Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Hospital terá pago mais de 5 milhões de euros para esconder possível negligência médica, na sequência da morte de Neil Armstrong

Sociedade

Neil Armstrong

Bettmann/ Getty Images

A família de Neil Armstrong recebeu, de acordo com uma investigação do New York Times, mais de 5 milhões de euros para ocultar as falhas nos serviços médicos prestados ao astronauta, e que poderão ter resultado na sua morte

O hospital onde Neil Armstrong morreu, a 25 de agosto de 2012, com 82 anos, terá pago à família uma indemnização de 6 milhões de dólares (5 milhões e 300 mil euros), como parte de um acordo confidencial para resolver alegadas complicações depois de uma cirurgia cardiovascular. Segundo os documentos legais, que se tornaram públicos na terça-feira, o valor foi distribuido por 10 familiares do astronauta: os dois filhos, os irmãos e os seis netos.

Uma investigação do The New York Times conta que os dois filhos de Neil Armstrong ficaram descontentes com o tratamento pós-operatório do Mercy Health-Fairfield Hospital, e que poderá ter custado a vida ao astronauta. Os médicos decidiram fazer uma cirurgia de bypass arterial, que requer a implantação de fios temporários para ajudar a acelerar o batimento cardíaco. As complicações médicas terão começado depois da remoção desses fios, algo que segundo um especialista, terá causado uma "hemorragia significativa e rápida".

Ashish Jha, professor de medicina na Universidade de Harvard, que trata regularmente de pacientes em pós-cirurgias cardíacas, explica que "se alguém baixar substancialmente a pressão arterial, isso significa que está a ter uma hemorragia potencialmente fatal". "Eu não entendo completamente porque é que eles foram para o laboratório de cateterismo", afirma. Na sua opinião, "a morte era totalmente evitável".

Apesar da instituição ter negado quaisquer falhas no serviço, o perito contratado pelo próprio hospital também identificou sérios problemas no tratamento prestado ao doente, e o hospital decidiu pagar a indemnização milionária, em troca do sigilo dos familiares, de modo a evitar publicidade negativa.

Os registos do tribunal mostram que a maior parte do pagamento, quase 5,2 milhões de dólares, foi dividida igualmente entre os filhos Mark e Rick. O irmão e irmã do astronauta, Dean A. Armstrong e June L. Hoffman, receberam cada um 250 mil dólares, e aos seis netos coube, a cada, 24 mil dólares. A viúva fez questão de sublinhar, durante uma entrevista, que não participou no acordo. "Eu quero que isso fique registado", afirmou.

Nanette Bentley, porta-voz do grupo hospitalar, disse ao The Cincinnati Enquirer, na terça-feira, que a "natureza pública dessas informações é muito dececionante, tanto para nós, como para a família do paciente que desejava manter essa questão legal em segredo".

No comunicado emitido pela família, na altura da morte do astronauta, pode ler-se: "Honrem o seu serviço exemplar, desempenho e modéstia". "Da próxima vez que saírem, numa noite clara, e virem a lua a sorrir para vocês, pensem em Neil Armstrong e pisquem-lhe o olho".