Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Beber leite gordo é bom para o coração

VISÃO Saúde

DR

Um novo estudo conduzido por investigadores do Canadá sugere que o consumo de leite gordo pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares e acidentes vasculares cerebrais

Afinal, o leite gordo tem mais benefícios para a saúde do que se pensava. Um estudo recente realizado por pesquisadores da Universidade McMaster em Hamilton, Canadá, conclui que as pessoas devem incluir na sua dieta laticínios gordos já que esses alimentos são benéficos para o coração.

A investigação, publicada recentemente na revista científica The Lancet, teve por base o registo da ingestão diária de lactose de mais de 130 mil pessoas, de 21 países diferentes e com idades compreendidas entre os 35 e os 70 anos.

Os participantes foram divididos em quatro grupos, de acordo com a ingestão de leite: os que não bebiam qualquer tipo de leite, os que bebiam menos de um copo por dia, os que ingeriam um ou dois copos e aqueles que bebiam mais de dois copos por dia. O tipo de leite ingerido, gordo ou magro, também foi tido em conta. Durante nove anos, foram também observados os níveis de saúde, no geral, de cada pessoa.

Os resultados revelaram que as pessoas que bebiam cerca de três copos de laticíneos por dia tinham taxas mais baixas de mortalidade e um risco reduzido de vir a ter uma doença cardiovascular ou AVC, relativamente aos que não ingeriam laticíneos.

Além disso, os participantes que bebiam três copos de leite gordo diariamente eram menos propensos a ter doenças cardíacas quando comparados com os que ingeriam apenas metade de um copo por dia. O estudo mostrou também que o consumo regular de leite e iogurte teve um impacto maior na mortalidade e bem estar geral do que a ingestão de manteiga e queijo.

Os autores da pesquisa acreditam que a investigação revela a necessidade de incentivar o consumo regular de produtos lácteos.

"O nosso estudo mostra que o consumo de produtos lácteos pode ser benéfico para reduzir a taxa de mortalidade e o risco de doenças cardiovasculares, especialmente em países com baixos níveis de desenvolvimento, onde o consumo de lácteos é muito menor do que na América do Norte ou na Europa", explica Mahshid Dehghan, a investigadora que liderou a pesquisa, à TIME.

Os investigadores pretendem desconstruir a ideia de que são apenas benéficos os laticíneos com baixo teor de gordura, já que ela se baseava "no pressuposto de que a gordura saturada aumenta o colesterol LDL".

"Mas os laticínios contêm muitos outros componentes, que podem ser saudáveis: aminoácidos, vitamina K, cálcio, magnésio... Não devemos concentrar-nos num único nutriente", defende a investigadora.

Um estudo do início deste ano tinha já apontado o leite gordo como sendo benéfico no sentido de melhorar os níveis de colesterol.

Mas há quem mantenha grandes reservas em relação a este estudo. Anna Rangan, professora da Universidade de Sidney, na Austrália, diz que, "tal como os próprios autores concluíram, os resultados sugerem apenas que o consumo de produtos lácteos não deve ser desencorajado mas sim encorajado em países de baixo desenvolvimento".

Na opinião da especialista, este estudo deve ser encarado como apenas mais uma evidência e não como uma regra que deve passar a ser seguida.