Em nome da morte assistida, Alain Cocq planeou morrer em direto. Mas o Facebook bloqueou-lhe a transmissão

Foto: PHILIPPE DESMAZES/AFP via Getty Images

 O pedido ocupou meia página do jornal Le Monde neste início de setembro. Aos 57 anos e a sofrer de uma doença incurável, o francês Alain Cocq confessava que queria muito morrer – de uma forma digna. “Não vou obrigar-me a aguentar mais seis semanas, a mais um mês ou dois, só para ver o meu corpo degradar-se.”  

O destinatário da mensagem era conhecido: Emmanuel Macron. Mas como o seu apelo a um suicídio assistido ficou sem resposta, fez saber que este fim de semana deixaria de se alimentar e de tomar medicamentes. A única exceção seria para os de alívio da dor. E depois transmitiria tudo pela sua conta de Facebook. Só que, perante tal anúncio, aquela rede social anunciou que lhe tinha bloqueado os vídeos. Segundo a conta de Alain Cocq, a proibição dura até terça-feira, 8.  

“Estou tranquilo”

“A estrada para a libertação começou e, acreditem, estou muito feliz”, escreveu Cocq no Facebook, pouco depois da meia-noite, na noite de sexta-para sábado. E anunciava que tinha terminado sua última refeição.”Sei que os dias que se seguem serão difíceis, mas tomei a minha decisão e estou tranquilo”. 

Perante tal anuncio, um porta-voz da tecnológica americana sublinhou de imediato que os regulamentos da empresa proíbem qualquer utilizador de retratar o suicídio. “Embora respeitemos sua decisão de querer chamar a atenção para esta questão complexa, tomaremos medidas para impedir a transmissão ao vivo na conta de Alain”, disse. “As nossas regras não nos permitem mostrar tentativas de suicídio”. Cocq não demorou a reagir. A medida é uma “discriminação injusta” e “impede a liberdade de expressão”. 

“Decidi que já chega”

De Dijon, Alain Cocq sofre desde os 23 anos de uma doença degenerativa rara, que faz com que as paredes das suas artérias se colem, causando insuficiência da circulação sanguínea. Há dois anos que está acamado, alimentado por soro. Paralisado com dores, Cocq gostaria de receber uma medicação que o ajudasse a morrer – algo que a lei francesa não permite, exceto quando se está a poucas horas da morte certa.  

“Decidi que já chega”, disse recentemente à AFP. Ao todo, foram nove operações só nos últimos quatro anos. Daí o pedido extraordinário. Mas perante a recusa – e para mostrar a agonia causada pela atual lei francesa – Cocq planeou transmitir o fim da sua vida pelo Facebook. Depois, anunciou que isso não demoraria mais do que uns quatro dias. E perante o bloqueio anunciado, já está a dizer que fica tudo gravado e que ativará um vídeo logo que o a interrupção das suas transmissões termine.  

Ao assinar a VISÃO recebe informação credível, todas as semanas, a partir de €6 por mês, e tem acesso a uma VISÃO mais completa.

Uma VISÃO mais completa

Assinar agora

Mais na Visão

Irrevogável

Secretário de Estado Adjunto e da Educação: “A questão da falta de professores é complexa. Para já, há muitos que estiveram nestas duas semanas em campanha”

Em entrevista ao Irrevogável, João Costa fala numa ausência crónica de docentes - que se acentuou no mês de setembro, também por causa das eleições autárquicas

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Incidência volta a descer, transmissibilidade sobe

A taxa de incidência de infeções com SARS-CoV-2 nos últimos 14 dias voltou a descer, quer no continente quer a nível nacional, enquanto o índice de transmissibilidade registou um aumento

Se7e
VISÃO sete

5 boas sugestões para aproveitar o fim de semana, em Lisboa

Um festival que alia cinema e desporto, música num artigo quartel da GNR e a oportunidade para fazer yoga e meditar ao ar livre. Eis cinco boas ideias para fazer em Lisboa, em fim de semana de eleições

Exame Informática
Exame Informática

Conheça a pele eletrónica desenvolvida em Portugal

Fomos até Coimbra ver como investigadores daquela Universidade estão a criar adesivos que podem ser colados no corpo e usados para controlar o comportamento cardíaco ou a diabetes. O grande desafio da equipa passa por combinar flexibilidade e resistência e que seja economicamente viável. O segredo está na tinta, à base de metal líquido

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Novas variantes de Covid-19 espalham-se mais eficientemente através do ar, revela novo estudo

Um novo estudo sugere que as novas variantes de Covid-19 estão a tornar-se mais eficientes a propagar-se através do ar

Mundo

Banco central chinês afirma que todas as transações envolvendo criptomoedas são ilegais

O Banco Popular da China (banco central) anunciou hoje que todas as transações financeiras envolvendo criptomoedas são ilegais, a última de uma série de decisões destinadas a combater ativos digitais como a bitcoin ou ethereum

Exame Informática
Exame Informática

Reino Unido está a criar armas laser para usar no terreno

Ministério da Defesa do Reino Unido dá luz verde a quatro contratos que para o desenvolvimento e teste de armas laser integradas em navios e veículos terrestres

Imobiliário

Saiba como gerir o fim das moratórias

Outubro vai trazer novos encargos para milhares de famílias que pediram moratórias para pagamento dos seus créditos. O Doutor Finanças explica como sobreviver financeiramente nesta nova etapa

Exame Informática
Exame Informática

Facebook terá pagado milhares de milhões para 'safar' Zuckerberg de um processo individual

Acionistas da Facebook acusam a empresa de ter concordado em pagar mais do que a multa estipulada pelas autoridades e ter pedido, em troca, que Zuckerberg e a responsável operacional não tivessem de testemunhar

Imobiliário

"Lisboa está a tornar-se num 'hub' tecnológico e económico e por isso nós queremos estar aqui"

A Ukio entrou em Portugal para fornecer uma carteira de apartamentos prontos a arrendar a nómadas digitais que queiram estar em Lisboa por largos meses

Autobiografia Não Autorizada
Exclusivo

Azar de principiante

Passei a adolescência a requisitar livros da biblioteca e a copiar à mão os romances de que mais gostava, conheço-os intimamente

VISÃO DO DIA
Exclusivo

O último dia dos próximos quatro anos