Na primeira pessoa: “As pessoas deixaram de me ver como uma cidadã válida ou capaz e passaram a tratar-me como uma criança”

Na primeira pessoa: “As pessoas deixaram de me ver como uma cidadã válida ou capaz e passaram a tratar-me como uma criança”

Se há oito anos me tivessem dito que ia ficar numa cadeira de rodas, provavelmente teria pensado que preferia ir desta para melhor. A ideia que tinha e que todos têm é a da cadeira de rodas como uma prisão, um castigo. O que de pior pode acontecer à vilã da novela? Ficar paraplégica e ir parar a uma cadeira de rodas.

Foi há sete anos. Tinha ido ao Brasil visitar uma amiga. Já saí de Portugal com uma dor nas costas e uma sensação de dormência nas pernas, mas como fazia ginásio pensei que fosse uma compressão do músculo e que eventualmente iria descomprimir. Quando cheguei ao Rio de Janeiro, a dormência acentuou-se e perdi a força nas pernas.

Celebrei a passagem de ano em casa e no dia 1 já não conseguia levantar-me. Estive um mês e 17 dias internada no Brasil. Fizeram-me imensos exames e descobriram que tinha uma inflamação na medula, uma mielite transversa. Terá sido algo autoimune, ou seja, o meu corpo reagiu de forma exagerada a alguma coisa.

Vim para Portugal e repeti todos os exames. Não houve melhoras. Lembro-me de o médico me ter dito: “Tens uma lesão completa na medula. Sabes que, à partida, as tuas probabilidades de voltar a andar são reduzidas?” Estudei Medicina durante quatro anos, sabia o que era uma lesão na medula. Naquele momento queria era sair do hospital, mas perguntei apenas se iria poder ser mãe. Ele disse-me que sim.

Fui direta para o Centro de Reabilitação no Porto, onde aprendi tudo nesta nova condição. Tinha pequenos momentos de frustração porque as coisas eram feitas de forma mais lenta. Antes cruzava a perna quase sem pensar, agora tenho de pegar na perna e passá-la por cima da outra para o fazer. Ou se quero ir tomar um café, jantar com amigos – antes dava uma corridinha até casa, tomava banho e saía, agora não é assim. Foi uma aprendizagem para perceber que há determinadas coisas que vão demorar mais tempo.

Mas nunca me senti revoltada ou deprimida por estar numa cadeira de rodas. Para muitas pessoas à minha volta foi difícil entender isso. Lembro-me de perguntarem se já me tinha “caído a ficha”, quase como se não me fosse permitido sentir-me bem. Isto era tão frequente que chegava a questionar-me: “Será que estou a camuflar algum sentimento e, um dia, vou entrar em depressão?” Passaram sete anos e não aconteceu.

“Uma espécie rara”

O pior foi a adaptação cá fora. As pessoas deixaram de me ver como uma cidadã válida ou capaz e passaram a tratar-me como uma criança. É frequente estar num café e perguntarem a quem estiver comigo: “O que é que ela vai querer?” Ou ir fazer as minhas compras sozinha, numa situação em que não existe perigo nenhum, e alguém começar a empurrar a minha cadeira sem me perguntar se preciso de ajuda.

Às vezes, estou numa esplanada e o meu telemóvel cai ao chão. De repente, levantam-se cinco pessoas para o apanhar. Sei que, no fundo, essas cinco pessoas já tinham reparado na minha presença. Parece que não consegues misturar-te na sociedade, és sempre alvo de muita atenção.

Comecei a partilhar este tipo de desabafos na minha conta de Instagram e a dizer: “Sinto-me uma espécie rara.” Recebia mensagens de pessoas sem deficiência a pedirem desculpa porque no dia a dia tinham estes comportamentos, e as próprias pessoas com deficiência começaram a identificar-se com a sensação de “espécie rara”. Resolvi mudar o nome da conta e alertar para o capacitismo que, de forma sucinta, é a discriminação, nas mais variadas formas, da pessoa com deficiência.

Eu trabalho, passeio, tenho uma vida, e não acordo todos os dias a pensar: ‘Uau, que guerreira que sou.’ Existe muito esta ideia de pensarem que a nossa vida ou é muito triste ou somos todos uns heróis”

A comunidade começou a crescer. Parte deste crescimento também está relacionada com o humor que coloco nas publicações. Não isento as pessoas das suas responsabilidades, mas acho que a deficiência é um tema de que muitas têm medo, é desconfortável. O humor faz com que pensem sobre as suas atitudes, sem se sentirem julgadas. E a mensagem passa.

A solução está no diálogo. Temos de falar, temos de educar porque o mundo capacitista foi construído para deixar as pessoas com deficiência presas em casa. Já me aconteceu estar numa discoteca com os meus amigos e uma senhora dizer-me: “Parabéns por estares aqui. Não é para qualquer um.” E eu penso: “Mas onde é que estas pessoas pensam que tenho de estar?” Não posso estar a divertir-me sem pensarem que é uma coisa absolutamente incrível. Eu trabalho, passeio, tenho uma vida, e não acordo todos os dias a pensar: “Uau, que guerreira que sou.” Existe muito esta ideia de pensarem que a nossa vida ou é muito triste ou somos todos uns heróis.

Priorizar a vida

Antes de ficar na cadeira, estava numa fase muito conturbada da minha vida porque não sabia o que queria fazer. Vivia sozinha e trabalhava num bar na Baixa do Porto. Sempre adorei estudar, mas já não estava feliz em Medicina. Gostava da área da Nutrição, mas encarava-a como hobby. Sei que soa a clichê, mas a cadeira de rodas fez-me priorizar. Pedi transferência de curso para Nutrição e foi o melhor que fiz. Adoro a minha profissão.

Muitas pessoas não acreditam, mas a minha vida deu uma volta para muito melhor. Se me dessem a oportunidade de voltar a andar, com a condição de apagarem estes sete anos da minha vida, não sei se queria. Comecei a fazer tantas coisas a nível profissional, tenho tido imensas oportunidades para falar sobre o tema da deficiência, tem sido tudo incrível.

Claro que ainda há muito a fazer. Gostava de ver mudanças na acessibilidade, mas o que queria mesmo é que a mentalidade mudasse e, para isso, são precisas gerações. Tenho tocado num tema que, quer queiram quer não, é desconfortável para muita gente. Mas tem de ser falado, caso contrário, não desmistificamos as pessoas com deficiência que, afinal de contas, são apenas pessoas.

Mais na Visão

Mais Notícias

Karumi, novo banco de Álvaro Siza Vieira

Karumi, novo banco de Álvaro Siza Vieira

Os Melhores & As Maiores do Portugal Tecnológico 2022 revelados a 29 de novembro

Os Melhores & As Maiores do Portugal Tecnológico 2022 revelados a 29 de novembro

Ana Moura:

Ana Moura: "Há a ideia de que um músico português nunca conseguirá ser uma estrela global, um fenómeno pop, mas não me parece que esse seja um objetivo inatingível"

Microsoft assume que PlayStation tem mais jogos exclusivos e que muitos são de melhor qualidade

Microsoft assume que PlayStation tem mais jogos exclusivos e que muitos são de melhor qualidade

E ainda... Saramago

E ainda... Saramago

5 dicas para proteger a casa no Inverno

5 dicas para proteger a casa no Inverno

Censos2021: Distrito da Guarda perde cerca de 18 mil habitantes em dez anos

Censos2021: Distrito da Guarda perde cerca de 18 mil habitantes em dez anos

VOLT Live: carros elétricos são a melhor solução para frotas de empresas?

VOLT Live: carros elétricos são a melhor solução para frotas de empresas?

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

18 bomber jackets para dar as boas-vindas ao frio

18 bomber jackets para dar as boas-vindas ao frio

5 restaurantes para viajar à mesa

5 restaurantes para viajar à mesa

Presidente PS pede ao Governo apurado sentido de orientação e maior rigor nas condutas

Presidente PS pede ao Governo apurado sentido de orientação e maior rigor nas condutas

Dez camisolas para aquecer o Natal

Dez camisolas para aquecer o Natal

Aumento da pressão do pastoreio ameaça pastagens nas regiões mais secas - estudo

Aumento da pressão do pastoreio ameaça pastagens nas regiões mais secas - estudo

Camilla recebe rainhas e princesas no Palácio de Buckingham

Camilla recebe rainhas e princesas no Palácio de Buckingham

Greve na escola

Greve na escola

Qual é o momento para aspirar a ser líder? Ontem!

Qual é o momento para aspirar a ser líder? Ontem!

VOLT Live: conversa com os líderes do Campeonato de Portugal de Novas Energias

VOLT Live: conversa com os líderes do Campeonato de Portugal de Novas Energias

JL 1357

JL 1357

Kate usa pregadeira com significado especial na receção ao presidente da África do Sul

Kate usa pregadeira com significado especial na receção ao presidente da África do Sul

EuRoC: um concurso europeu de lançamento de foguetes

EuRoC: um concurso europeu de lançamento de foguetes

Cristiano Ronaldo assina contrato

Cristiano Ronaldo assina contrato

O novo romance de Lídia Jorge

O novo romance de Lídia Jorge

Exclusivo: Moniz e Cristina “roubam” mais uma atriz à SIC

Exclusivo: Moniz e Cristina “roubam” mais uma atriz à SIC

10 blazers perfeitos para todas as ocasiões

10 blazers perfeitos para todas as ocasiões

Sara Carbonero internada e operada de urgência

Sara Carbonero internada e operada de urgência

A brilhante estreia da nova Princesa de Gales

A brilhante estreia da nova Princesa de Gales

Presidente da República promulga diploma sobre carreira dos enfermeiros

Presidente da República promulga diploma sobre carreira dos enfermeiros

Melting Gastronomy Summit: Os produtos da terra e do mar à mesa no Mercado do Bolhão

Melting Gastronomy Summit: Os produtos da terra e do mar à mesa no Mercado do Bolhão

Tudo sobre o Prémio Inovação em Prevenção: inscrições já abertas

Tudo sobre o Prémio Inovação em Prevenção: inscrições já abertas

Catarina Furtado assinala o aniversário da enteada, Maria:

Catarina Furtado assinala o aniversário da enteada, Maria: "Fui mesmo abençoada quando entrou na minha vida"

Adivinhe quanto custa este casaco de inspiração Chanel? (Damos uma pista: é acessível)

Adivinhe quanto custa este casaco de inspiração Chanel? (Damos uma pista: é acessível)

A elegância das mulheres da família Grimaldi no jantar de gala do Dia Nacional do Mónaco

A elegância das mulheres da família Grimaldi no jantar de gala do Dia Nacional do Mónaco

Estes autores portugueses vêm passar o Natal!

Estes autores portugueses vêm passar o Natal!

Ganha convites duplos para 'O Gato das Botas:O Último Desejo'

Ganha convites duplos para 'O Gato das Botas:O Último Desejo'

Portugal faz bem: Santa Paciência

Portugal faz bem: Santa Paciência

A Ciência quando nasce é para todos: Instituto Gulbenkian de Ciência de portas abertas

A Ciência quando nasce é para todos: Instituto Gulbenkian de Ciência de portas abertas

Brain snack: onde nasceu a bolacha mais famosa do país?

Brain snack: onde nasceu a bolacha mais famosa do país?

Presidente PS pede ao Governo apurado sentido de orientação e maior rigor nas condutas

Presidente PS pede ao Governo apurado sentido de orientação e maior rigor nas condutas

Gautam Adani. O Rockefeller da economia indiana que se tornou no terceiro mais rico do mundo

Gautam Adani. O Rockefeller da economia indiana que se tornou no terceiro mais rico do mundo

Manuela Moura Guedes arrasa Cristina Ferreira

Manuela Moura Guedes arrasa Cristina Ferreira

ASAE apreende 552 quilos de pescado e fecha entreposto frigorífico em Vila Real

ASAE apreende 552 quilos de pescado e fecha entreposto frigorífico em Vila Real