Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sete formas de prevenir a demência

VISÃO Saúde

DR

Apesar de não ter cura, pode adotar alguns hábitos que o vão ajudar a proteger-se contra a doença

Portugal é o 4º país da OCDE com mais casos de demência, segundo um relatório divulgado em junho deste ano, ficando atrás apenas da Alemanha, da Itália e do Japão.

O mesmo relatório dá conta de a resposta de que Portugal a estes resultados é muito deficitária, uma vez que há falta de especialistas que sigam os doentes e de programas de deteção da doença. E o cenário tende a piorar, com a previsão de que, em 2037, o País suba para a 3ª posição de mais doentes com demência.

Os dados não são animadores, mas há formas muito simples que o podem ajudar a prevenir esta doença, e acordo com investigações científicas que foram sendo feitas.

Aqui ficam sete passos que pode seguir

1. Não fume - A longo prazo, o tabaco é prejudicial às funções cognitivas do cérebro. Uma investigação de 2011 mostrou que pessoas de meia idade que fumavam mais de dois maços por dia duplicavam o risco de terem demência na velhice.

2. Controle o seu peso - Um estudo publicado na revista científica Neurology relaciona a obesidade na meia-idade com o risco de se vir a ter demência. A pesquisa deu conta de que pessoas com excesso de peso e obesidade têm o dobro da probabilidade de terem demência no futuro, por isso controlar o peso é uma boa forma a prevenir.

3. Adote uma dieta mediterrânica - Ainda não há certezas relativamente à ligação entre a alimentação - nutrientes e vitaminas - e o risco de demência. Mas estudos com foco na dieta mediterrânica, que se baseia na ingestão de alimentos naturais e não processados, legumes, leguminosas e frutas, assim como nas saladas temperadas com azeite e vinagre, sugerem que este tipo de alimentação pode reduzir o risco de demência.

4. Mantenha-se ativo fisicamente - O exercíco físico é bom para manter o corpo em forma e a mente limpa, já se sabe. Vários estudos anteriores tinham já demonstrado a importância da atividade física como forma de ajudar a preservar as faculdades mentais na velhice. Também para os idosos manter-se ativo fisicamente torna-se essencial. Há estudos que indicam que aqueles que começaram a praticar regularmente exercício apresentaram uma melhor função cognitiva, relativamente aos outros.

5. Exercite a mente - Exercitar a mente conforme vai envelhecendo é um grande passo no sentido de se proteger contra a demência. Pode experimentar fazer sudoku ou palavras cruzadas, ou mesmo aprender novas habilidades que vão estimular a atividade cerebral.

6. Tenha uma vida social ativa - Fazer voluntariado ou sair para tomar um café regularmente são atividades vão mantê-lo ativo socialmente, o que é essencial na luta contra a demência. Várias pesquisas têm demonstrado que as pessoas que se mantêm ativas socialmente até uma idade avançada têm melhores funções cognitivas e menor risco de declínio cognitivo.

7. Mantenha o seu sono regular - Ainda são muito vagas as evidências que relacionam os distúrbios relacionados com o sono e o aumento do risco de demência e se certos padrões de sono representam ou não um risco maior. Mas a verdade é que distúrbios de sono como a insónia crónica têm sido associados a um aumento do risco de declínio cognitivo na velhice. Portanto, é importante manter o seu sono regular e dormir horas suficientes e de qualidade.