Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Picadas de carraça podem causar alergia permanente e potencialmente fatal à carne

VISÃO Saúde

Judita Juknele / Getty Images

A única prevenção possível após a picada é evitar por completo o consumo de carne, alertam os especialistas envolvidos nesta nova investigação que se debruçou sobre os casos de cinco pacientes britânicos

Um estudo concluiu que as picadas de carraça podem causar alergia potencialmente fatal à carne de vaca, borrego e porco. O aviso foi publicado na revista médica Annals of Allergy, Asthma and Immunology e afirma que a única prevenção possível após a picada é o indivíduo evitar por completo o consumo de carne.

Os investigadores explicam que algumas carraças transportam um tipo de açúcar chamado “alfa-gal”, encontrado na maioria dos animais, mas não nos humanos. As carraças apanham o “alfa-gal” de animais como ovelhas ou veados, transportam-no na saliva e transmitem-no para os seres humanos quando os mordem.

Geralmente as pessoas não são alérgicas ao “alfa-gal” da carne quando a consomem, no entanto, se esse tipo de açúcar for inserido continuamente na corrente sanguínea (como quando uma pessoa é picada repetidamente por carraças), o sistema imunitário pode desenvolver anticorpos para combater a substância e assim, quando há uma exposição à carne, dá-se uma reação.

Os sintomas podem incluir urticária, dor de estômago, inchaço da traqueia e até levar a um choque anafilático (um colapso circulatório causado por reações alérgicas intensas).

Enquanto a maioria das alergias ocorre de imediato, esta em particular costuma ter início três a oito horas após a ingestão do alimento.

Os médicos afirmam que existe uma “considerável falta de conhecimento” relativamente a esta alergia, com apenas 21% dos pacientes a serem corretamente diagnosticados, de acordo com a pesquisa.