Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Web Summit: o que não pode perder nesta edição

Web Summit

Getty Images

Veja quais os principais eventos que irão marcar a edição deste ano da maior cimeira tecnológica do mundo

Começa hoje a Web Summit 2019, um evento que reunirá em Lisboa mais de 70 mil pessoas oriundas de quase todo o planeta. Pelos 24 palcos espalhados pelo recinto irão passar mais de 1 200 oradores. Será impossível ouvir todos e, por isso, deixamos aqui uma lista diária dos momentos que não deve perder ao longo destes quatro dias

Segunda, 4

Antes da cerimónia oficial de abertura, terá lugar um dos momentos mais aguardados deste ano: a intervenção de Edward Snowden, o administrador de sistemas informáticos que expôs ao mundo detalhes do sistema de segurança global da NSA. A sua participação será feita através de live streaming. Momentos depois, o evento terá a presença do Chairman da Huawei, que falará da tecnologia 5G e também do futuro deste gigante das telecomunicações chinês, que enfrenta um período conturbado nas suas relações com os EUA. Às 19h35 terá lugar a cerimónia que abrirá oficialmente a Web Summit 2019, com a participação do seu fundador, Paddy Cosgrave, o ministro adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

Terça, 5

Se é daqueles que está preocupado com as consequências que o Brexit pode trazer para a sua vida, então não deve perder, às 11h30, a intervenção de Michel Barnier, o político francês que lidera a equipa da União Europeia que está a negociar a saída do Reino Unido do espaço comunitário. Pelas 14 horas, será a vez do administrador da Uber Manik Gupta, expor a sua visão de como esta plataforma se pode tornar numa espécie de sistema operativo para quem vive nas cidades. E se este é um tema que lhe interessa, vá um pouco mais cedo, às 12h20, ao palco Auto /Tech & TalkRobot, e ouça a conferência sobre a reinvenção do ecossistema global de transportes, com Markus Villig, co-fundador da Bolt, e Carlos Moyses, CEO da iFood.com. De regresso ao palco principal, pode aina ouvir as experiências e as lições de Stephen Schwarzman, CEO e um dos fundadores de um dos maiores fundos de investimento do mundo, o Blackrock, que gere mais de 500 mil milhões de euros, equivalente a duas vezes e meia o PIB português. Quase a encerrar o dia, Katherine Mayer, presidente da Wikipédia, irá explicar como a inovação pode ser feita em plataformas abertas, para as tornar mais justas e acessíveis a todos.

Quarta, 6

O dia começa praticamente com a intervenção do presidente da Microsoft, Brad Smith, que subirá ao palco principal, às 10h30, para discutir os compromissos e os perigos da era digital. Logo a seguir é a vez do antigo primeiro ministro do Reino Unido, Tony Blair, que irá falar sobre a tecnologia e a globalização e do que é necessa´rio fazer para que os benefícios destas novas ferramentas digitais possam chegar a mais gente. Ao início da tarde, a Hanson Robotics traz, mais uma vez, a Sophia, o robô mais famoso do planeta. E, por falar de máquinas inteligentes, o administrador da Amazon com o pelouro da área tecnológica, Werner Vogels, virá a palco explicar o sucesso da sua empresa com o uso de machine learning e como esta tecnologia está a mudar a forma como interagimos com as máquinas.

Quinta, 7

Para quem gosta das novas soluções tecnológicas do mundo financeiro, terá um dos debates mais promissores nesta matéria. Em palco estarão reunidos o fundador da Revolut, Nikolay Storonsky, o CEO da Plaid, Zach Perret e a CEO do Starling Bank, Anne Boden, para esclarecer qual será o futuro do sistema financeiro mundial. Durante a manhã será ainda realizada a final dos Pitch ou sejam a competição das startups, um dos pilares da criação da Web Summit. A meio da tarde será a vez da Comissária Europeia da Justiça, Consumo e Igualdade de Género, Vera Jourová, abordar o polémico tema da regulação das big tech. A seu lado terá a secretário-geral da Amnistia Internacional, Kumi Naidoo. Antes da cerimónia de encerramento, que contará com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, será a vez de ouvir a Comissária Europeia da Concorrência, Margrethe Vestager, a mulher que enfrentou as big tech como a Google, a Apple e a Amazon e ganhou todas as batalhas. E não quer ficar por aqui.