Sílvia Caneco
Agenda de Manuel Pinho revela encontros com Salgado e Mexia no mesmo dia

Agenda de Manuel Pinho revela encontros com Salgado e Mexia no mesmo dia

Em 2005, Manuel Pinho reuniu-se com António Mexia uma hora depois de ter estado com Ricardo Salgado. Uma semana depois, Mexia foi nomeado presidente do conselho de administração da EDP. Agenda do ex-ministro da Economia revela ainda encontros conjuntos com Mexia e Sócrates, em 2007, uma semana antes de uma decisão importante para a EDP

Sílvia Caneco
Tripulantes de avioneta incorrem em homicídio negligente

Piloto que matou duas pessoas na praia de São João estava reformado por depressão

O instrutor do voo estava reformado por invalidez devido a depressão mas conseguiu renovar a licença de piloto junto da ANAC e obteve um certificado médico favorável dois dias antes do acidente. Acusação diz que aterrou “de forma improvisada e aleatória” e explora as várias alternativas que teria para aterrar em segurança

Sílvia Caneco

Os mandamentos das máfias

Giovanni Falcone, juiz siciliano assassinado pela Cosa Nostra em 1992, comparava a entrada na máfia a uma experiência religiosa. Entrar na organização significa aceitar regras. Quem as quebrar será punido

Sílvia Caneco

Máfia: quem são os “Don Corleone” e seus homens na vida real?

Como são os rituais de iniciação dos mafiosos fora do ecrã? E que métodos usam para matar? Em Mafia Life, viajamos ao interior de cinco das maiores organizações criminosas do mundo, da Cosa Nostra à Yakusa Japonesa

Sílvia Caneco