Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Galiza

Espanha

A costa da Galiza está povoada de praias de areia branca

Dizem os galegos que quando Deus criou a Terra, estendeu a mão sobre a Galiza para formar as Rias Baixas com os seus dedos. O litoral atlântico recortado, onde escarpas e praias se sucedem em sintonia, é hoje uma das marcas turísticas mais conhecidas do mundo

COMO IR:

O melhor é ir de carro. Se vai de Lisboa, o mais rápido é fazer a A-1 até ao Porto e, dali, apanhar a saída Braga/Vila Real. Siga pela A3/IP1/E01 e, depois de entrar em Espanha, continue pela A-55/E-1 até à saída Vigo/Pontevedra/Ourense. Se está em Espanha, a auto-estrada AP-9/E-1 une as cidades da Corunha, Santiago, Pontevedra e Vigo. A partir de qualquer uma delas, há ligação com a N-550, que percorre todas as rias.

 

 

VER:



EM BAIONA

Fortaleza Monte Real - Aconselhamos a percorrer os seus 3 km de muralhas. O recinto acolhe um Parador de Turismo. 

Convento das Dominicas - De clausura, com altar de prata. 

Réplica de Pinta - A primeira nau de Cólon, Pinta, chegou a Baiona, onde permanece hoje uma réplica, para além de outros monumentos como o Encontro de dois Mundos, construído em 1993 em comemoração do V centenário da chegada da nau.

Cruzeiro da Santíssima Trindade - Situada na porta de entrada da vila, esta cruz gótica do século XV, com mais de quatro metros de altura, assinala o local da antiga calçada romana.

 

EM VIGO

Mirador de Castro - Vigo cresceu em redor deste monte, onde se situa um núcleo pré-romano. A montanha, hoje parque nacional, tem uns 150 metros de altura e conserva alguns restos de fortificações que albergou.

Guía - Outra elevação da cidade, no bairro de Teis. É também um parque e um magnífico mirador, de onde se podem ver as povoações que existem do outro lado da ria, na península de Morrazo, como Cangas. No ponto mais alto, ergue-se o santuário da Nossa Senhora da Guía.  

Casco antigo - Estende-se pelos arredores da Colegiata, da paróquia de Santa Maria e da Concatedral. Aqui, não há que perder: Mercado da Pedra - Perto da igreja, com vista para o mar, encontramos um dos mercados mais típicos de Vigo. Nos dias festivos vendem-se ostras, que se podem comer em alguns bares da zona, se se pedir vinho. A Praça da Constituição, a Praça da Princesa, com o arco de Quirós, ou a rua Real, com os seus casarões e bares, são outros pontos interessantes.

Hotel Universal - Situado na rua de Carral, este edifício de inícios do século XIX já foi um dos melhores hotéis da cidade (onde se alojou Afonso XIII); no seu café reunia-se toda a boémia da cidade.

Porta do Sol - Aqui acaba a parte antiga e começam os arredores, eixo vital da cidade.

Berbés - Porto pesqueiro com ambiente marítimo.

Praça de Compostela ou Alameda - Passeio ajardinado, com muitos bares.

Rua do Príncipe - Pedonal e comercial, com algumas lojas antigas e peculiares.

Gran Via - A principal artéria. No cruzamento com a rua Urzáiz situa-se o Monumento ao Trabalho, um dos postais mais típicos de Vigo.

Paço de Castrelos - Museu Quiñones de León. Um palácio do séc. XVII, que acolhe hoje o museu de Arqueologia.

Ponte de Rande - Uma maravilha da engenharia. Os seus 700 metros unem Vigo à península de Morrazo.

 

EM REDONDELA

Igreja de Santiago - Construída por Diego Xelmírez, primeiro bispo de Santiago, no século XII.

Viaduto - Esta imensa ponte para o comboio salva todo o vale. Em alguns locais, atinge os 50 metros de altura.

EM ARCADE

Possui as ostras de maior fama da zona. Dizem que o seu viveiro é o maior da Europa. A festa das ostras comemora-se em Abril.

EM CANGAS DE MORRAZO

Esta antiga vila balnear, situada entre vinhas e fábricas pesqueiras, possui casas senhoriais e edifícios antigos.

EM PONTEVEDRA

A Alameda - Um local perfeito para passear. Além do passeio em si, destaca-se o monumento aos Pontesampaio, onde os galegos venceram, no ano de 1809, as tropas de Napoelão.

Igreja de São Domingo - Perto da praça de Espanha, este convento dominicano do séc. XII conserva alguns elementos arquitectónicos de interesse. No seu interior, pode visitar-se o museu Arqueológico.

Praça de Ferrería - Um dos centros da cidade. Com muito movimento, cheia de bares e esplanadas nos seus átrios. Possui uma fonte do séc. XVI. À sua volta, ergue-se a igreja e o convento de São Francisco (séc. XIII-XIV).

Santuário da Divina Peregrina - Neste templo barroco construído no séc. XVIII venera-se a padroeira de Pontevedra, uma imagem trazida por peregrinos franceses.

Catedral o basílica de Santa Maria la Mayor - Situada na praça de Santa Maria, data do séc. XIV. De estilo gótico flamejante, no seu interior encontra-se a imagem do Cristo da Boa Viagem.

Monumento a Colombo - Escultura que lembra que aqui se construiu a nau Santa Maria, o que deu origem à crença de que o descobridor poderia ser originário de Pontevedra.

Parador Casa do Barão - Situado no antigo palácio dos Condes de Maceda, so séc. XVI e remodelado no séc. XVIII. Perto, encontra-se o santuário das Aparições, onde viveu durante alguns anos a irmã Lúcia, de Fátima.

Cinco Calles - É o centro do tapeo.

 

ARREDORES DE PONTEVEDRA

Campo Lameiro - A 20 km, pela PO-223, é a capital da arte rupestre galega.

Mosteiro de São João - Em Poio, a uns 4 km de Pontevedra. Data do séc. XVI e tem uma igreja barroca. Os monges cantam gregoriano e a biblioteca é local de peregrinação.

Combarro - Localidade pesqueira a 7 km de Pontevedra, com ruas empedradas e celeiros ao pé do mar, que são uma das mais imagens mais características da zona. A parte velha da povoação está declarada Conjunto Histórico-Artístico. A rua do Mar, com as suas tabernas típicas, merece especial atenção.

EM SANXENXO

Fica entre as rias de Pontevedra e Arousa e é a vila mais turística das Rias Baixas e, quiçá, de toda a Galiza, graças às suas 23 praias, algumas das quais famosas, como a de Silgar.

EM MEAÑO Y NOALLA

Duas povoações do interior onde se faz a colheita do famoso vinho Albariño. Destacam-se algumas construções como Santa María de Simes ou o palácio dos Zárate, em Meãno. Em Noalla, há que visitar o mirador sobre a Lanzada, a faixa de terra que une O´Grove ao continente. Tem uma grande praia, de 3 km, ideal para o windsurf.

EM O´GROVE

Verdadeiro paraíso do marisco, que celebra uma concorrida festa no segundo domingo de Outubro. Há que visitar a lota, a lagoa de Bodeira, subir ao monte de Siradella, visitar as ilhas Cíes...

EM ISLA DE A TOXA

Está unida a O´Grove por uma ponte desde 1906. Famosa pelas suas águas termais e pela empresa de produtos cosméticos. Trata-se do centro de turismo mais elitista da Galiza, com as termas, o casino e o golfe.

EM CAMBADOS

A verdadeira capital do vinho Albariño (celebra a sua festa no primeiro domingo de Agosto), uma vila monumental com numerosos palácios e castros celtas nos seus arredores.

Palácio de Fefiñanes- Figueroa - Do séc. XVII, possui elementos barrocos e neoclássicos, para além de uma arcada de pedra que é o símbolo da cidade. Pode comprar-se vinho Albariño.

Palácio de Bazán - Originário do s. XVII, é hoje um edifício moderno, ocupado por um Parador de Turismo.

Torre de San Sadurniño - Antiga torre defensiva na pequena ilha de Figueira, frente ao bairro pesqueiro de Santo Tomé.

Vale de Salnés - Entrar por este fértil vale é percorrer a rota do vinho Albariño.

 

EM RIANXO

No outro lado da ria de Arousa, é um local famoso pelas amêijoas e berbigões recolhidos na ria.

Igreja de Santa Columba - Do séc. XV-XVI, onde baptizaram Castelao. Mistura de gótico e barroco.

Paço de Martelo - Alberga hoje a biblioteca da vila.

Celeiro de Araño - Considerado um dos maiores celeiros da Galiza, com os seus 37 metros de comprimento.

 

EM MUROS

Localidade histórica, que foi casa real e pertenceu à diocese de Compostela. Vale a pena um passeio demorado por tudo aquilo que está feito em pedra e repartido entre o mar e a montanha. Possui várias lojas antigas, algumas delas muito interessantes, como uma farmácia de 1916.

Mercado da rua Aurora - Em pedra, muito típico.

Pescadería Vella - Lota, com leilão de peixe.

Igreja de São Pedro - Templo românico, com toques góticos. Campanário barroco.

 

 

DORMIR:

A zona das Rias Baixas é a mais turística da Galiza e isso significa que a oferta hoteleira é muito ampla, tanto em hotéis convencionais como rurais (das imponentes casas senhoriais às típicas casas da aldeia). Mais informação: Turgalicia. Tel. 981 542 515.

 

 

COMER:

Existe igualmente uma infinidade de restaurantes, dos mais conceituados, com fama internacional, às tascas de pescadores do porto e aos bares de tapeo. A boa gastronomia da Galiza está ao alcance de todas as bolsas. Destacamos as ostras e os berbigões de Árcade; o choco com pimentos e empanado ou com tinta; as lulas, as vieiras e os barrilitos de Bueu; as lagostas e caldeiradas de Marín e de Portonovo; as sardinhas de Pontevedra; as costoletas de porco e as carnes em Vilagarcía de Arousa; as amêijoas de Carril; o polvo de Aguiño... Quanto ao vinho, encontramo-nos na terra do Albariño. De destacar ainda a grande variedade de aguardentes.

 

 

NA REDE:

www.turgalicia.es  O site da Direcção Geral do Turismo da Galiza (com versão em português) oferece toda a informação indispensável para preparar a viagem, para além de notícias e links de interesse. Pode ainda reservar hotel, restaurante ou carro.

www.galinor.es/galicia.html Reservas, mapas, gastronomia, restaurantes, fotos e exposições. Inclui ainda dicionário e links para jornais rádios e televisões galegos.

www.riasbaixas.org/web2005/ O que ver e fazer, onde dormir e comer e ainda sugestões, eventos, actualidade e um serviço de pesquisa por comarcas e municípios.

 

 

LER:

Norte de Portugal e Galiza Guia American Express - Com a qualidade a que nos habituaram as edições DK, sempre com muitas ilustrações.

Lonely Planet Spain - Tudo para descobrir Espanha e organizar a viagem. Na Amazon e na Fnac.

Descoberta de Espanha -  O povo, a história e as tradições, atracções, itinerários, hotéis e restaurantes. Inclui mapa desdobrável independente. Da Asa, na webboom.

 

 

CURIOSIDADES:  Para navegar todo o ano

As rias galegas são mares excelentes para navegar. A sua extensão, protecção e instalações desportivas fazem delas um dos destinos preferidos dos navegantes.

Ria de Vigo. É uma das mais profundas, com mais de 30 km. Vale a pena aproximar-se das ilhas Cíes, que fecham a entrada, com os barcos que partem desde Baiona ou de Vigo.

Ria de Pontevedra. É mais pequena que a de Vigo. Ao fundo, encontra-se Pontevedra, capital da província, com um magnífico porto desportivo. Localidades como Portonovo e Sanxenxo (declarada Estação Náutica, com um bom porto desportivo e praias fantásticas) reafirmam o seu carácter turístico. Por falar em locais para apanhar sol, entre a ria de Pontevedra e a vizinha Arousa encontra-se a praia de Lanzada, a maior das Rias Baixas.

Ria de Arousa. A mais extensa das Rias Baixas, é um local turístico por excelência, com localidades como O´Grove - onde se encontram as famosas termas de La Toja -, Cambados ou Vilagarcía de Arousa. Por ser uma ria ampla, as possibilidades náutico-recreativas são muitas. Desde O´Groven  saem barcos para visitar as bateas, onde de produz o mexilhão galego.

 

 Publicado na edição número 19 da revista "Rotas do Mundo" de Outubro de 2006