Quito, 19 ago (Lusa) -- O Equador mostrou estar disponível para dialogar com o Reino Unido, caso Londres retire a "ameaça" de invadir a sua embaixada para deter o fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, a quem Quito concedeu asilo.

"Temos estado em conversações há dois meses e a resposta final foi uma ameaça. Esperamos que a ameaça seja retirada. Teremos muito prazer em dialogar, não temos qualquer problema, é o que queremos desde o início, mas com uma ameaça em cima da mesa não se pode conversar", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Ricardo Patiño.

Contudo, como ressalvou o chefe da diplomacia do Equador, isso não significa estar a "negociar" com o Reino Unido, uma vez que Quito toma as suas decisões de forma "soberana".