Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Todos os caminhos vão dar ao Indie Lisboa - oito razões para não perder o festival

Ver

O cinema celebra-se em Lisboa com mais uma edição do Indie, com dezenas de filmes, convidados e atividades paralelas. Este ano, o Brasil está em foco, mas há muito cinema português, retrospetivas e antestreias de filmes que vão dar que falar. Alguns destaques do festival que decorre, em diversos espaços da cidade, entre 2 e 12 de maio

O documentário Democracia em Viagem é um filme-ensaio, de Petra Costa, sobre a situação política no Brasil

O documentário Democracia em Viagem é um filme-ensaio, de Petra Costa, sobre a situação política no Brasil

1. Brasil em transe

O novíssimo cinema brasileiro é o Herói Independente do festival este ano, com uma programação transversal, com presenças do Brasil em quase todas as secções. É uma forma de reconhecer a qualidade do cinema brasileiro das últimas décadas, com presença crescente em festivais europeus. E, ao mesmo tempo, convidar à reflexão sobre o futuro negro que se adivinha, com o atual quadro político e social. Estarão presentes obras de realizadores como Gabriel Mascaro, Helvécio Marins Jr., Caetano Gotardo ou Bruna Carvalho.

Um dos filmes mais esperados é Democracia em Vertigem, de Petra Costa. A realizadora de Olmo e a Gaivota, já estreado em Portugal, fez, para a Netflix, um impressionante documentário, que serve de filme-ensaio sobre a situação política no Brasil e a maré de populismo que tem tomado conta da política internacional. Os principais protagonistas deste filme são Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff, Michel Temer e Jair Bolsonaro. Democracia em Vertigem, de Petra Costa, Brasil, documentário, 122 min > Cinema São Jorge > dia 7 > 21h45

Além de uma retrospetiva, a atriz Anna Karina conversa com o público no dia 8

Além de uma retrospetiva, a atriz Anna Karina conversa com o público no dia 8

2. Anna Karina

O IndieLisboa encontrou espaço para um segundo Herói Independente. Ou melhor, uma heroína. A atriz Anna Karina é conhecida pelo seu trabalho com Jean-Luc Godard, sobretudo nos anos 60, em filmes como Bando à Parte e Pedro, o Louco. Contudo, tem um percurso muito mais vasto que passa por participações em filmes de Rivette, Visconti, Cukor ou Fassbinder e, até, pela realização do filme Vivre Ensemble. A Cinemateca apresenta uma extensa retrospetiva, com estes e muitos outros filmes. A atriz vai estar em Lisboa para uma conversa com o público, moderada por José Manuel Costa e Maria João Madeira. Conversa com Anna Karina > Cinemateca > dia 8 > 19h

A antestreia do filme Hotel Império, passado em Macau, é uma das presenças do realizador português Ivo M. Ferreira

A antestreia do filme Hotel Império, passado em Macau, é uma das presenças do realizador português Ivo M. Ferreira

3. Ivo M. Ferreira x 2

Tal como aconteceu no Festival de Berlim, o Indie oferece-nos Ivo M. Ferreira em dose dupla. Por um lado, a antestreia do filme Hotel Império, thriller sexual, passado em Macau, que nos leva pelas memórias do colonialismo. O filme conta com a interpretação de Margarida Vila-Nova e está inserido num programa mais amplo que assinala os 20 anos da passagem do território para a administração chinesa. Por outro, Ivo apresenta também os primeiros episódios de Sul, série policial realizada para a RTP, protagonizada por Adriano Luz. O cinema português vai estar em grande destaque nesta edição do Indie, com novos filmes de Margarida Gil, Ico Costa, Catarina Ruivo, Tiago Guedes, Tiago Hespanha, Júlio Alves, Marta Pessoa, Solveig Nordlund, Margarida Cardoso, entre outros. Hotel Império, de Ivo M. Ferreira, 82 min > Culturgest > dia 3 > 21h30 > Sul, de Ivo M. Ferreira, 90 min > Culturgest > dia 10 > 21h30

Make Me Up, de Rachel Maclean

Make Me Up, de Rachel Maclean

4. Maratona Boca do Inferno

Passar a noite inteira a ver filmes é a louca proposta da maratona Boca do Inferno, que recupera o espírito dos aniversários do cinema Quarteto. São duas sessões de cinco horas, cada, de cinema non stop, com um programa ousado, de curtas e longas-metragens, com o objetivo de manter até os mais sonolentos acordados – por exemplo, filmes como Cassandro, el Exótico!, sobre um lutador mexicano de wrestling que se veste de látex cor de rosa, ou Make Me Up, de Rachel Maclean, no qual sob o céu de purpurinas de um reality show se esconde uma terrível realidade que passa por cirurgias estéticas forçadas. Maratona Boca do Inferno I, vários filmes, 296 min > Cinema Ideal > dia 4 > 23h > Maratona Boca do Inferno II, vários filmes, 283 min > Cinema Ideal > dia 11 > 23h

5. Ela é uma música

O Indie também é uma festa, com um vasto programa noturno, que inclui concertos, DJ sets e outras atividades em ligação direta com filmes apresentados. Um dos grandes momentos será o concerto Ela É Uma Música, relacionado com o documentário de Francisca Garvão com esse título, que reúne em palco mulheres de várias gerações, como Adelaide Ferreira, As Gaijas, The Dirty Coal Train, Anarchicks, Panelas Depressão e Aurora Pinho (e ainda o DJ Set de Candy Diaz). Mas há muito mais: um concerto de João Peste com vários convidados (a propósito do filme dedicado à editora Ama Romanta), uma noite de punk dedicada a João Ribas e uma festa com funk brasileiro. Ela É Uma Música After Party, concerto > Casa Independente > dia 10 > 22h30

6. O regresso dos Rollana Beat

Lembram-se dos Rollana Beat? A banda de André Ruivo está de volta em formato... vídeo. Treze realizadores foram desafiados a filmar um teledisco para cada uma das músicas do álbum Big Sneeze, lançado em 2013. Podem ver-se pequenos filmes de, entre outros, Edgar Pêra, Inês Oliveira, Isabel Aboim Inglez, Leonor Noivo, Renata Sancho e Aya Koretzky. O programa IndieMusic é muito vasto e inclui, por exemplo, uma amostra dos Arquivos Kino-Pop de Edgar Pêra, e filmes sobre João Ribas, a editora Ama Romanta, Miles Davis, John Lennon & Yoko Ono. Vídeos de Big Sneeze, dos Rollana Beat, vários realizadores, 50 min > Culturgest > dia 3 > 19h15

7. Cinema e "videogames"

A secção Silvestre centra-se numa acutilante jovem dupla de realizadores franceses: passam em sala todas as curtas-metragens que Caroline Poggi e Jonathan Vinel realizaram em conjunto e individualmente. Em antestreia, pode ver-se no Indie a sua primeira longa, Jessica Forever, inquietante ficção que desenha um futuro distópico, em que mantêm a mesma linguagem das curtas, com recurso a videojogos. Ligado a esse foco, a dupla convidou o grupo Oklou & Krampf para fazer uma gaming performance com o título Zone W/O People. Oklou canta e, ao mesmo tempo, joga um videojogo criado e desenvolvido ao vivo pelos dois artistas. Zone W/O People, de Oklou & Krampf, performance, 45 min > Carpintarias de São Lázaro > dia 6 > 21h30

Mundo Animado parte das bandas sonoras de filmes mudos de Charlie Chaplin e Buster Keaton

Mundo Animado parte das bandas sonoras de filmes mudos de Charlie Chaplin e Buster Keaton

8. Para os mais novos

O IndieJúnior desenha-se como um festival dentro do festival, e tem vindo a ganhar maior preponderância. Conta com filmes para várias idades, sessões para escolas e famílias, além de diferentes atividades, como ateliers temáticos, nos quais as crianças podem ter um contacto mais direto com os bastidores do cinema. Um dos momentos mais altos é, sem dúvida, o filme-concerto, proposto pela Casa da Música. António Serginho, Óscar Rodrigues e Pedro Cardoso (Peixe) constroem, ao vivo, bandas sonoras para filmes mudos de Charlie Chaplin e Buster Keaton. Para pais, filhos e avós. Mundo Animado, Cine-concerto com a Casa da Música, filmes de Charlie Chaplin e Buster Keaton > Culturgest > dia 4 > 16h