Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Trilhos na Índia [3]

Trilhos na Índia

  • 333

Os últimos passos de Gandhi

Gandhi Smriti não é um lugar turístico, nem tão pouco um lugar bonito. É um lugar simples, de recolhimento, é um lugar de memórias. Na manhã do dia 30 de janeiro de 1948, Gandhi, a grande alma, deu os últimos passos sobre a terra, nesta terra. Enquanto se dirigia ao local de oração foi assassinado por Nathuram Godse, um hindu radical que o acusava de enfraquecer o país.

Foi aqui que Ghandi passou os últimos 144 dias da sua vida e ao pensarmos nisso não conseguimos disfarçar o arrepio que gela o corpo. Calam-se as buzinas e em cada canto do jardim, em cada banco, em cada porta se sente a evocação da sua memória. Descalços, sobre a humidade matinal que ainda cobre o chão, seguindo os próprios passos de Ghandi, fazemos lentamente o caminho que ele também percorreu naquela manhã fatídica. Desde o local onde estava alojado, onde tinha os seus poucos pertences, até ao local da sua morte vão duas dezenas de metros. Aqui foi erguida uma coluna, no exato local onde o Pai da Nação, como orgulhosamente é chamado, morreu...

O homem, que lutou até à morte pela não-violência, viria a ser morto da forma mais cruel, com uma arma de fogo à queima-roupa. Se é verdade que a grande alma deu tudo por esta terra, esta terra tem-lhe prestado a justa homenagem. Ghandi é uma pessoa querida entre os indianos e é recordado com saudade genuína. À procissão fúnebre, desde o local da sua morte até R?j Gh?t, onde foi cremado segundo os costumes hindus, acorreram cerca de dois milhões de pessoas.

Mais do que tudo, prestamos a nossa homenagem ao Homem imenso e recordamos que uma vez disse, "Não quero que minha casa seja cercada por muros de todos os lados e que as minhas janelas estejam tapadas. Quero que as culturas de todos os povos andem pela minha casa com o máximo de liberdade possível" e que assim nos recebe naquela que foi a sua derradeira morada. Saímos com a certeza da grande dívida que o mundo tem para com Ghandi, para com os seus ensinamentos. Lutou toda a vida por um mundo onde todos fossem tratados da mesma forma, um mundo sem violência, um mundo onde "todos os homens são irmãos".

 

Acompanhem os nossos passos em: http://trilhos.wordpress.com www.facebook.com/osmeustrilhos