O regresso de Judite de Sousa: “É uma questão de vida. Um recomeço”

Judite de Sousa tem mais de 40 anos de jornalismo, sempre à frente das câmaras, como pivot ou repórter enviada especial nos grandes acontecimentos nacionais e internacionais. Começou na RTP, onde apresentou o Telejornal durante duas décadas, e transitou para a TVI, em 2011, como diretora de informação. Saiu em 2019, durante o processo de negociação da venda do grupo, para regressar agora como aposta principal do canal liderado por Nuno Santos, no horário nobre das 21h, onde assina um jornal de autor duas semanas por mês, em alternância com Júlio Magalhães.

O seu rosto abriu a emissão da CNN em Portugal. Acusa o peso da responsabilidade? Ao fim de quatro décadas de televisão, ainda sente borboletas na barriga?
O jornalismo e a minha vida cruzaram-se permanentemente. São já 40 anos de experiências nacionais e internacionais. Por isso, abrir as emissões da CNN Portugal é, para mim, não só um assunto profissional, mas uma questão de vida. Digamos que é um recomeço. E recomeçar é darmos uma nova oportunidade a nós próprios. Com confiança, responsabilidade e espírito de equipa.

O que trazem de novo os norte-americanos da CNN ao jornalismo que se faz em Portugal? Tem aprendido com eles, neste formato de franchising? Qual o nível de intervenção que têm?
Os norte-americanos trazem-nos a sua marca, a sua matriz profissional. As suas normas e práticas editoriais. Devemos ter humildade para aprender com eles.

Vai assinar um noticiário de autor. O que é isso? E o que tem de diferente face aos noticiários da noite tradicionais?
Um noticiário de autor é um jornal conceptualizado pelo apresentador que assume simultaneamente a coordenação editorial. É um modelo muito experimentado nos países de influência anglo-saxónica. Na Europa, verificamos que os pivots têm responsabilidades editoriais nos jornais que apresentam. É uma forma de envolvimento e de responsabilização.

Consegue-se chegar às elites a falar também para dez milhões de portugueses, ou é preciso optar?
O jornal da CNN tem a duração de 50 minutos em que convergem as principais histórias do dia, reportagens diferenciadoras de curta duração, análise pontual dos acontecimentos e protagonistas, debates e entrevistas com uma duração dependente das expectativas de informação do público em relação aos factos e “atores” da vida pública.

A palavra ‘doloroso’ não faz sentido na minha vida profissional. Não a utilizo e não a sinto. Em mim, a palavra tem um outro alcance e uma outra dimensão

Mas notícias estão em todo o lado gratuitamente, somos invadidos por conteúdos noticiosos 24 horas por dia. Neste panorama mediático, qual é o espaço para os canais de informação de cabo?
Quem quer estar bem informado tem nos canais de notícias acessos privilegiados. Tão ou mais importante do que a divulgação noticiosa de um acontecimento, sob mediação jornalística, é a forma como interpretamos a realidade. Nesta era da globalização digital, os média tradicionais, como a televisão, são importantes para conhecermos e compreendermos o que se passa à nossa volta. A narrativa audiovisual pode ser uma fonte de mais e melhor conhecimento.

Voltou à empresa de onde, depois de um processo atribulado, saiu há exatamente dois anos. Sente este retorno como um regresso a casa ou a outro sítio diferente? Nessa altura, saíram notícias de que a Cofina, então na corrida à compra da Media Capital, tinha interesse em afastá-la. Disse que saiu por “sua vontade”, mas foi um processo doloroso?
Saí da Media Capital em 2019. Regresso em 2021 a uma empresa que tem uma nova estrutura acionista e direções renovadas. A palavra “doloroso” não faz sentido na minha vida profissional. Não a utilizo e não a sinto. Em mim, a palavra tem um outro alcance e uma outra dimensão. Os portugueses sabem do que falo. Isso é que é importante.

O mundo da televisão, com tamanha exposição, exacerba os egos. Os jovens que chegam às redações querem todos ser pivots. Isso dificulta os processos de trabalho?
A transição das universidades para as redações exige um grande acompanhamento nos processos de integração dos mais novos. Há que comunicar o gosto pelo género mais nobre do jornalismo que é a reportagem. O ecrã é uma dimensão do jornalismo. O mundo da televisão não é tão glamoroso quanto se imagina.

Tem 60 anos. Sente que a sociedade é demasiado exigente com as mulheres que, pelas suas profissões, envelhecem à frente das câmaras ou num palco? É também um processo de autoaceitação?
A idade tornou-se um termo de referência. Há pessoas com 40 anos que estão envelhecidas e há outras com mais idade que estão em boa forma. No caso do jornalismo televisivo e da CNN em concreto, os apresentadores em prime-time e os correspondentes internacionais têm quase todos mais de 60 anos. Em Portugal, a média de idades dos apresentadores das 20 horas está nos 56 anos. Não há grandes diferenças. A questão, hoje em dia, não é a idade que se tem, mas a forma como a pessoa está, física e cognitivamente.

Como lida com a exposição e as críticas, por vezes ferozes e impiedosas, das redes sociais em relação às figuras com exposição pública? Conseguiu já criar uma carapaça resistente a tudo isso?
As redes sociais configuram uma parte do nosso mundo. Não há como evitá-lo. Encaro o fenómeno com distanciamento. Um post não ocupa mais do que um segundo na minha vida.

Onde foi buscar coragem para voltar à antena dois meses depois da morte súbita de um filho, a dor maior?
Todas as questões relacionadas com o dia 29 de junho de 2014 são reserva da minha intimidade.

CNN Portugal em números

550
METROS QUADRADOS

tamanho do estúdio principal, com sete sets diferentes

24
HORAS

informação com emissão ao longo de todas as horas do dia

50
NOVAS CONTRATAÇÕES

para o canal

80
TRABALHADORES

que transitam para a CNN Portugal

ABC1
TARGETS COMERCIAIS

serão a aposta do canal, com idades que vão dos 25 anos para cima dos 60

425
MILHÕES

número de lares onde a CNN, a casa-mãe, está presente

Assine uma das suas revistas preferidas e ganhe outra assinatura digital à sua escolha

Assine aqui

Mais na Visão

Sociedade
Exclusivo

As orcas enlouqueceram?

Os “ataques” de orcas a barcos, em Portugal e em Espanha, triplicaram de um ano para o outro, mas os biólogos que estudam este fenómeno inédito ainda não têm uma explicação consensual

LD Linhas Direitas
Linhas Direitas

Rio não purga, só purifica

Não ganhando, ou não sendo o próximo primeiro-ministro, ninguém garante, ou tem a certeza, de que Rui Rio largará a liderança. A dúvida é grande

Mundo

Ex-porta-voz de Boris Johnson demite-se após vídeo embaraçoso

A ex-porta-voz do primeiro-ministro britânico anunciou hoje a demissão, depois de ter sido divulgado um vídeo no qual gracejava sobre uma alegada festa de Natal em Downing Street que terá violado as regras anti-covid

VISÃO VERDE
VISÃO Verde

“Ser vegan não é a solução para um ambiente mais sustentável. A solução é comer com equilíbrio”

Comer carne com moderação contribui para que os ecossistemas sejam mais resilientes e completos, diz Cláudia Cordovil, professora do Instituto Superior de Agronomia e autora do livro de receitas sustentáveis "Alimente-se sem deixar pegada"

Sociedade

Covid-19: Vacinação em crianças deverá começar pelos 11 anos

António Costa disse que a vacinação das crianças deverá "provavelmente" começar pelas que têm 11 anos e, progressivamente, avançar até às de cinco anos

Mundo

Covid-19: Pfizer anuncia que a sua vacina "é eficaz" contra variante Ómicron com três doses

Vacina desenvolvida pelas empresas Pfizer e BioNTech "ainda é eficaz" contra a variante Ómicron do vírus com "três doses", mas "provavelmente" insuficiente com apenas duas - BioNTech

VERIFICADO

Fact Check: A Ómicron causa mais reinfeções do que as variantes anteriores?

Os casos são considerados reinfeções se houver um teste positivo com 90 dias de diferença em relação a um teste positivo anterior

Economia

Idade da reforma em Portugal deve aumentar cerca de dois anos até 2050

A idade da reforma em Portugal deverá aumentar em cerca de dois anos até 2050, atingindo nessa altura 68,4 anos, prevê a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico

Mundo

Olaf Scholz eleito chanceler federal pelo Parlamento alemão

O social-democrata Olaf Scholz foi eleito hoje chanceler federal pelo Parlamento alemão, onde o partido que lidera e os aliados na coligação governamental, verdes e liberais, têm maioria

Política

Legislativas: Cerca de 40% dos deputados do PSD eleitos em 2019 vão ficar fora do parlamento

Dos 79 deputados eleitos pelo PSD em 2019, 28 estão fora das listas de candidatos a deputados para as legislativas, a que se somam outros quatro indicados em lugar inelegível, o que corresponde a 40% do total

Sociedade

Os 5 grandes mitos natalícios da língua portuguesa

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura. É ao ritmo desta bem conhecida expressão popular que a Língua Portuguesa cresce a olhos vistos! Há muitas palavras que, ao longo do tempo, vão sofrendo alterações fonéticas, gráficas e até semânticas. Neste artigo, A especialista em Linguística Sandra Duarte Tavares aborda 5 palavras que têm sofrido algum tipo de transformação e se tornaram, por isso, verdadeiros mitos na época natalícia

Opinião

Manual do bom ministro, segundo o cidadão comum

O “caso Cabrita” leva-nos a algumas reflexões sobre os requisitos para um bom desempenho como ministro de um governo. Suspeito que não constam de nenhuma formação política dos partidos nem das juventudes partidárias