O que se sabe: que o voo Af 447 entrou numa zona de muita turbulência três horas depois de ter descolado do Rio de Janeiro, rumo a Paris. Nessa altura o sisteme automático do avião começou a enviar mensagens  indicando problemas em vários equipamentos e avisando também da perda de pressão, segundo a Força Aérea brasileira.

O que se supõe: que foram os problemas eléctricos reportados que terão levado a uma falha fatal dos controlos do aparelho

A especulação: alguns especialistas acreditam que o voo AF 447 pode ter sido atingido por um relâmpago, uma teoria que ganha força pelo facto de o aparelho ter desaparecido numa área de fortes tempestades, conhecida como a zona de convergência intertropical, com a convergência de ventos dos dois hemisférios.

Quando um relâmpago atinge um avião, o raio normalmente percorre uma parte do aparelho antes de sair sem causar danos, mas, por vezes, as altas voltagens podem provocar problemas eléctricos. Especialistas ouvidos pela CNN dizem ser possível que o sistema de bordo tenha sido desactivado por um relâmpago, enquanto outros garantem que o mais provável é que o raio provocasse um incêndio ou uma abertura na estrutura do avião, o que explicaria a despressurização.