Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Especialistas sugerem uso de "Macarena" para acertar ritmo da reanimação cardiopulmonar

VISÃO Saúde

D.R.

Um estudo espanhol concluiu que a qualidade das compressões durante um processo de reanimação cardiopulmonar beneficia do uso de uma aplicação para smartphones ou, em alternativa, do uso do tema "La Macarena" para marcar o ritmo

A canção dos Los del Rio tem 103 batimentos por minutos e pode servir para ajudar a fazer as compressões no ritmo certo, à semelhança do tema “Stayin’ Alive", dos Bee Gees, que já tinha sido usado num vídeo da Fundação Britânica do Coração para mostrar como fazer as manobras de reanimação.

Um grupo de investigadores espanhóis decidiu comparar a qualidade das compressões quando realizadas ao ritmo de "Macarena", de sons emitidos por uma aplicação para telemóvel ao mesmo ritmo da música ou sem qualquer pista auditiva.

Para isso, foram recrutados 164 alunos de medicina da Universidade de Barcelona, que tiveram de fazer compressões num manequim durante dois minutos.

A um grupo de participantes foi pedido que cantassem "para dentro" a "Macarena" como medida mental para o ritmo das compressões (antes tiveram de mostrar que sabiam a música). A experiência permitiu concluir que as compressões foram mais eficazes quando realizadas ao ritmo da canção - 74% dos estudantes deste grupo acertaram no intervalo de 100 a 120 compressões por minuto, contra os 91% dos que tinham o ritmo marcado pela aplicação. E apenas 24% do grupo de controlo conseguiu essa velocidade desejada.

O resultado do estudo foi apresentado no congresso deste ano da Sociedade Europeia de Anestesiologia (ESA), que terminou na semana passada, em Copenhaga, na Dinamarca.