Por dentro das milícias negacionistas e antissistema

“Basta de passividade!” O apelo à união e à ação soou há três meses nos bastidores dos movimentos antissistema. No dia 25 de junho, o ex-militar Luís Freire Filipe, fundador do movimento nacionalista, identitário e negacionista da Covid-19 Defender Portugal (com quase 20 mil seguidores nas redes sociais), anunciava, num grupo privado do Facebook, a intenção de dar músculo às manifestações de rua que, desde 2017, tem vindo a organizar e nas quais participa, passando a recrutar e a utilizar mulheres e homens que, até à data, apenas demonstravam a insatisfação que sentiam sentados no sofá, por mensagens escritas ao teclado. Em meados de agosto, Luís Freire Filipe elegeu a militante Vânia Sousa, residente em Vila Nova de Gaia, para o substituir como líder do Defender Portugal, passando a dedicar-se em exclusivo ao movimento Resistência Portuguesa, um novo grupo pensado e concebido como “braço armado”, ao género de milícia, com o objetivo de “passar à ação” – e que, neste momento, já conta com cerca de duas centenas de membros, profundamente doutrinados e “preparados para a luta”.

Ao mesmo tempo, Luís Freire Filipe e os líderes de outros oito movimentos acertavam termos e concertavam esforços. Foi então criada, a 16 de agosto, a coligação negacionista Aliança Lusa: da qual também fazem parte, entre outros, o grupo Aliança pela Saúde (ex-Médicos pela Verdade), Verdade Inconveniente e Santo António de Lisboa, este último chefiado pela dupla Ana Desirat e Sónia Pritham, ambas na mira do Ministério Público (MP), na sequência das ameaças e dos insultos dirigidos a Ferro Rodrigues, no passado dia 11. O publicitário Alfredo Rodrigues, gestor da página online Quero Emigrar (com mais de 74 mil seguidores nas redes sociais), antigo responsável pelas plataformas digitais dos Médicos pela Verdade, e com conhecida simpatia pela extrema-direita portuguesa, foi o escolhido para porta-voz deste projeto, que se apresenta com apelos à ação: “O tempo é agora, o local é aqui! Este é o nosso momento!”

Vice-almirante Gouveia e Melo enfrentou pela porta da frente os protestos que o aguardavam em Odivelas

Mais na Visão

Legislativas 2022

Em terra vermelha, João Ferreira acusa Costa de "sobranceria" e puxa pelos louros do que de bom a Gerigonça trouxe: Em 2015, PCP viu o que mais ninguém viu

Um território amigo foi o local escolhido para o arranque da campanha da CDU com o segundo João, o Ferreira, como cicerone, que, embalado por uma casa cheia, deu sinais daquele que será o tom da coligação: Costa age com "sobranceria" ao pedir uma maioria absoluta e é culpado pelo fim de uma solução governativa que teve no PCP o seu principal ideólogo. Para os comunistas, a prioridade é o contacto de rua e mostrar como a tese do PS das contas certas "tem perna curta"

LD Linhas Direitas
Linhas Direitas

As sextas-feiras de Boris

As festas de sexta, para ele, na sua vida turbulenta, estrondosa e traquina, são uma ótima ideia para encerrar uma semana de trabalho governativo.

Legislativas 2022

Rio a brincar aos tweets e contra o medo pede mais humor e menos "deturpações"

O líder do PSD iniciou a campanha em Barcelos, mas saíram-lhe ao caminho os efeitos da “brincadeira” no Twitter sobre o local de voto de António Costa. “Sim, sou eu que escrevo a maioria dos meus tweets”, confirmou à VISÃO. “Isto é para ter algum sentido de humor ou então não vale a pena”

Mundo

Covid-19: Parlamento francês aprova passe vacinal e limita vida social de não vacinados

O Parlamento francês aprovou hoje em votação final o projeto de lei que introduz o passe vacinal, que o Governo quer pôr em vigor o mais rapidamente possível

Legislativas 2022

Legislativas: Ventura diz que Rui Rio ou governa com o Chega ou "põe-se nos braços do PS"

O presidente do Chega, André Ventura, defendeu hoje que Rui Rio apenas tem "dois caminhos" nestas legislativas, que passam por aceitar governar com o seu partido ou "pôr-se nos braços" do Partido Socialista

Legislativas 2022

Legislativas: Catarina Martins quer "contas certas" do trabalho e contra o crime económico

A coordenadora do BE, Catarina Martins, prometeu hoje um "contrato para o país que combata a economia do privilégio e da desigualdade", defendendo "contas certas" do trabalho e "contra o crime económico e a corrupção"

Legislativas 2022

Legislativas: António Costa diz que um político não afirma a sua credibilidade "com graçolas"

O secretário-geral do PS afirmou que o presidente do PSD "tinha obrigação de saber o que era o voto antecipado" e sustentou que um político não afirma a sua credibilidade "com graçolas"

Legislativas 2022

Legislativas: 10 pontos separam PS do PSD. Chega ultrapassa BE. O que diz a última sondagem

Dia 30 de janeiro o País vai a eleições antecipadas. Acompanhe a evolução das intenções de voto

Legislativas 2022

Rui Tavares foi à feira… ter com os jornalistas, depois de o “Tininho” ter elevado a fasquia

Os vendedores de roupa, sapatos, brinquedos e plantas renderam-se ao charme de Vitorino Silva, que teve o seu maior êxito nas roulotes de bifanas, e só encontrou anticorpos num marido ciumento. O candidato do RIR não se cruzou, por pouco, com Rui Tavares, do Livre, que também escolheu a Feira do Relógio para arrancar com a campanha para as legislativas. Mas, de direto em direto, Tavares esqueceu-se de que estava na rua e não num estúdio de televisão

Legislativas 2022

Legislativas: CDS critica "animalismo radical" do PAN e quer pegar a esquerda "pelos cornos"

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, criticou hoje o "animalismo radical" do PAN, que é contra as touradas, e disse que na política gostaria de "pegar a maioria de esquerda pelos cornos"

Arquivo VISÃO
Exclusivo

Arquivo VISÃO: Génio ou louco, mestre ou charlatão? Quem foi Sigmund Freud – filho de uma mãe dominadora, figura controversa e viciado em cocaína – e o que valem hoje as suas teorias

Só usamos mesmo 10% do nosso cérebro. Mito ou realidade?
Sociedade

Até que ponto pode a Covid-19 alterar a anatomia do cérebro?

Um estudo recente sugere que sim, à semelhança de doenças neurológicas como as de Alzheimer e de Parkinson. Porém, os especialistas admitem que ainda é muito cedo para saber se as alterações na química cerebral e suas manifestações no comportamento, associadas à resposta inflamatória do novo coronavírus, são permanentes