74% das mulheres dizem que são elas a ficar com os filhos em casa quando estão doentes

Quem tem a maior carga na vida doméstica? Homens e mulheres trabalham o mesmo em casa? A revista VISÃO, em parceria com a Ikea, lançou um grande estudo sobre a divisão das tarefas domésticas e familiares. As conclusões deste inquérito realizado pela GfK Metris com apoio científico da Professora Paulo Campos Pinto, do ISCSP, tem conclusões, para muitos, surpreendentes. Apenas 31,4% das mulheres que responderam ao inquérito dizem que a repartição não é equilibrada. São as mulheres entre os 45 e os 54 anos as que mais sentem a repartição desequilibrada, e as mais jovens, entre os 18 e os 24, as mais satisfeitas com o equilíbrio.

Mas quando analisamos em detalhe cada uma das tarefas, elas sentem-se mais penalizadas do que eles e eles tendem a confirmar. No que toca aos filhos, por exemplo, elas sentem-se mais penalizadas do que eles: 74% das mulheres dizem que são só elas ou maioritariamente elas a ficar com os filhos em casa quando estão doentes, quando apenas 15% dos homens dizem o mesmo.

O estudo completo pode encontrar na edição da VISÃO agora nas bancas, com uma reportagem extensa e os comentários de vários especialistas. Fique aqui com uma súmula das principais conclusões deste inquérito.

INQUÉRITO: PARIDADE EM CASA

► 85,2% dos homens consideram que existe uma repartição equilibrada das tarefas domésticas e familiares, mas apenas 69% das mulheres dizem o mesmo

► Mais mulheres (31,4%) do que homens (14,8%) consideram que a repartição não é equilibrada

► As mulheres entre os 45 e os 54 anos são as que mais sentem a repartição desequilibrada, e as mais jovens, entre os 18 e os 24, as mais satisfeitas com o equilíbrio, logo seguidas das mulheres com mais de 65 anos

Entre os que consideram que não há uma repartição equilibrada…
► 96,8% das mulheres consideram que é ela a mais penalizada
► 87,7% dos homens consideram que é ela a mais penalizada

CARREIRA

► A maioria dos homens e mulheres dizem que nenhum dos dois ou ambos em partes iguais têm a carreira mais prejudicada por causa da conciliação das tarefas familiares e profissionais.
► Mas enquanto 31% das mulheres sentem que têm a carreira mais prejudicada por causa da conciliação das tarefas familiares e profissionais, apenas 12,1% dos homens afirmam o mesmo. 22,6% dos homens dizem que elas têm a carreira mais prejudicada.

FILHOS

74% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente elas a ficar com os filhos em casa quando estão doentes, e só 15% dos homens dizem o mesmo

REFEIÇÕES

62% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente a definir ou preparar as refeições, e só 16% dos homens dizem o mesmo

ROUPA

80% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente elas a lavar e estender a roupa, e só 10% dos homens dizem o mesmo

PASSAR A FERRO

75% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente elas a engomar, e só 7% dos homens dizem o mesmo

ARRUMAÇÕES

66% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente elas a arrumar a casa, e só 18,2% dos homens dizem o mesmo

BRICOLAGE E REPARAÇÕES

76% dos homens dizem que são só eles ou maioritariamente eles que o fazem, e só 7,1% das mulheres dizem o mesmo

FICHA TÉCNICA DO ESTUDO
Estudo realizado pela GfK Metris, suportado por uma metodologia Quantitativa. Universo: constituído pelos indivíduos com 18 e mais anos, a viver em conjugalidade com indivíduos não do mesmo sexo, residentes em Portugal Continental. Amostra: constituída por 601 indivíduos, com a distribuição segundo as regiões GfK Metris. Ponderação: posteriormente, os dados resultantes das entrevistas foram reequilibrados para o Universo em estudo. Para tal, recorreu-se a dados internos sobre a distribuição demográfica de indivíduos com 18 e mais anos, a viver em conjugalidade, produzindo-se uma matriz que cruza dados de sexo, idade, região e instrução. Desta matriz, redistribuiu-se o peso de cada inquirido, para chegarmos à amostra final, proporcional ao Universo estudado. A informação foi recolhida através de um questionário de online. Os trabalhos de campo decorreram entre os dias 2 e 9 de setembro de 2019.

Leia todos os conteúdos exclusivos da VISÃO no site. E experimente a nova app, mais completa, com podcasts, newsletters diárias, alertas noticiosos e muitos conteúdos só para assinantes

Tenha mais VISÃO

Assinar

Relacionados

Iniciativas

Homens e mulheres fazem o mesmo em casa? VISÃO e IKEA juntam-se para uma manhã de debates, reflexões e humor

Quem tem a maior carga na vida doméstica? Dia 14 vamos debater o tema com Isabel Stilwell, Eduardo Sá, Rita Ferro Alvim, Chef Kiko, Joana Marques e Daniel Leitão. Junte-se a nós

Atualidade

Quem faz o quê em casa?

Afinal, quem é que faz realmente o quê em casa? Como é que são divididas as tarefas domésticas entre homens e mulheres? E quais são as grandes diferenças que se vêem de geração em geração? A VISÃO fez um grande inquérito às famílias portuguesas e, no vídeo, a editora de Sociedade Alexandra Correia e a jornalista Sara Sá falam dos resultados

Mais na Visão

LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Que NASA é esta que não aguenta com um asteroide?

Que grande chatice. Todas aquelas cabeças, mais supercomputadores, e capacidades infinitas só poderiam uma coisa a fazer: telefonar para a Proteção Civil da área de impacto. Com antecedência, já agora

Sociedade

A noite às escuras: A longa asfixia dos bares e discotecas

Podíamos escrever que o Lux reabriu esta semana, mas o verbo é manifestamente exagerado para o que se está a passar por lá. Por enquanto, ouvir música sentado e com restrições sanitárias é o que se pode esperar desta discoteca e de qualquer outro lugar de diversão. A noite ainda vai ter de esperar para que uma reabertura seja conjugada com toda a propriedade

Mundo

Nova Zelândia em modo pós-Covid: Quanto menos turistas, melhor

Neste território da Oceânia a pandemia é coisa do passado, mas o turismo não deverá voltar a ser o que era. Um novo plano para proteger o meio ambiente e reconsiderar o papel do turismo na sua economia não inclui hordas de turistas internacionais

Imobiliário

Mediadores e promotores imobiliários estão mais otimistas

Pela primeira vez desde fevereiro do ano passado, o Índice de Confiança do 'Portuguese Housing Market Survey' entrou em terreno positivo

Exame
Macro

Inverno demográfico ameaça sustentabilidade das contas, avisa estudo da Gulbenkian

Um novo estudo promovido pela Gulbenkian mostra o impacto dramático que o envelhecimento da população terá nas contas públicas portuguesas

Política

Desconfinamento: Esta semana só 5 concelhos ficam para trás

Anúncio foi feito pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, no final de mais uma reunião do Governo. Análise semanal à incidência de casos de Covid revela ainda 23 municípios em estado de alerta

OLHO VIVO

"Todos os anos há uma imolação nacional à volta do Novo Banco"

A situação dos imigrantes em Odemira, o movimento MeToo em Portugal e as contas do Novo Banco estiveram em debate nesta edição do programa de comentário político e económico da VISÃO

Política

Ministério Público arquiva inquérito a obstetra do bebé sem rosto

O Ministério Público (MP) de Setúbal arquivou o inquérito instaurado ao obstetra do bebé que nasceu com malformações, Artur Carvalho, revelou à Lusa fonte do MP

Imobiliário

Cerca de 3.000 novas casas vão entrar no mercado de arrendamento de Lisboa e Porto

O mercado de arrendamento em Portugal começa a descolar e vai aumentar nos próximos meses, segundo o European Multifamily Housing Report, da consultora CBRE

Economia

Galp desligou última unidade de produção da refinaria de Matosinhos na sexta-feira

A Galp desligou a última unidade de produção da refinaria de Matosinhos, na passada sexta-feira, na sequência da decisão de concentrar as operações em Sines, disse o administrador

Exame Informática
Mercados

O Ídolo: um filme gravado apenas com um Samsung S21 Ultra

O argumento de Fernando Pessoa foi transformado numa curta-metragem por Pedro Varela, realizador que recorreu ao smartphone topo de gama da Samsung para captar as imagens

Sociedade

Porque o divórcio do "velho amigo" Bill Gates está a dar tanto que falar na China

A empresa da qual é fundador é das poucas empresas de tecnologia ocidentais que mantém a sua presença no mercado chinês, tendo mesmo ajudado a desenvolver a indústria de software na China. Por todo o impacto que o magnata teve no país, o seu divórcio tem gerado muitas reações e preocupações