Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Salários até 2 mil euros serão os mais beneficiados com subida da dedução fixa por filho

Economia

Leonhard Foeger / Reuters

Os contribuintes com um salário mensal entre os 1.000 e os 2.000 euros serão os mais beneficiados com a subida da dedução fixa por filho em sede de IRS, segundo as simulações da consultora Deloitte para a Lusa

O Governo anunciou terça-feira que quer aumentar a dedução fixa por filho em sede de IRS para os 600 euros, mais 45 euros do que o previsto na proposta de Orçamento do Estado para 2016 (OE2016).

No documento, o Governo pretende eliminar o quociente familiar em sede de IRS e aumentar as deduções fixas por filho e por ascendente a cargo para 550 euros por cada dependente e de 525 euros por cada ascendente que viva juntamente com o agregado familiar e cujos rendimentos não excedam a pensão mínima do regime geral.

Simulações

Um solteiro com um filho

Um solteiro com um filho, e que tenha um salário mensal de 1.000 euros, tem este ano uma poupança de 61 euros em IRS face ao ano de 2015, considerando também a redução da sobretaxa, correspondendo a uma redução da carga fiscal de 5,74%.

Caso o salário mensal seja de 2.000 euros, o contribuinte paga menos 240 euros. Neste caso, a redução da carga fiscal é de 4,12%. Já no caso daqueles que têm um salário mensal de 4.000 euros, a poupança em sede de IRS, considerando as novas regras, é de 178 euros, correspondente a uma redução da carga fiscal de 1,05%.

Por fim, para um salário mensal de 8.000 euros, o cenário é o oposto, uma vez que há um agravamento da carga fiscal de 0,08%, ou seja, o contribuinte paga este ano mais 33 euros face ao ano passado.

Um casal com dois dependentes e opção de tributação conjunta

Um casal com um rendimento mensal de 1.000 euros poupa este ano perto de 285 euros em IRS face a 2015, uma vez que terá uma redução de 100% da carga fiscal este ano, não tendo por isso de pagar nada.

Já um casal com um rendimento mensal de 2.000 euros vai pagar menos 121 euros de IRS face ao ano passado, ou seja, menos 5,74% face a 2015. Se o rendimento bruto do casal for de 4.000 euros, neste caso haverá um aumento de 0,64%, tendo este casal de pagar mais 71 euros face a 2015.

Por último, um casal com um rendimento bruto mensal de 8.000 euros vai pagar este ano mais 192 euros face a 2015, com um agravamento de 0,57% no IRS face ao ano passado.