Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Edward Snowden: “Estamos a legalizar o abuso” ao usar as aplicações das grandes tecnológicas

Web Summit

Luís Barra

O antigo analista de sistemas da CIA e da NSA considera que as grandes empresas tecnológicas não estão a manipular dados, mas sim as pessoas

“Os dados pessoais que são recolhidos pelas grandes empresas tecnológicas são sobre pessoas e são usados para manipular essas pessoas”, disse Edward Snowden na cerimónia de abertura da Web Summit 2019, que começou hoje em Lisboa. E, mais grave ainda, somos nós todos, que usados as aplicações dessas mesmas empresas que “estamos a legalizar o abuso” da utilização desses dados. “Criámos um sistema que torna a população vulnerável para benefício dos mais privilegiados”, explicou.

Snowden falou através de videoconferência para uma Altice Arena praticamente esgotada. Segundo ele, há uma tendência generalizada para que todos confiemos nas empresas que nos fornecem os serviços tecnológicos que hoje consideramos indispensáveis. No entanto, o antigo analista de sistemas da CIA e da NSA adverte que “estas empresas são geridas por pessoas que fazem tudo para beneficiar os interesses das próprias empresas”

Questionado se o regulamento geral de proteção de dados não nos protegeria desse abuso, Snowden afirmou que a atual lei não é suficiente para regular este problema, pois “o verdadeiro problema não é a proteção desses dados, mas sim o seu armazenamento”. Esse armazenamento permite, a qualquer momento, traçar o perfil da qualquer pessoa.

Snowden falou ainda sobre o que o levou a denunciar e divulgar os serviços de vigilância massivos da NSA afirmando que "começamos a vigiar as pessoas antes destas infringirem a lei. É o que eu chamo de criação de registo permanente. E isto cria graves problemas para a democracia. O nosso dilema é saber o que fazer quando as instituições mais poderosas da nossa sociedade se tornam as menos confiáveis. É uma pergunta que esta geração tem que responder".

“Sozinhos não nos conseguimos proteger. A única forma de combatermos este abuso é protegemo-nos a todos”, rematou.

A Web Summit decorre de 4 a 7 de novembro, no Parque das Nações, em Lisboa. Este é o quarto ano consecutivo em que a capital portuguesa acolhe a maior cimeira mundial de tecnologia. A edição deste ano irá receber 70 469 participantes e mais de 1200 oradores.

Aproveite a campanha Ler e Viver e receba o valor gasto na assinatura em experiências à escolha