Os esforços que estão a ser feitos para desencalhar o porta-contentores gigante do Canal do Suez e os milhões de euros que toda a operação envolve

Desde terça-feira que o mundo está com os olhos postos no Canal do Suez e no MV Ever Given, o gigante dos oceanos com capacidade para 20 mil contentores marítimos que, depois de fustigado por uma tempestade de areia e rajadas de vento de 50 quilómetros por hora, se atravessou a meio da passagem entre o Médio Oriente e a Europa e está a bloquear o tráfego.

As operações para fazer o porta-contentores voltar a flutuar multiplicam-se, mas o fracasso dos esforços feitos até agora obriga a manter fechada aquela que é considerada uma rota marítima fundamental para o comércio mundial. Há já cerca de 200 embarcações a congestionar toda a região – e na ausência de avanços na operação de reboque do navio, o setor está já a preparar-se para um encerramento bem mais prolongado daquela passagem, o que ameaça prejudicar as cadeias de abastecimento do comércio mundial.

Os números em causa são estratosféricos. O tráfego marítimo diário através daquele canal está avaliado em qualquer coisa como 8,1 mil milhões de euros, segundo a primeira estimativa da Lloyd’s List Intelligence, revista especializada do setor – mas é um valor que tem variações consoante o sentido de navegação: ou seja, o tráfego para o ocidente tem um custo estimado de € 4,3 mil milhões; se for para o oriente, fica-se nos €3,8 mil milhões, precisa o El País. Calcula-se ainda que as mercadorias em contentores representem cerca de 26% do tráfego do canal, pelo que se antecipa que os atrasos terão um impacto bem significativo.

Rota alternativa?

É por isso que, neste momento, as mais importantes companhias de navegação, que costumam usar aquela rota, estão a avaliar se confiam que o Ever Given vai ser desencalhado rapidamente – ou se devem antes tomar a rota alternativa, que implica o contornar o Cabo da Boa Esperança, na África do Sul, como reconheceu à Associated Press Lars Jensen, diretor executivo da SeaIntelligence Consulting, empresa especializada no transporte marítimo de contentores, com sede na Dinamarca.

Ao que explicou, trata-se de uma opção que atrasa a viagem em cerca de uma semana – o que justifica por que razão se acumulam tantos navios a contar que o imbróglio se resolva rapidamente. Um impacto que se traduz sempre em dinheiro e nem o Egipto, país que controla aquela passagem, escapa, já que a infraestrutura representa uma das suas principais fontes de entrada de moeda estrangeira.

Combustível e… papel higiénico

É a pensar nestes números e no seu impacto financeiro que, além dos cerca de 200 navios em fila a aguardar os próximos desenvolvimentos, há também pelo menos sete rebocadores a empurrar o navio de ambos os lados, para tentar colocá-lo de novo à tona. Além disso, pelo menos duas dragas continuam a tentar remover a areia e o lodo acumulado em parte da parede do canal contra a qual o navio encalhou – tudo sem sucesso.

Agora, o impacto de todo o bloqueio pode não ficar por aqui e aumentar exponencialmente, tendo em conta que, na fila, estão pelo menos 10 petroleiros que transportam cerca de 13 milhões de barris de petróleo do Médio Oriente para a Europa – além de outras nove embarcações que levam outros derivados de combustível, como o biodiesel. Mas não só: o cenário de escassez de papel higiénico, um verdadeiro pesadelo já sentido há um ano, pode regressar, depois de saber que, como confirmou à Bloomberg Walter Schalka, que dirige a empresa produtora de pasta de madeira Suzano SA, aquela é uma das matérias-primas em trânsito.

Leia todos os conteúdos exclusivos da VISÃO no site. E experimente a nova app, mais completa, com podcasts, newsletters diárias, alertas noticiosos e muitos conteúdos só para assinantes

Tenha mais VISÃO

Assinar

Mais na Visão

Desporto

LC: Final com adeptos testados e em solo luso menos de 24 horas

Os adeptos estrangeiros que viagem até ao Porto para assistir à final da Liga dos Campeões de futebol vão ficar menos de 24 horas em Portugal e serão todos testados à covid-19, anunciou hoje o Governo

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Associação Portuguesa de Serviços Técnicos para Eventos indignada com “o tratamento de exceção” concedido ao futebol

Face às aglomerações durante festa da conquista do título de campeão nacional do Sporting, a entidade que reúne as empresas do setor lamenta “os dois pesos e duas medidas aplicados pelo Governo”

Sociedade

Covid-19: Arganil critica recuo no desconfinamento e frisa que público no Rali mantém-se

A Câmara de Arganil, no distrito de Coimbra, criticou hoje as regras que determinam o recuo do concelho no processo de desconfinamento, mas salientou que a decisão não terá reflexo na passagem do Rali de Portugal pelo município

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Duas freguesias de Odemira avançam no desconfinamento mas a ritmos diferentes

A freguesia de São Teotónio vai avançar "um passo" no desconfinamento, enquanto a freguesia de Longueira-Almograve, ambas no concelho de Odemira (Beja), vai juntar-se ao patamar de desconfinamento da generalidade de Portugal continental, anunciou hoje o Governo

Economia

Covid-19: Arganil e Lamego recuam e outros três concelhos avançam no desconfinamento

Os concelhos de Arganil e Lamego vão recuar no processo de desconfinamento, enquanto outros três municípios e uma das freguesias de Odemira avançam e ficam a par da generalidade do país

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Diversão itinerante e parques infantis privados permitidos nas zonas em maior desconfinamento

A atividade de diversão itinerante e os parques infantis e aquáticos privados vão poder entrar em funcionamento nos concelhos do continente incluídos no nível mais avançado do plano de desconfinamento, anunciou hoje a ministra da Presidência

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Teletrabalho mantém-se obrigatório em todo o território continental até final de maio

O teletrabalho vai continuar a ser obrigatório em todos os concelhos de Portugal continental até ao final de maio indicou hoje a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva

Política

Presidente do Supremo aponta gestão dos megaprocessos como a "grande impotência" do sistema

O presidente do Supremo Tribunal de Justiça apontou hoje a gestão dos megaprocessos dos crimes económicos como a "grande impotência" do sistema, pondo em causa o funcionamento e a credibilidade da justiça e da democracia

Em atualização
Política

Situação de calamidade até 30 de maio. O que muda e o que se mantém no País

Há apenas quatro concelhos com um nível de desconfinamento inferior ao nacional, revelou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva. Multas nas praias e teletrabalho obrigatório até ao final de maio, saiba o que muda, esta semana

Política
Exclusivo

Cabrita pôs na gaveta investimento de milhões na rede do SIRESP

Governo foi alertado, em 2019, para a necessidade de preparar antecipadamente a transição da parceria público-privada do SIRESP, que termina dentro de mês e meio. Mas muitas das recomendações ficaram no papel, como a contratação de uma solução por feixes hertzianos, que tornasse o Estado menos dependente das ligações satélite da Altice. A incógnita sobre o que acontecerá a 1 de julho, em plena época de incêndios, mantém-se, com a operadora a acusar o Ministério da Administração Interna de silêncio

Sociedade

"Era uma mulher absoluta, em tudo o que fazia, em cada coisa a que se comprometeu". As reações à morte de Maria João Abreu

Várias personalidades já lamentaram a morte da atriz de 57 anos, que não resistiu a um aneurisma cerebral

OLHO VIVO

Sporting: “Usaram aquela cola que colava cientistas ao teto para colar Eduardo Cabrita à cadeira"

Tudo o que falhou nos festejos do Sporting e as consequências que aí vêm, as revelações das audições parlamentares aos devedores do Novo Banco e os resultados da Cimeira Social europeia estarão em debate no Olho Vivo desta semana