Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

“Posso enfrentar qualquer oponente, menos a idade”, diz Garry Kasparov sobre o xadrez

Desporto

5 - Garry Kasparov, 49 anos. QI de 190. O mais jovem campeão mundial de xadrez e considerado o melhor jogador de todos os tempos. É conhecido pelo seu ativismo político contra Vladimir Putin e, em 2008, chegou a candidatar-se ao cargo de presidente da Rússia.

Após o seu fraco desempenho na Champions Showdown contra Fabiano Caruana, o ex-campeão de 56 anos diz que a idade é o único oponente a que jamais conseguirá ganhar

Pedro Dias

Pedro Dias

Jornalista

Garry Kasparov foi campeão do mundo de xadrez durante 15 anos e é ainda visto por muitos fãs do desporto como o melhor jogador de sempre. Esta semana, em St. Louis, nos EUA, durante a Champions Showdown, revelou vários erros em jogadas e dificuldades de gestão de tempo contra o nº 2 do mundo, Fabiano Caruana. O jogador de 56 anos perdeu 5-1 contra Caruana em xadrez rápido, ao ter tido dificuldade em acompanhar a velocidade do adversário.

Kasparov reformou-se do xadrez em 2005 e ponderou seguir uma carreira política, o que se revelou infrutífero. Desde 2014 que o ex-campeão russo trabalha como orador internacional de assuntos internos, e ajuda o milionário Rex Sinquefield, que financia muitos eventos de xadrez em Saint Louis.

Sinquefield convenceu Kasparov a competir em eventos especiais de xadrez rápido contra jogadores atuais de elite. A primeira ocasião deu-se em 2017, em que Kasparov defrontou e derrotou os três melhores jogadores dos EUA, Caruana, Hikaru Nakamura e Wesley So. Em 2018, perdeu contra Veselin Topalov, um velho rival, no Champions Showdown, com o resultado de 14.5-11.5, apesar de ter ganho os dois últimos jogos.

Este ano, a partida foi contra Fabiano Caruana. E logo no segundo jogo, Kasparov cometeu um erro fatal que lhe custou a primeira posição. “Posso enfrentar qualquer oponente, menos a idade. O tempo é o oponente mais poderoso que nenhum de nós pode derrotar. Estou, na verdade, muito feliz com o meu desempenho de hoje”, disse Kasparov, após o segundo dia da competição.

O xadrez de posições iniciais aleatórias está a tornar-se progressivamente mais convencional. Foi Bobby Fischer quem primeiro o popularizou, e ficou conhecido como “Fischer Random”. Mais tarde, o jogo mudou de nome para Xadrez 960, o número de posições iniciais possíveis, sendo que há 20 anos os organizadores dos torneios de Saint Louis registaram-no sob o nome Xadrez 9LX (Chess 9LX).

Kasparov diz preferir esta modalidade por não ter de se preparar previamente antes de cada partida, mas o resultado deste ano fala por si. Quanto ao que acontecerá no torneio do ano que vem, apenas o tempo vai poder dizer.

Assine por um ano a VISÃO, VISÃO Júnior, JL, Exame ou Exame Informática e oferecemos-lhe 6 meses grátis, na versão impressa e/ou digital. Saiba mais aqui.