Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Já conhece a dieta Sem, Sem Sem?

Sociedade

Foto: DR

Há cada vez mais pessoas a banirem o glúten, a lactose e o açúcar da sua alimentação. A tendência é reforçada por livros de receitas como o da inglesa Ella Woodward, no top dos mais vendidos na Amazon. Leia a entrevista e experimente quatro receitas

Estudou história de arte mas desviou o percurso para a nutrição e naturopatia depois de mudar completamente a sua alimentação, farta dos sintomas do síndrome de taquicardia postural, detetado aos 19 anos. É um êxito na internet e o seu livro, As Delícias de Ella, já foi lançado em 15 países.

Teve outra vida. Como se transformou numa escritora de receitas?

Foi em 2011, quando estive mesmo mal e a tomar medicação muito forte, por causa da minha doença. Depois de seis meses na cama, percebi que não tinha vida e que os remédios não estavam a resultar. Comecei a procurar uma alternativa e encontrei esta fórmula de me alimentar de forma natural, sem farinhas brancas, açúcar adicionado ou aditivos. Antes comia doces, hambúrgueres, pizzas, o normal - só lixo. Nunca tinha pensado em mudar, mas decidi tentar.

Entretanto, deixou a tal medicação?

Sim, 18 meses depois de mudar a alimentação, decidi deixar. Nunca mais fui ao médico. Sinto-me bem e não tenho sintomas há dois anos.

Por onde começou essa mudança?

Foi tudo ao mesmo tempo, o que pode ser uma ideia terrível. De repente, tudo o que costumava pôr no prato tinha desaparecido. E eu queria comer! Acabei a fazer umas papas de aveia. Procurei livros de receitas, mas o que existia era muito académico, sem fotos e nada inspirador. Foi essa sensação de desconhecimento que me inspirou a começar o meu blogue e aprender a cozinhar.

Alguma vez pensou que a sua vida se ia transformar desta forma?

Comecei a escrever para mim, para me entusiasmar. Não sei o que aconteceu, honestamente. Nos primeiros meses não mostrei a ninguém o meu blogue. Depois, as visitas aumentaram e eu pensei que eram amigos de amigos, mas quando chegaram às 900 mil percebi que já era demais. Foi então que passei a levar aquilo mais a sério.

Este é o seu primeiro livro. O que o diferencia do blogue?

Não há grande diferença. Fui eu que inventei as receitas, que são muito simples, mas no blogue elas vão ficando para baixo e depois ninguém as encontra. As pessoas são sempre mais inspiradas por um livro. Por alguma razão, ele chegou ao top da Amazon inglesa em todas as categorias.

Esta mudança radical foi só à mesa?

Não! A comida tem muita importância, mas mudei a minha postura perante a vida e perante os outros. Tem tudo a ver com o sentir-me bem, com energia, sem estar sempre ansiosa ou cansada.

Como é a sua vida social?

É normal. Sou uma pessoa normal. Não dramatizo. A maioria dos meus amigos mais chegados e a minha família também já adotaram esta forma de comer.

 

Usa alternativas ao açúcar. Mas há quem não coma nada doce, além da fruta. Não conseguiu resistir-lhe?

O açúcar foi a coisa mais difícil de deixar, sem dúvida. Não sabia como substituí-lo. E ele está enraizado na nossa cultura. Se faço um jantar com amigos, eles estão à espera de uma sobremesa, faz parte da celebração, as pessoas ficam contentes e satisfeitas com isso. Portanto, uso normalmente xarope de ácer nas receitas. Mas se isso for a pior coisa que faço na minha dieta, não me parece mal...

É vegetarina?

Como peixe de vez em quando. Por vezes, em restaurantes, prefiro comer peixe e legumes do que escolher as opções vegetarianas, normalmente cheias de queijo e natas.

E só come biológico?

Não vou deixar de comer alguma coisa só por não ser biológica. Por norma tento fugir dos produtos convencionais, mas nem sempre é possível.

Come sempre assim, sem, sem, sem, ou prevarica?

Como sempre desta forma, mas não espero que os outros o façam.

Receitas para um vida sem, sem, sem

A propósito do lançamento em Portugal do livro da inglesa Ella Woodward, As Delícias de Ella, que ensina a cozinhar passando ao lado do glúten, da lactose e do açúcar, deixamos aqui algumas receitas para experimentar lá em casa e fazer uma refeição completa. Se forem do agrado, há muitas mais no blogue deliciouslyella.com:

Pão de superalimentos

  • 1 caneca de amêndoas (200 gramas)
  • 1 1/2 caneca de sementes de abóbora (260 gramas)
  • 1 caneca de farinha de arroz integral (200 gramas)
  • 1/2 caneca de sementes de girassol (85 gramas)
  • 3 colheres de sopa em pó de casca de semente de psílio (ingrediente para unir a massa)
  • 3 colheres de sopa de mistura de ervas secas
  • 2 colheres de sopa de sementes chia
  • Sal e pimenta

Coloque as amêndoas e as sementes de abóbora num processador de alimentos e bata até ficarem em pó. Ponha a farinha numa tigela grande, junte-lhe todos os ingredientes secos e misture-os bem. Adicione duas canecas (600ml) de água fria e mexa tudo. Reserve durante cerca de 1 hora. Pré-aqueça o forno a 200ºC (ventilado 180ºC). Coloque a massa num tabuleiro, com 5 a7 centímetros de altura. Deixe o pão cozer durante 45minutos, até que a superfície fique dourada e, ao espetar uma faca no centro da massa,esta saia limpa.

Noodles de curgete com pesto de abacate (4 pessoas)

Para os noodles:

  • 4 curgetes
  • 2 dúzias de cogumelos boletos
  • azeite

Para o pesto de abacate:

  • 1 caneca de castanhas-do-pará (120g)
  • 4 abacates
  • 4 colheres de sopa de azeite
  • 1 grande punhado de folhas de hortelã fresca
  • sumo de 4 limas
  • sal e pimenta

Para os noodles:

Comece por colocar as curgetes no cortador de legumes. Reserve.

Corte os cogumelos em fatias finas, regue-os com azeite e cozinhe-os em lume brando numa frigideira grande, durante 5minutos, até estarem macios.

Para o pesto de abacate:

Enquanto os cogumelos cozinham, coloque as castanhas-do-pará num processador de alimentos e bata-as durante 1 ou 2 minutos, até estarem totalmente moídas. Adicione a polpa de abacate, o azeite, as folhas de hortelã, o sumo de lima e uma pitada de sal e pimenta, e volte a bater.

Escolha uma das seguintes opções: misturar os noodles e o molho numa taça, tal como estão, e acrescentar os cogumelos,ou adicionar o molho e os noodles aos cogumelos na frigideira e deixar em lume brando durante alguns minutos, para aquecer o prato e amaciar um pouco a massa.

Panquecas de batata doce (12)

  • 1 batata-doce pequena (200g)
  • 2/3 caneca de leite de aveia (200ml)
  • 1 caneca de farinha de arroz integral (200g)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1 colher de chá de canela moída
  • óleo de coco, para untar

Descasque a batata-doce e corte-a em pedaços pequenos. Coza ao vapor ou em água durante10 minutos, até ficar macia. Coloque numa liquidificadora com o leite de aveia, a farinha, o mel e a canela. Bata durante cerca de 30 segundos,até obter uma mistura homogénea. Unte uma frigideira antiaderente e deixe-a aquecer bem antes de deitar 2 colheres de massa. Com auxílio de uma colher, molde a massa num círculo e deixe fritar 2 a 3minutos, até que a superfície comece a ganhar consistência. Volte a panqueca e deixe-a fritar do outro lado.

Mousse rápida de chocolate e abacate (4 pessoas)

  • 2 abacates maduros
  • 4 bananas bastante maduras (400g)
  • 12 tâmaras Medjool descaroçadas
  • 4 colheres de sopa de manteiga de amêndoa
  • 5 colheres de chá bem cheias de cacau cru em pó
  • opcional: uma pitada de xarope de ácer
  • opcional: sementes de chia para decorar

Corte os abacates ao meio. Coloque a polpa num processador de alimentos. Ponha os restantes ingredientes no processador de alimentos com um pouco de água e o xarope de ácer, se estiver a usá-lo, e bata até obter uma mistura deliciosa e homogénea. Divida o preparado por 4 taças e decore com sementes de chia. Deixe no frigorífico até à hora de servir.

Leia a reportagem Ser Diferente a Comer na VISÃO desta semana, quinta-feira nas bancas 

DISPONÍVEL TAMBÉM: