74% das mulheres dizem que são elas a ficar com os filhos em casa quando estão doentes

Quem tem a maior carga na vida doméstica? Homens e mulheres trabalham o mesmo em casa? A revista VISÃO, em parceria com a Ikea, lançou um grande estudo sobre a divisão das tarefas domésticas e familiares. As conclusões deste inquérito realizado pela GfK Metris com apoio científico da Professora Paulo Campos Pinto, do ISCSP, tem conclusões, para muitos, surpreendentes. Apenas 31,4% das mulheres que responderam ao inquérito dizem que a repartição não é equilibrada. São as mulheres entre os 45 e os 54 anos as que mais sentem a repartição desequilibrada, e as mais jovens, entre os 18 e os 24, as mais satisfeitas com o equilíbrio.

Mas quando analisamos em detalhe cada uma das tarefas, elas sentem-se mais penalizadas do que eles e eles tendem a confirmar. No que toca aos filhos, por exemplo, elas sentem-se mais penalizadas do que eles: 74% das mulheres dizem que são só elas ou maioritariamente elas a ficar com os filhos em casa quando estão doentes, quando apenas 15% dos homens dizem o mesmo.

O estudo completo pode encontrar na edição da VISÃO agora nas bancas, com uma reportagem extensa e os comentários de vários especialistas. Fique aqui com uma súmula das principais conclusões deste inquérito.

INQUÉRITO: PARIDADE EM CASA

► 85,2% dos homens consideram que existe uma repartição equilibrada das tarefas domésticas e familiares, mas apenas 69% das mulheres dizem o mesmo

► Mais mulheres (31,4%) do que homens (14,8%) consideram que a repartição não é equilibrada

► As mulheres entre os 45 e os 54 anos são as que mais sentem a repartição desequilibrada, e as mais jovens, entre os 18 e os 24, as mais satisfeitas com o equilíbrio, logo seguidas das mulheres com mais de 65 anos

Entre os que consideram que não há uma repartição equilibrada…
► 96,8% das mulheres consideram que é ela a mais penalizada
► 87,7% dos homens consideram que é ela a mais penalizada

CARREIRA

► A maioria dos homens e mulheres dizem que nenhum dos dois ou ambos em partes iguais têm a carreira mais prejudicada por causa da conciliação das tarefas familiares e profissionais.
► Mas enquanto 31% das mulheres sentem que têm a carreira mais prejudicada por causa da conciliação das tarefas familiares e profissionais, apenas 12,1% dos homens afirmam o mesmo. 22,6% dos homens dizem que elas têm a carreira mais prejudicada.

FILHOS

74% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente elas a ficar com os filhos em casa quando estão doentes, e só 15% dos homens dizem o mesmo

REFEIÇÕES

62% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente a definir ou preparar as refeições, e só 16% dos homens dizem o mesmo

ROUPA

80% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente elas a lavar e estender a roupa, e só 10% dos homens dizem o mesmo

PASSAR A FERRO

75% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente elas a engomar, e só 7% dos homens dizem o mesmo

ARRUMAÇÕES

66% das mulheres dizem que são só ou maioritariamente elas a arrumar a casa, e só 18,2% dos homens dizem o mesmo

BRICOLAGE E REPARAÇÕES

76% dos homens dizem que são só eles ou maioritariamente eles que o fazem, e só 7,1% das mulheres dizem o mesmo

FICHA TÉCNICA DO ESTUDO
Estudo realizado pela GfK Metris, suportado por uma metodologia Quantitativa. Universo: constituído pelos indivíduos com 18 e mais anos, a viver em conjugalidade com indivíduos não do mesmo sexo, residentes em Portugal Continental. Amostra: constituída por 601 indivíduos, com a distribuição segundo as regiões GfK Metris. Ponderação: posteriormente, os dados resultantes das entrevistas foram reequilibrados para o Universo em estudo. Para tal, recorreu-se a dados internos sobre a distribuição demográfica de indivíduos com 18 e mais anos, a viver em conjugalidade, produzindo-se uma matriz que cruza dados de sexo, idade, região e instrução. Desta matriz, redistribuiu-se o peso de cada inquirido, para chegarmos à amostra final, proporcional ao Universo estudado. A informação foi recolhida através de um questionário de online. Os trabalhos de campo decorreram entre os dias 2 e 9 de setembro de 2019.

Leia a VISÃO digital em casa durante dois meses e apoie também o jornalismo de qualidade. Porque é preciso ter VISÃO #EU LEIO EM CASA

ASSINATURA ESPECIAL DE CURTA DURAÇÃO

ASSINE

Relacionados

Iniciativas

Homens e mulheres fazem o mesmo em casa? VISÃO e IKEA juntam-se para uma manhã de debates, reflexões e humor

Quem tem a maior carga na vida doméstica? Dia 14 vamos debater o tema com Isabel Stilwell, Eduardo Sá, Rita Ferro Alvim, Chef Kiko, Joana Marques e Daniel Leitão. Junte-se a nós

Atualidade

Quem faz o quê em casa?

Afinal, quem é que faz realmente o quê em casa? Como é que são divididas as tarefas domésticas entre homens e mulheres? E quais são as grandes diferenças que se vêem de geração em geração? A VISÃO fez um grande inquérito às famílias portuguesas e, no vídeo, a editora de Sociedade Alexandra Correia e a jornalista Sara Sá falam dos resultados

CAPA DA EDIÇÃO

You need to configure google service credentials! Quota Error: profileId 167904776 has exceeded the daily request limit.

Mais na Visão

Fotografia

Ronda XI: O homem só

A repórter fotográfica da VISÃO Lucília Monteiro continua a série "Ronda", dedicada ao confinamento forçado pela pandemia de Covid-19

Sociedade

Covid-19: O novo coronavírus já matou 50 médicos italianos

O presidente da federação nacional de ordens de médicos de Itália diz que os seus colegas estão a ser enviados “desarmados” para a “guerra”

Sociedade

Galgos resgatados a João Moura estão irreconhecíveis e já começaram a ser adotados

Dos 17 cães sobreviventes e apreendidos ao cavaleiro tauromáquico em avançado estado de subnutrição e com doenças associadas, a maior parte recupera bem - a ponto de uma fêmea já ter sido adotada e outros quatro desses galgos para aí caminharem. Veja imagens onde já não se reconhecem os cães esqueléticos que chocaram o País

Sociedade

Covid-19: E se os cães puderem detetar o novo coronavírus?

Uma instituição britânica vai começar a fazer testes para saber se o melhor amigo do homem pode ajudar a prevenir a propagação do novo coronavírus

COVIDiário

A estupidez ao sol

Cada dia que passa neste “Faz de Conta” é um mais uma eternidade no purgatório da quarentena. É para levar isto a sério?

Sociedade

Covid-19: A PSP está controlar todas as viaturas que atravessam a Ponte 25 de Abril rumo ao Sul

A operação teve início às 2 da tarde, provocando longas filas de trânsito nos acessos Norte. E não tem hora prevista para terminar

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Teia de restrições prende português no aeroporto de Maputo desde quinta-feira

Um português está retido desde quinta-feira no aeroporto de Maputo depois de tentar entrar em Moçambique com um visto turístico quando todos os vistos já estavam suspensos e já não podia voltar para trás, relatou o próprio à Lusa

Sociedade

Covid-19: 5 regras para tratar o lixo doméstico

Para evitar a contaminação das ruas e de outras pessoas, a EGF alerta para a necessidade de atenção especial em fase de pandemia

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Pico da pandemia deverá ser adiado para final de maio

A ministra da Saúde anunciou que o pico da pandemia de covid-19 deverá acontecer no final de maio e que as medidas de contenção social estão a conseguir abrandar a curva de infeções

Sociedade

Covid-19: Primeiro, cumpriu quarentena na China. Agora, está a fazer cá em Portugal. A visão otimista de quem viveu o mesmo momento duas vezes

Na China, as medidas foram mais drásticas, mas Portugal agiu mais cedo, salienta este engenheiro informático

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Portugal com 100 mortes e mais de 5.100 infetados

Portugal regista hoje 100 mortes associadas à covid-19, mais 24 do que na sexta-feira, enquanto o número de infetados subiu 902, para 5.170, segundo a Direção-Geral da Saúde

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: 5 lições importantes do ébola que podem ajudar a vencer o coronavírus

A ex-presidente da Libéria Ellen Johnson Sirleaf, agora Embaixadora da Boa Vontade para a Saúde nas Nações Unidas, e um conhecido médico de Harvard partilham na revista TIME aquilo que aprenderam com a epidemia, entre 2014 e 2016