Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Lesmas gigantes da Península Ibérica invadem Moscovo

Sociedade

ullstein bild/Getty Images

Uma espécie de lesma que chega a atingir 15 centímetros de comprimento chegou à Rússia, destruindo plantações agrícolas e aterrorizam os locais

Chama-se Arion vulgaris, é conhecida por lesma espanhola ou lesma lusitana (por supostamente ser nativa da Península Ibérica) e está a deixar os russos em pânico. O animal, que chega a atingir os 15 centímetros de comprimento, chegou a Moscovo, onde se tem multiplicado sem controlo, destruído plantas e enojado a população local.

"Elas comem muito e é realmente difícil livrarmos-nos deles", queixou-se um moscovita ao canal de notícias russo Vesti. "Tenho lutado contra elas, mas simplesmente continuam a multiplicar-se.”

A lesma encontra-se registada como uma das 100 piores espécies invasoras na Europa pelo site “Delivering Alien Invasive Species Inventories Europe”, da responsabilidade da Comissão Europeia. No sul da Europa, não causa grandes problemas, uma vez que normalmente a maioria dos 400 ovos que o animal põe secam e não chegam a eclodir; em regiões mais frias e húmidas, no entanto, isso não acontece. Acredita-se que a sua expansão pela Europa se deva ao comércio de plantas.

A Arion vulgaris é normalmente alaranjada, mas também pode ser castanho-avermelhada ou amarela. Alimenta-se de uma grande variedade de plantas verdes, matéria orgânica em decomposição e de carcaças de animais. É hermafrodita, o que significa que possui órgãos sexuais masculino e feminino e é capaz de acasalar com qualquer um dos géneros.

Apesar de não terem inimigos naturais, estes animais morrem após o acasalamento, no outono, e é muito provável que as lesmas provenientes dos ovos não consigam resistir ao frio Inverno da Rússia.

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.